Changeling – Os Abduzidos

Olá,

Novembro sempre foi um mês complicado pra mim e este não fugiu à regra. Além das complicações, eu acabei me envolvendo em um projeto pessoal que tem consumido parte de meu tempo pra trazer material novo pra vocês aqui no Lugar Nenhum.

Desenvolvendo background de forma compartilhada – Um hack do Heroville Pathways

Nesta semana no Espaço Mítico, iremos variar um pouco da nossa série sobre técnicas narrativas e iremos trazer algo que pode interessar a todos que já tiveram em algum momento, dificuldade no desenvolvimento de ganchos para um grupo de personagens novos.

O Senhor dos Anéis FAE – Regras de Corrupção

Saudações, camaradas!

Venho mais uma vez dialogar com vocês sobre um assunto que é muito pertinente à minhas últimas postagens, o Fate; mais precisamente o Fate Acelerado — para os íntimos, FAE. Minha relação com o FAE começou em meados de 2015 quando o “Alto Sumo Sacerdote do Fate”, Petras Furtado, me apresentou ao sistema. Nunca fui muito adepto de sistemas genéricos, mas desde o primeiro encontro, isso mudou. Continuei como jogador até meados de março de 2016, quando decidi me aventurar a  narrar no sistema e desde então estou me aprofundando nele, aprendendo coisas novas e dando vida a algumas coisitas que eu queria narrar.

Os Defensores

Na linha de supergrupos da Marvel, hoje apresentamos Os Defensores, um grupo relativamente pouco conhecido de heróis que enfrentam ameaças místicas e sobrenaturais.  E suas fichas de personagens para Fate Acelerado.

Doze Pokémons para Fate Acelerado

Saudações Camaradas!

Na minha adolescência eu gostava de Pokémon — não como os meus amigos, que chegaram a fazer, no fim da década de 1990, uma adaptação para GURPS (não peçam mais informações, pois sinceramente eu não lembro). E com o lançamento do Pokémon Go, o assunto voltou às rodas de amigos, onde muitos lembraram com saudosismo o passado. Como alguns sabem, sou professor e utilizo o RPG nas minhas aulas. Em 2016, o Fate Acelerado — FAE — foi o sistema eleito pelos discentes, por sua facilidade de adaptar vários tipos de conteúdos, como filmes, livros, desenhos animados e videogames, o que me animou a produzir material para ele.

The Witcher RPG

Saudações, aventureiros.

É impossível não se encantar pelo maravilhoso mundo de The Witcher, seja através dos livros, dos jogos ou do seriado – certo, é possível não se encantar com o seriado.

Uma pesquisa na internet revela uma interessante iniciativa de adaptação do cenário para D&D 5E, mas já existe um projeto oficial em andamento e as expectativas são as melhores.

Sangria nas Crônicas das Trevas

Olá, caro Viajante, seja bem vindo! Esta é a Taverna no Fim do Multiverso e eu sou…

— Senhor Gilgan!!!

— Olá, Glimp, o que houve? Com licença, Viajante, já volto…

Damphirs para D&D 5.0

Olá,

Já tem rolado um boato de que o sertão vira mar quando eu conseguir postar novamente na segunda… E desta vez o atraso foi homérico, visto que só agora na terça pela manhã eu consegui sentar pra escrever este material – torcendo pra que esteja pronto pelo menos pra estar já no site na primeira parte da tarde. Ainda assim, aguardarei mais uma postagem pra ver se mudo de vez a data pra terça ou mantenho na segunda, conforme anunciado no capítulo anterior do Lugar Nenhum. E vamos em frente que atrás vem gente! /o/

Técnicas narrativas III – Robin Laws of Good Game Mastering

A resenha desta semana é o Robin Laws of Good Game Mastering, escrito pelo autor homônimo, trazendo dicas e sugestões para narradores e até game designers que

Tokusatsu para Savage Worlds (Savage-Satsu)

Olá galera, hoje na Coluna Pontos de Ignição, dando um descanso no cenário, trago a vocês hoje uma adaptação para Savage Worlds de um dos temas que estouraram nos anos 80 e 90 no Brasil — e vou apresentar de forma resumida a história desse estilo de show live-action japonês e umas regras rápidas para começar a jogar com seus amigos.