A aventura vai começar – Parte II

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Primeiramente gostaria de desejar um feliz novo ciclo a todos que acompanham a Caixa do Lima, a todos os leitores do Mundos Colidem e aos amantes desse joguinho maravilhoso de rolar dados que surgiu há mais de quarenta anos. E nesse retorno/renascimento das atividades da Caixa, vamos atender a pedidos e falar de Fate, dando sequência a uma das postagens com grande feedback neste ano que se passou. E aproveitando o ensejo e oportunidade, e fazer o jabá para o nosso “Índice Mundos Colidem para FATE Acelerado“. É só clicar e ir para o abraço.

A Aventura vai Começar” foi publicada em 10 de fevereiro de 2017 e abordava dicas para os narradores começarem uma aventura no sistema Fate de forma dinâmica, com sugestões para o processo de construção de personagens, além de algumas pequenas dicas de organização da narrativa. Em A Aventura vai Começar – parte II, a proposta é dar um suporte aos narradores com algumas dicas que podem ser úteis na organização da aventura, e quem sabe, para seu sucesso, garantindo a diversão dos participantes.

Fichas para Fate Básico

Fichas para Fate Básico, baseadas na versão da Solar Entretenimento, em versão PDF, podendo ser apenas a versão impressa ou a impressa preenchível.

Um Grito na Noite – Aventura de Persona 4 para Cortex Plus

Olá,

No dia 15 de outubro de 2017 ocorreu o evento Anima Con aqui na cidade de Natal/RN, um evento para fãs de animes e mangás, com espaço também para outras áreas afins, como o k-pop, card game, jogos eletrônicos, boardgame e RPG. Nós, do Mundos Colidem, fomos chamados para auxiliar na organização da parte de RPG, em parceria com a Ludobox que estava organizando a parte de boardgames. Por ser um evento de anime, foi decidido que todas as aventuras-prontas mestradas no evento seriam na ambientação de algum anime, escolhendo-se sistemas adequados para um jogo naquele cenário. Assim, levamos seis mesas: Blame!, mestrado por Lima no sistema do Savage Worlds; Boku no Hero, mestrado por Robson no sistema Icons; Naruto, mestrado por Tio Lipe no sistema do 3D&T Alpha; One Piece, mestrado por Joka no sistema do Open Legends; Fullmetal Alchemist, mestrado por Necrolas no sistema do Savage Worlds; e Persona 4, mestrado por mim, Leish, no sistema do Cortex Plus. Ainda na linha da postagem anterior, eu trago no capítulo de hoje, uma análise sobre o sistema Cortex Plus que tenho utilizado em meus jogos shounen, a aventura-pronta e as fichas de personagens que foram utilizadas – cujos experimentos acabaram resultando no Cortex Shounen, que você pode conferir clicando aqui.

Analisando a criação de sistemas

Olá pessoas!
Bem-vindos a mais uma postagem do Santuário do Mestre. Para quem não lembra (ou não viu), há duas semanas eu falei sobre o Gaia RPG, o sistema que estou desenvolvendo para fantasias medievais e que pretendo que seja gratuito, aberto e acessível. Na postagem, eu comentei que o jogo ainda precisa da realização de alguns testes fechados para que possa ser distribuído, e justamente no dia 01 de outubro tivemos o nosso segundo playtest na primeira edição do novo evento aqui do site, o Encontros Mundos Colidem de RPG (ou apenas EMC). Não entrarei em detalhes, uma vez que este é um assunto para outra postagem, mas o resultado foi muito positivo e alguns ajustes já foram feitos e outros estão sendo analisados. Contudo, eu abri a postagem de hoje falando sobre isto pois o assunto que abordarei trata-se justamente do processo para a criação de sistemas.

Armas Envenenadas para FAE Senhor dos Anéis

Olá, faz algum tempo que eu não escrevia nesta coluna, atarefado com as inúmeras quests (como diria o amigo Raphael Lima) da vida. Mas arrumei um momento para escrever algo que ele tinha vontade de emular em sua adaptação de Senhor dos Anéis para Fate Acelerado: Armas Envenenadas (e por consequência, venenos).

Os exploradores de hexágonos: Recursos

Os exploradores de hexágonos é uma série de postagens sobre a modalidade de campanha conhecida como hexcrawl-sandbox. Aqui, veremos alguns links sobre o assunto para quem quiser aprofundar sobre o tema, bem como sugestões de materiais para usar na hora de construir seu próprio cenário de exploração hexagonal. A Espaço Mítico é uma coluna escrita pelo colaborador e membro do coletivo Mundos Colidem, Gilberto “Joka” Olimpio, e apresenta um material mais técnico, voltado para ferramentas de mestragem, resenhas, Teoria do RPG e dicas para iniciantes.

Folclore brasileiro e Cthulhu: Nova Amsterdã 1646

O nosso país, por possuir uma imensidão praticamente continental e uma variedade de povos, acaba por ter uma riqueza surpreendente em seu folclore e regionalismos. Em conjunto com meu amigo Raphael Lima, da coluna Nomos aqui do Mundos Colidem, elaboramos a seguinte proposta: Como os Mythos de Cthulhu afetariam nossa história e folclore se tivessem existido aqui?

Tokyo Ghoul para FAE

Olá Galerinha!
Parabéns atrasados a todos os nossos amigos Nerds! Que esse 25 de maio tenha sido fantástico para todos, com muita diversão! Agora, vamos revisar os itens de nossa mala: escova de dentes, coca cola, sabre de luz, nintendo 3ds, camisa “BAZINGA!”, mangas, muitos botons, DVDs do Star Trek, dados mágicos e por último, nossa velha e querida toalha.
Com as malas prontas, vamos viajar para um mundo obscuro, um mundo repleto de horror e com os mais saborosos tipos de cafés, nossa próxima parada é a Tóquio sobrenatural de Tokyo Ghoul.

Como Treinar Seu Sistema IV – Sobre Criar seu Sistema, OGLs, Creative Commons e outras Licenças

Olá,

Saudações, caríssimos 2d8 leitores! Nos capítulos anteriores eu falei sobre os cenários de D&D elaborados pela TSR e pela WotC – e dei uma aprofundada em um dos meus xodós no último capítulo, o “Masque of the Red Death” que apresenta regras para jogar D&D na Era Vitoriana. Eu pretendo, nos próximos capítulos, falar sobre outros cenários e, se possível, trazer adaptações para a 5ª edição – seja autoral ou alguma adaptação encontrada na internet. Porém, neste capítulo eu trago um assunto que surgiu em uma discussão que presenciei semana retrasada, sobre criação de um sistema próprio de RPG. Vou aproveitar e falar um pouco sobre a OGL, o Creative Commons e as demais licenças de alguns sistemas de RPG, sobre os quais muitas pessoas têm curiosidade de como funcionam e cujo conhecimento são essenciais para quem deseja criar seu próprio sistema.

Ficha de aventura fractal para FAE/Fate

E retornamos as Aventuras Fractais para FAE/Fate da nossa postagem anterior, trazendo agora uma ficha de aventura fractal traduzida para o português da Sophie Lagacé, autora do incrível cenário War of Ashes para FAE. A ficha pode ser encontrada AQUI graças ao nosso poderoso Petras da Encruzilhada dos Mundos que por livre e espontânea pressão elaborou o material para nós. Mas isso não é tudo, em nossas próximas linhas, os ajudaremos a preencher a ficha com uma aventura exemplo para vocês usarem e se divertirem com seus amigos, bastando apenas imprimir e levar para sua próxima sessão!