Fullmetal Alchemist para Savage Worlds Parte II

Olá je suis Necrolas do Pontos de Ignição e trago a vocês hoje um material de suporte para jogadores e narradores que desejem enveredar no mundo de Fullmetal Alchemist. Com uma surpresinha no final pra galera que curte FATE.

Lugar Nenhum para D&D 5E – Academia Arcana Breasail

Olá,

Saudações, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana descreverei a Academia Arcana Breasail, a escola de magia do cenário Lugar Nenhum para 5E, a engine do D&D 5ª edição.

Lugar Nenhum – Cenário de Magia Contemporânea para D&D 5

Olá,

Saudações, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana, trago um cenário autoral de escola de magia que pretendo adaptar inicialmente para 5E, a engine do D&D 5ª edição!

Star Trek para Fate Acelerado

Eis-me aqui de volta à Encruzilhada dos Mundos, desta vez com a adaptação de uma das minhas séries de TV e cinema favoritas, Star Trek, para um de meus sistemas favoritos de RPG, Fate Acelerado. Acompanha fichas de personagens e naves estelares, audaciosamente indo onde RPGista nenhum jamais esteve!

OK, esta última parte não é bem verdade. Muita gente já narrou e jogou em Star Trek

Nova Amsterdã: Lidando com sanidade e loucura

O ano virou e finalmente retomamos às atividades aqui na coluna Espaço Mítico. Eu sou o Gilberto “Joka” Olimpio, responsável por este espaço onde já passaram muitas dicas para narradores novatos, sugestões de livros sobre narração, artigos sobre hexcrawl, resenhas de sistemas, uma adaptação bacanuda para Fate Acelerado de Mouse Guard, discutimos Fate Fractal, disponibilizei aventuras prontas para o sistema Medievo (e que é facilmente adaptável para outros sistemas), e a recente participação em peso do Mundos Colidem no concurso Alphaversos, como pode ser conferido na postagem de Leish com seu cenário Yousei.

Nova Amsterdã: O Conhecimento sobre os Mythos

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

 

No último episódio da Caixa do Lima, conversamos sobre a sequência da postagem a Aventura vai Começar (Parte 1 e Parte 2), que é uma série de artigos direcionada para os iniciantes — e porque não, para os curiosos e desejosos de outras alternativas — no Sistema Fate.

No episódio de hoje, vamos voltar a nossas atenções para Nova Amsterdã, um cenário para Fate Acelerado que estou desenvolvendo em parceria com Gilberto “Joka” Olímpio, e que foi abordado anteriormente em nossas respectivas colunas. Vamos a retrospectiva? Nova Amsterdã 1646: Os Mythos chegam ao nordeste holandês, Nova Amsterdã 1646: O estranho ocaso da vila do Bonfim e Folclore Brasileiro e Cthulhu: Nova Amsterdã. Essas postagens falaram um pouco da nossa ideia no cenário que está sendo produzido, então vale a pena dar uma conferida. E vou aproveitar o ensejo deste texto, para ao final explicar algumas modificações que foram feitas na proposta ao longo dos testes nos últimos meses.

A aventura vai começar – Parte II

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Primeiramente gostaria de desejar um feliz novo ciclo a todos que acompanham a Caixa do Lima, a todos os leitores do Mundos Colidem e aos amantes desse joguinho maravilhoso de rolar dados que surgiu há mais de quarenta anos. E nesse retorno/renascimento das atividades da Caixa, vamos atender a pedidos e falar de Fate, dando sequência a uma das postagens com grande feedback neste ano que se passou. E aproveitando o ensejo e oportunidade, e fazer o jabá para o nosso “Índice Mundos Colidem para FATE Acelerado“. É só clicar e ir para o abraço.

A Aventura vai Começar” foi publicada em 10 de fevereiro de 2017 e abordava dicas para os narradores começarem uma aventura no sistema Fate de forma dinâmica, com sugestões para o processo de construção de personagens, além de algumas pequenas dicas de organização da narrativa. Em A Aventura vai Começar – parte II, a proposta é dar um suporte aos narradores com algumas dicas que podem ser úteis na organização da aventura, e quem sabe, para seu sucesso, garantindo a diversão dos participantes.

Armas Envenenadas para FAE Senhor dos Anéis

Olá, faz algum tempo que eu não escrevia nesta coluna, atarefado com as inúmeras quests (como diria o amigo Raphael Lima) da vida. Mas arrumei um momento para escrever algo que ele tinha vontade de emular em sua adaptação de Senhor dos Anéis para Fate Acelerado: Armas Envenenadas (e por consequência, venenos).

Moana: Um Mar de Aventuras para Fate Acelerado – Parte III

Saudações, navegantes!

 

Nas últimas duas semanas apresentei alguns apontamentos sobre uma “adaptação” de Moana: Um Mar de Aventuras para Fate Acelerado, onde mais uma vez acreditei que estaria finalizando essa série sobre a princesa Disney polinésia, mas o Fate Ferramentas do Sistema — lançado recentemente pela Solar Entretenimento — está fazendo questão de me mostrar que ainda existe muito a ser abordado nessa proposta, e dessa vez não direi que esta será a última postagem. Escrever sobre Moana para FAE, tem sido muito especial para mim, pois fazia tempo que não escrevia com tantas ideias, fluindo cada vez mais facilmente. Como professor e pai, a obra infantil sobre a cultura polinésia — que assisti mais duas vezes nessa última semana — contabilizando 33 visualizações — é emocionante e inspiradora para conhecermos mais sobre a cultura Maori.

Moana: Um Mar de Aventuras para Fate Acelerado – Parte II.

Saudações, navegantes!

 

Na última semana compartilhei uma ideia, a adaptação de Moana: Um Mar de Aventuras para Fate Acelerado e encerrei a postagem falando que se um dia voltasse – por isso chamei de apontamentos, pois não tinha a intenção de trabalhar essa proposta – a mexer nessa adaptação, falaria sobre embarcações.

E segundo o ditado popular, “nunca diga nunca”, em menos de uma semana, graças ao feedback positivo da comunidade e piadinhas internas no Mundos Colidem – alguns pediam até adaptação de Princesinha Sofia – retorno com a segunda parte dos apontamentos para Moana: Um Mar de Aventuras para Fate Acelerado.