Discworld para Fate Acelerado

Olá, galerinha!

Aproveitando esse feriadão, resolvi organizar as prateleiras com jogos e livros, a papelada das campanha, one-shots e adaptações. No meio de todas as coisas, encontrei um velho one-shot onde que narrei uma adaptação bem divertida e resolvi modificá-la e apresentar para vocês.

Nossa viagem vai nos levar a um mundo inquieto que navega pelas correntes do universo, nas costas de uma grande tartaruga. Aqui, os deuses, apesar de serem pequenos, não deixam de ser grandes, os bárbaros escrevem livros, as cabeleireiras são heroínas e os sacrifícios adoram ser sacrificados.

Então, amigos, apertem bem seus cintos e guardem bem suas magias para que elas não fujam; nossa próxima parada é o Discworld.

Senhor dos Anéis FAE – Regras para Jornadas

Olá Camaradas!

Nesta semana vamos novamente dialogar sobre a adaptação de O Senhor dos Anéis para Fate Acelerado. E enquanto escrevo esses apontamentos para vocês, estou ouvindo a faixa dois – Concerning Hobbits – do álbum da Sociedade do Anel, de Howard Shore. Sempre que vou começar a planejar uma aventura no universo de O Senhor dos Anéis, costumo ouvir essa faixa e pensar: O que pode dar de errado? Essas e outras deambulações sobre planejamento no cenário, pretendo deixar para o arquivo final da adaptação — sim, já estou trabalhando nele. O último feriadão foi quase todo dedicado à escrita, testes e revisões para esta Jornada. E inclusive, no último domingo, realizei um playtest com alguns amigos do Mundos Colidem e antes do final desta postagem falarei sobre a aventura de páscoa na Terra Média.

Criando aventuras pelo Fate Fractal

Algumas vezes, narradores tem muita dificuldade em fazer um planejamento de suas aventuras antes da sessão de jogo. Em certos momentos criam material em excesso que nunca verá a “luz dos jogadores” ou simplesmente não sobreviverá aos planos deles e será colocado todo abaixo. Já em outros dias, o planejamento sai mais fraco, com anotações que ajudam muito pouco ou que atrapalham mais do que contribuem. As vezes, você ainda não sabe fazer uma preparação eficiente, seja por falta de experiência, seja por estar começando agora. Isso acaba por levantar a questão sobre o que podemos fazer para amenizar e até, talvez, evitar estes problemas?

Evolution Pulse: primeiro playtest

No último Calango Lúdico, no dia nove de abril, finalmente tive a oportunidade de fazer um playtest público do Evolution Pulse, o RPG de horror pós-cyberpunk pós-apocalíptico que está em financiamento coletivo no Catarse pela editora estreante Fábrica. Apesar do pouco público devido à ameaça de chuva, contei com a presença de dois jogadores que aguardavam para conhecer Evolution Pulse. Para os personagens prontos, utilizei os modelos de fichas traduzidas para o EP que foram disponibilizadas na página do Catarse, além de criar alguns recursos extras:

  • Os props que usei (imagens e gráficos variados) para ambientar os jogadores no cenário, além de um sumário dos diferentes tipos de abordagens;
  • As fichas de personagem prontas, com dois executores diferentes de cada tipo;
  • Um conjunto de fichas de Hekath variadas, para servirem de oponentes.

Avatar FAE: Atualização das Regras de Dobra

Olá, Camaradas!

Aqui estamos em mais uma sexta-feira no Nomos. E desta vez, começo nosso diálogo com uma boa notícia, na verdade uma ótima notícia. Estão prontos? O Mundos Colidem iniciou uma parceria com a Conexão Fate, uma referência nacional sobre o sistema. E como aqui no MC as sextas-feiras já são conhecidas como o dia do Fate, eu e o Grande Papai Smurf, Petras, nos tornamos os representantes do coletivo no fanzine nacional sobre o Fate/FAE. Desde já gostaríamos de agradecer ao Fábio Silva pelo convite, e reforçar o nosso comprometimento com o crescimento e a longevidade da iniciativa.

Guardiões da galáxia para FAE – Os Vilões!

E como prometido, aqui estão as fichas do principais oponentes dos Guardiões — exatamente como vistos no filme.

Como Treinar seu Sistema III – Aspirações e Objetivos

Olá,

Salve, Salve, 2d8 leitores! Peço perdão pelo atraso da postagem, é que ontem eu estava completamente destruído quando cheguei da viagem que fiz pra Sampa no final de semana. Por mais que eu tivesse uma idéia do que fazer, o desgaste não me permitiu mais do que tentar recuperar o sono perdido. No último capítulo, tivemos uma adaptação de Mouse Guard para D&D 5.0, realizando minha participação na formação sentai com a adaptação de Hélio pra Crônicas RPG e do Tio Lipe para Savage Worlds – e, dizem as lendas, a adaptação pra FAE que Joka trará na sua coluna. Neste capítulo retomarei a série “Como Treinar Seu Dragão Seu Sistema”, que tem como objetivo auxiliar na adaptação de regras, mecânicas e conceitos de um sistema para o outro.

Guardiões da Galáxia para Fate Acelerado

Curiosamente, um dos supergrupos mais divertidos da franquia cinematográfica recente da Marvel — e estou falando dos Guardiões da Galáxia — começou de uma forma bem diferente da que conhecemos pelo filme e desenho animado. Vamos conhecer neste artigo um pouco de sua história e, de quebra, as fichas da mais recente formação da equipe.

Ghost Planets: Aventuras da Tropa de Xenohistória

Ghost Planets faz parte dos lançamentos de Mundo de Aventuras para Fate, um conjunto de cenários completos com regras especiais para seu gênero e que conta as aventuras da Tropa de Xenohistória, uma instituição do Conselho Mundial, que governa a Terra e suas colônias no século XXIII, para evitar que o seu planeta natal se torne mais um Planeta Fantasma.

Brincando com Fate

Olá Camaradas!

O Nomos está voltado as suas postagens regulares, agora nas sextas, após esse breve recesso do Mundos Colidem. E o papo continua sendo o Fate. Em 2016, fui agraciado com o retorno às minhas aulas no nível Fundamental II, onde desde 2012, passei a utilizar o RPG como ferramenta metodológica em sala de aula.

Nas aulas de História (através de um projeto pedagógico que faz uso do RPG no ensino da disciplina), desenvolvi o RPG Medievo e em 2013, em uma parceria com o também professor Robson Carmo, passamos a desenvolver atividades com alunos do 4º e 5º ano do ensino Fundamental e acabamos desenvolvendo o cardgame A Guerra dos Bárbaros, um hack de O Hobbit, de Martin Wallace.

Mas qual o objetivo de desenvolver atividades com RPG na escola?