Exploração e Combate: Gaia Playtest

Olá pessoal, eu sou o Joka e na coluna da Espaço Mítico desta semana darei continuidade ao relato do playtest fechado do Gaia RPG. Para quem não acompanhou a coluna nestes últimos dias, o Gaia RPG é uma produção autoral de Tio Lipe, que escreve na coluna Santuário do Mestre aqui no Mundos Colidem. A primeira parte do playtest vocês podem conferir na minha última postagem intitulada Criando cenário Colaborativo: Gaia Playtest e saber mais sobre o jogo e como está rolando a campanha.

Regras rápidas para Espada & Feitiçaria

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

 

Nos últimos anos, a minha vivência com o RPG tomou caminhos bem diferentes dos que o garoto de 13 anos que jogou AD&D em meados de 1995 escolheu, especialmente quando comecei a usar o RPG como ferramenta pedagógica nas minhas aulas. Alguns anos de luta e experiência com o RPG na educação foram relatados no artigo É possível usar o RPG em Sala de Aula? Nesse meio tempo, junto com meus companheiros do Mundos Colidem, durante as nossas conversas online sobre game design, cenários e algumas coisitas mais eu me atrevi a enveredar na produção de jogos, tentando brincar com a arte do design de jogos.

Potiguares: um jogo minimalista sobre o cotidiano indígena

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

No episódio anterior da Caixa do Lima, apresentei um cenário com a temática Afro-futurismo que inscrevi no Concurso Alphaversos, o Afro Rangers, que se passa em um futuro pós apocalíptico, onde a sociedade Iorubana é a única remanescente de um conflito nuclear que ocorreu no século XXII.

Dando sequência às produções autorais, gostaria de apresentar aos meus fiéis leitores o Potiguares: os moradores do Rio Grande do Norte. Trata-se de um minijogo que desenvolvi para a utilizar nas aulas de cultura e tradições indígenas, com foco nos índios Potiguares que habitavam o litoral do estado do Rio Grande do Norte, no nordeste do Brasil.

Resenha sobre o Espadas e Punhais

Olá caros leitores je suis Necrolas do Pontos de Ignição, desculpem pelo hiato mas ,infelizmente fui tragado entre linhas do tempo e tive de lutar com entidades cósmicas chamada família para poder sair vivo e voltar a escrever para vocês 1Dx leitores. Volto esse ano com a corda toda e já apresento a vocês o rpg Espadas e Punhais criado pelo Álvaro Botelho do site Falando de RPG (o link do playtest mais novo e o anterior disponíveis estará no fim dessa matéria).

...

Nova Amsterdã: O Conhecimento sobre os Mythos

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

 

No último episódio da Caixa do Lima, conversamos sobre a sequência da postagem a Aventura vai Começar (Parte 1 e Parte 2), que é uma série de artigos direcionada para os iniciantes — e porque não, para os curiosos e desejosos de outras alternativas — no Sistema Fate.

No episódio de hoje, vamos voltar a nossas atenções para Nova Amsterdã, um cenário para Fate Acelerado que estou desenvolvendo em parceria com Gilberto “Joka” Olímpio, e que foi abordado anteriormente em nossas respectivas colunas. Vamos a retrospectiva? Nova Amsterdã 1646: Os Mythos chegam ao nordeste holandês, Nova Amsterdã 1646: O estranho ocaso da vila do Bonfim e Folclore Brasileiro e Cthulhu: Nova Amsterdã. Essas postagens falaram um pouco da nossa ideia no cenário que está sendo produzido, então vale a pena dar uma conferida. E vou aproveitar o ensejo deste texto, para ao final explicar algumas modificações que foram feitas na proposta ao longo dos testes nos últimos meses.

A Ferro e Fogo – Cortex Shounen

Olá,

Feliz Ano Novo, 2d8 leitores! Em dose dupla! Porque além da passagem do ano ocorrida entre a última postagem de 2017 e esta, a primeira postagem de 2018, esta semana é a semana do Ano Novo Chinês! Dia 16 começa o ano do Cão de Terra, o 4716º ano do Calendário Chinês. E como é tradição aqui na coluna do Lugar Nenhum, em comemoração à chegada do ano do cachorro, este capítulo possuirá uma temática oriental, trazendo pra vocês um hack do Sistema Cortex para animes Shounen: O Cortex Shounen. 😀

É possível utilizar o RPG em sala de aula?

