Usando Grid de Combate divididos por Zonas

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

No episódio desta semana na Caixa do Lima, vamos apresentar uma sugestão de grid para os combates em suas mesas de RPG, independentemente do estilo do sistema que vocês estejam jogando, seja ele gamista, narrativista ou simulacionista — em relação esse último, eu sei que que foi exagero, essa galera gosta é das distâncias milimetradas — mas aproveitando a brincadeira, gostaria de frisar que essa postagem é uma sugestão. Não estou dizendo que esse é o melhor jeito de conduzir os seus combates, apenas um método que uso em minhas mesas.

Medievo RPG: Fantasia Medieval na Baixa Idade Média para Fate/FAE

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima, vamos voltar a falar sobre o Fate, aproveitando o ensejo da postagem do Joka na Coluna Espaço Mítico, onde ele veste seu manto de caçador de mitos, munido de sua lupa e alguns dados fate e desmistifica a lenda urbana de que o Fate Básico e o Fate Acelerado são dois sistemas diferentes.

Usando de muitas citações do Fred Hicks, um dos co-criadores do Fate, ele garante que o Fate Acelerado é uma condensação do Fate Básico, apresentado uma ou duas maneiras diferentes de se jogar, mas é o mesmo jogo. Apesar de algumas pessoas ainda acreditarem que possam ser dois jogos diferentes, o Hicks deixa bem claro que não.

Ainda escutamos algumas argumentações sobre o assunto, reinterpretando as palavras do Hicks e justificando que são dois sistemas completamente diferentes, mas em tempos quando que as argumentações assumem níveis bem complexos, e solicitam rolagens de sanidade,  tais como as que temos observado nas últimas semanas, “Os alemães não entende de nazismo”, “Fukuyama é comunista”, “Roger Waters não entende a letra de Another Brick in the Wall” e com todo esse contexto, podemos ter um… “Fred Hicks não entende de FATE” nos comentários.

Então, com base na postagem do meu companheiro Jokinha, compartilho com vocês uma adaptação do Medievo RPG, que foi a minha primeira experiência como game designer para Fate Básico e Fate Acelerado.

É possível utilizar o RPG em sala de aula? [Parte 2]

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima, coluna na qual conversamos quinzenalmente, gostaria de dialogar novamente sobre o uso do RPG na educação. E dessa vez atendendo a pedidos do pessoal que entrou em contato após a postagem “É possível utilizar o RPG em Sala de Aula” que foi publicada em dezembro de 2017. Na referida postagem, faço um relato da minha experiência com o uso/tentativas do RPG na educação, desafios, dificuldades e acertos. Para começarmos recomendo a leitura do artigo anterior para os que estão lendo essa postagem, para acredito eu ter uma melhor compreensão do que está sendo debatido.

E por que tocar nesse assunto novamente? Após a postagem citada acima, ocorreu uma procura dos companheiros docentes que desejam utilizar o RPG em sala de aula, mediante esse fato, resolvi fazer essa postagem com algumas dicas básicas para quem quer começar a usar o RPG nas suas aulas.

AVISO

ESTE ARTIGO REPRESENTA
MINHA EXPERIÊNCIA COM O RPG
EM SALA DE AULA

Espada & Planeta [Sword & Planet]

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana a Caixa do Lima vem com uma postagem curtinha, mas com uma “pequena” surpresa para os leitores desta coluna: mais um minijogo com o selo Mundos Colidem de qualidade, utilizando o sistema Lima Lite, o mesmo que dá vida aos outros jogos mínimos apresentados nesta coluna (como Sobreviventes, Cruzados e Potiguares). A família de minijogos do MC ganha mais um integrante, o Espada & Planeta

Regras Extras para Sobreviventes

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima, vamos falar sobre o Sobreviventes um minijogo narrativo de minha autoria criado com o sistema Lima Lite, que é uma simplificação do sistema usado no Medievo RPG: Fantasia Medieval na Baixa Idade Média, que desenvolvi em meados de 2015 visando atender as necessidades das aulas sobre o referido tema. O Sobreviventes está disponível para download no DriveThru RPG (clique aqui) nas versões inglês e português e no Dungeonist (clique aqui) em português, ambos no modo PWYW. A versão física do minijogo foi disponibilizada pela Fábrica Editora para os apoiadores do FC do Desmortos.

