Manual Naruto 3D&T Alpha Revisado para download

Olá pessoas!
Aqui é o Tio Lipe e bem-vindos ao Santuário do Mestre. Ano passado disponibilizei aqui no site uma aventura e alguns personagens prontos para se jogar com minha adaptação de Naruto para 3D&T Alpha. Com o feedeback positivo, e muito influenciado pelo meu amigo Leishmaniose, resolvi que estava em tempo de dar uma atualizada no material. Inicialmente pensei em trabalhar nesta revisão de forma descompromissada, mas acabei fazendo o que geralmente faço quando adapto: cai de cabeça. Foram oito postagens, mas com material suficiente para o dobro disso! E ao mesmo tempo em que escrevia este “monstro”, também estava trabalhando no meu sistema, o Gaia RPG (aguardem novidades). Depois de tanto trabalho, o que temos? Um PDF maravilho, é claro!

Brigada Ligeira Estelar para Fate

Olá,

Saudações, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana trarei uma adaptação do cenário de Brigada Ligeira Estelar para o Fate — sim, o Fate, que tem uma licença Creative Commons, muito mais amigável que algumas licenças escrotas, como aquela do Cortex Prime (clique aqui se quiser saber mais sobre como funcionam as licenças de sistemas de RPG).

Usando Grid de Combate divididos por Zonas

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

No episódio desta semana na Caixa do Lima, vamos apresentar uma sugestão de grid para os combates em suas mesas de RPG, independentemente do estilo do sistema que vocês estejam jogando, seja ele gamista, narrativista ou simulacionista — em relação esse último, eu sei que que foi exagero, essa galera gosta é das distâncias milimetradas — mas aproveitando a brincadeira, gostaria de frisar que essa postagem é uma sugestão. Não estou dizendo que esse é o melhor jeito de conduzir os seus combates, apenas um método que uso em minhas mesas.

Os exploradores de hexágonos: O modelo Pointcrawl

Salve, salve aventureiros! Aqui é o Joka da Espaço Mítico e nesta semana daremos continuação a uma série de artigos sobre a modalidade hexcrawl de aventuras. Mas desta vez apresentaremos uma alternativa interessante para quem não tenha gostado muito do hexcrawl ou não tem tanto tempo para investir na preparação deste tipo de jogo: o Pointcrawl.

Naruto para D&D 5E – Jutsus Rank E

Olá,

Saudações, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana, na parceria com a Santuário do Mestre, darei continuidade à adaptação do cenário de Naruto para a 5E, a engine do D&D 5ª edição, trazendo os Jutsus de Rank E.

Naruto 5E: O Mundo de Naruto | Características | Habilidades | Clãs | Jutsus (Rank E)

Medievo RPG: Fantasia Medieval na Baixa Idade Média para Fate/FAE

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima, vamos voltar a falar sobre o Fate, aproveitando o ensejo da postagem do Joka na Coluna Espaço Mítico, onde ele veste seu manto de caçador de mitos, munido de sua lupa e alguns dados fate e desmistifica a lenda urbana de que o Fate Básico e o Fate Acelerado são dois sistemas diferentes.

Usando de muitas citações do Fred Hicks, um dos co-criadores do Fate, ele garante que o Fate Acelerado é uma condensação do Fate Básico, apresentado uma ou duas maneiras diferentes de se jogar, mas é o mesmo jogo. Apesar de algumas pessoas ainda acreditarem que possam ser dois jogos diferentes, o Hicks deixa bem claro que não.

Ainda escutamos algumas argumentações sobre o assunto, reinterpretando as palavras do Hicks e justificando que são dois sistemas completamente diferentes, mas em tempos quando que as argumentações assumem níveis bem complexos, e solicitam rolagens de sanidade,  tais como as que temos observado nas últimas semanas, “Os alemães não entende de nazismo”, “Fukuyama é comunista”, “Roger Waters não entende a letra de Another Brick in the Wall” e com todo esse contexto, podemos ter um… “Fred Hicks não entende de FATE” nos comentários.

Então, com base na postagem do meu companheiro Jokinha, compartilho com vocês uma adaptação do Medievo RPG, que foi a minha primeira experiência como game designer para Fate Básico e Fate Acelerado.

Tormenta RPG: Império de Jade

Olá pessoas!
Aqui é o Tio Lipe e bem-vindos ao Santuário do Mestre. Agora que finalmente terminei a revisão da minha adaptação de Naruto para 3D&T Alpha (o PDF está em produção. Aguardem!), nada mais justo que escrever sobre outros assuntos, certo? Recentemente acabei me deparando com um lançamento nacional que possui aquele “espírito oriental” bem similar a Naruto. Estou falando de Império de Jade, uma “expansão” do cenário de RPG mais famoso e jogado do país: Tormenta. E é justamente sobre ele que abordarei hoje.

Desmistificando o Fate e o FAE

Salve, Salve aventureiros! Aqui é o Joka e a coluna Espaço Mítico desta semana tratará de um assunto um tanto quanto controverso e confuso. Seria o FAE (Fate Acelerado) um jogo menos completo que o Fate?

Lankhmar: Cidade dos Ladrões [Savage Worlds]

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Esta semana na Caixa do Lima, vamos falar sobre o último lançamento para Savage Worlds no Brasil, o Lankhmar: Cidade dos Ladrões, que foi financiado com sobras aqui nas terras tupiniquins, e se não no mesmo, mas quase ao tempo da versão em inglês. O Savage Worlds (SW), é um sistema genérico desenvolvido por Shane Lancy Hensley, conhecido por ser simples, rápido e selvagem e já está na sua segunda edição, com boatos confirmados de que um terceira edição se encaminha, acompanhada de uma versão SW de Flash Gordon.

Esse sistema tem se tornado o meu favorito para a diversão, com regras simples, cenários maravilhosamente bem construídos e um bom suporte da editora responsável aos amantes do sistema. Em postagens anteriores, abordei um pouco da minha experiência com o SW: África Século XXIII e Narrando Weird Wars II.

Como Treinar Seu Sistema V – Atributos, Abordagens, Perícias, Habilidades, Características e otras cositas mas.

Olá,

Salve, Salve, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana, estarei trazendo um novo capítulo da série Como Treinar Seu Dragão Seu Sistema (série de postagens iniciada em 2017 com uma abordagem mais voltada para hacks e modificações de sistemas, cujos capítulos anteriores você pode encontrar aqui: Adaptando Regras (clique aqui); Entre Testes e Resultados (clique aqui); Aspirações e Objetivos (clique aqui); Sobre criar seu sistema, OGLs, Creative Commons e outras licenças (clique aqui). E neste quinto capítulo eu abordarei sobre os “stats” (também chamados de atributos, abordagens, características, habilidades, profissões, perícias, valores ou outros nomes dependendo do sistema) e como deixá-los mais maleáveis de acordo com o que você espera em seus jogos.