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

 

Essa semana na Caixa do Lima (outrora Nomos), esta coluna onde vos falo quinzenalmente (pelo menos me esforço para tanto), venho dialogar com meus poucos e fiéis leitores sobre o uso do RPG na educação.

AVISO:

ESSE ARTIGO RELATA A MINHA EXPERIÊNCIA COM O USO DO RPG EM SALA DE AULA

Desde o meu ingresso na docência por volta do ano de 2007, até os tempos atuais — já são mais de dez anos em sala de aula, até eu me assustei quando fiz essa conta — uma pergunta sempre me perseguiu:

é possível utilizar o RPG em sala de aula?

E após muitos anos de experiências com o RPG em sala de aula, nem tudo são rosas, nem todos os experimentos são exitosos ao longo de um tortuoso caminho de persistência e resistência para chegar ao que consegui hoje — que ainda não é o modelo ideal, mas já mostra muitos avanços na minha pesquisa.

Cruzados: Jornada à Terra Santa

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima (outrora Nomos), esta coluna onde que vos falo quinzenalmente, gostaria de apresentar para vocês o Cruzados: Jornada à Terra Santa, o segundo minijogo de minha autoria, dessa vez com uma temática medieval e bastante influenciado pelo Medievo RPG. Segundo minijogo? Mas cadê o primeiro? O primeiro minijogo produzido, Sobreviventes: um jogo minimalista de sobrevivência pós-apocalíptica, aborda um mundo devastado por um apocalipse zumbi. Para ambos os jogos, vocês só precisam de alguns pedaços de papel, lápis, borracha, um punhado de dados de seis lados — os famosos d6 — e uma cópia dos folhetos dos jogos.

Cruzados é um minijogo sobre a Jornada à Terra Santa, onde os jogadores são membros de uma cruzada cristã.

Cruzados, introdução.

Hora da Aventura RPG – Grupo No Fucking Way

Olá, Galerinha!

Os dias foram meio corridos aqui pelas terras do cuscuz com ovo e pão com mortadela, mas não podemos deixa de pegar nosso trem. Não dá pra parar! Esta semana vamos dar sequência a nossas viagens e desta vez vamos voltar à terra de Ooo para falar de um novo grupo de heróis. Então um abraço a todos e vamos que vamos!

Sobre esta publicação

Após a nossa resenha sobre a Hora da Aventura RPG e com a chegada desse material finalmente às mãos dos leitores, eu vejo a galerinha querendo arrancar os cabelos da cabeça em um êxtase delirante. Então, acho que podemos começar a nos animar para produzir coisas bacanas pra ele. E, claro, não poderia deixar de falar, galera, que o livro ficou “BA BA DO”. A retropunk botou pra quebrar! Ficou tão bom quanto sua versão gringa. O papel de ótima qualidade, além de manter o mesmo tamanho do original. Deixo meus parabéns pelo trabalho dessa galera que vem inovando no mercado rpgístico.

Para nosso encontro de hoje gostaria de apresentar um grupo de heróis totalmente inusitados os “No Fucking Way”.

Medievo: Testes de Vontade

Olá, pessoal!

Mesmo com os dias turbulentos dos últimos meses, as produção no Mundos Colidem seguem em alta. Ah sim, a quest que me atormentou durante a última postagem foi vencida, mas terminei apenas com um ponto de vida. Mas ainda assim, foi vencida e empalada. Não acredito que ela retorne — não agora, pelo menos. E eu estou aqui, pela segunda vez fazendo uma postagem de última hora; perdoem-me os erros.

No último domingo, o evento Calango Lúdico completou um ano, em sua 13ª edição de forma brilhante, cumprindo seu objetivo de ser um evento aberto, servindo como espaço de integração entre todas as tribos, unificando jogadores iniciantes e experientes em prol da diversão lúdica, do aprendizado e da troca de informações.

As Terças de RPG seguem se consolidado como espaço para playtest de sistemas e técnicas narrativas, sendo nesse dia que vocês podem conferir algumas da produções autorais do Mundos Colidem em testes abertos para todos que estiverem interessados e conhecer novos narradores e jogadores. As informações sobre os playtests e mesas disponíveis nas Terças de RPG estão na fan page do Mundos Colidem. E quando falo sobre produção autoral, estou me referindo ao Medievo e o Nova Amsterdã, sendo o segundo uma parceria com o Joka do Espaço Mítico.