Regras de Sanidade para Espada & Magia

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

 

Nos capítulos anteriores da Caixa do Lima, tenho me dedicado à construção do Espada & Magia, um sistema de regras simples para emular jogos com a temática Espada & Feitiçaria, e nessa jornada para masmorras escuras, contra necromantes ensandecidos sigo na companhia do Mago Petras Furtado, munido de seus conhecimentos arcanos, enquanto o acompanho com o meu arco +3.

Nova Amsterdã Fate Acelerado: Os Mythos de Lovecraft Invadem o Nordeste Holandês

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Nesse capítulo especial da Caixa do Lima, convido vocês a se imaginarem em uma vila costeira no nordeste brasileiro, durante a dominação holandesa, final da primeira metade do século XVII. Agora acrescente a essa vila, a particularidade de ter sido invadida pelo Mythos de H.P. Lovecraft, em uma amálgama com os seres do folclore local.

Bom, isso é Nova Amsterdã.

A aventura vai começar – Parte II

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Primeiramente gostaria de desejar um feliz novo ciclo a todos que acompanham a Caixa do Lima, a todos os leitores do Mundos Colidem e aos amantes desse joguinho maravilhoso de rolar dados que surgiu há mais de quarenta anos. E nesse retorno/renascimento das atividades da Caixa, vamos atender a pedidos e falar de Fate, dando sequência a uma das postagens com grande feedback neste ano que se passou. E aproveitando o ensejo e oportunidade, e fazer o jabá para o nosso “Índice Mundos Colidem para FATE Acelerado“. É só clicar e ir para o abraço.

A Aventura vai Começar” foi publicada em 10 de fevereiro de 2017 e abordava dicas para os narradores começarem uma aventura no sistema Fate de forma dinâmica, com sugestões para o processo de construção de personagens, além de algumas pequenas dicas de organização da narrativa. Em A Aventura vai Começar – parte II, a proposta é dar um suporte aos narradores com algumas dicas que podem ser úteis na organização da aventura, e quem sabe, para seu sucesso, garantindo a diversão dos participantes.

É possível utilizar o RPG em sala de aula?

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

 

Essa semana na Caixa do Lima (outrora Nomos), esta coluna onde vos falo quinzenalmente (pelo menos me esforço para tanto), venho dialogar com meus poucos e fiéis leitores sobre o uso do RPG na educação.

AVISO:

ESSE ARTIGO RELATA A MINHA EXPERIÊNCIA COM O USO DO RPG EM SALA DE AULA

Desde o meu ingresso na docência por volta do ano de 2007, até os tempos atuais — já são mais de dez anos em sala de aula, até eu me assustei quando fiz essa conta — uma pergunta sempre me perseguiu:

é possível utilizar o RPG em sala de aula?

E após muitos anos de experiências com o RPG em sala de aula, nem tudo são rosas, nem todos os experimentos são exitosos ao longo de um tortuoso caminho de persistência e resistência para chegar ao que consegui hoje — que ainda não é o modelo ideal, mas já mostra muitos avanços na minha pesquisa.

Cruzados: Jornada à Terra Santa

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima (outrora Nomos), esta coluna onde que vos falo quinzenalmente, gostaria de apresentar para vocês o Cruzados: Jornada à Terra Santa, o segundo minijogo de minha autoria, dessa vez com uma temática medieval e bastante influenciado pelo Medievo RPG. Segundo minijogo? Mas cadê o primeiro? O primeiro minijogo produzido, Sobreviventes: um jogo minimalista de sobrevivência pós-apocalíptica, aborda um mundo devastado por um apocalipse zumbi. Para ambos os jogos, vocês só precisam de alguns pedaços de papel, lápis, borracha, um punhado de dados de seis lados — os famosos d6 — e uma cópia dos folhetos dos jogos.

Cruzados é um minijogo sobre a Jornada à Terra Santa, onde os jogadores são membros de uma cruzada cristã.

Cruzados, introdução.