Lugar Nenhum para D&D 5E – Academia Arcana Breasail

Olá,

Saudações, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana descreverei a Academia Arcana Breasail, a escola de magia do cenário Lugar Nenhum para 5E, a engine do D&D 5ª edição.

Lugar Nenhum – Cenário de Magia Contemporânea para D&D 5

Olá,

Saudações, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana, trago um cenário autoral de escola de magia que pretendo adaptar inicialmente para 5E, a engine do D&D 5ª edição!

Tocados pelo Terror – Cenário de terror de bolso

Sejam bem vindos, caros leitores, à coluna desta semana. Meu nome é Joka e sou responsável pela Espaço Mítico. Hoje, eu apresento a vocês um micro-cenário de terror pós-apocalíptico para 3D&T Alpha que vem sendo desenvolvido por mim em um jogo que estou narrando e que acabou servindo como uma luva para o Concurso Alphaversos.

Afro Rangers: micro-cenário para 3D&T

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

No episódio dessa semana da Caixa do Lima, o papo é sobre um micro-cenário desenvolvido para o Concurso Alphaversos, que ocorreu no último carnaval, organizado pela galera do site Rpgista. Foi uma experiência muito divertida, onde boa parte dos integrantes do Mundos Colidem participaram, como relatado pelo Leish em sua postagem Yousei – cenário de fantasia de bolso.

A diversão se deu pelo fato inacreditável de apenas recentemente eu ter sido apresentando ao 3D&T — pois é, um sistema que está no mercado há tanto tempo e com tanto sucesso — descobrindo um sistema simples, divertido e com muito potencial para produções independentes. Então peguei uma ideia que estava maturando há algum tempo, e o resultado foi o cenário inscrito no concurso, que vou apresentar agora a vocês.

Como Treinar Seu Sistema IV – Sobre Criar seu Sistema, OGLs, Creative Commons e outras Licenças

Olá,

Saudações, caríssimos 2d8 leitores! Nos capítulos anteriores eu falei sobre os cenários de D&D elaborados pela TSR e pela WotC – e dei uma aprofundada em um dos meus xodós no último capítulo, o “Masque of the Red Death” que apresenta regras para jogar D&D na Era Vitoriana. Eu pretendo, nos próximos capítulos, falar sobre outros cenários e, se possível, trazer adaptações para a 5ª edição – seja autoral ou alguma adaptação encontrada na internet. Porém, neste capítulo eu trago um assunto que surgiu em uma discussão que presenciei semana retrasada, sobre criação de um sistema próprio de RPG. Vou aproveitar e falar um pouco sobre a OGL, o Creative Commons e as demais licenças de alguns sistemas de RPG, sobre os quais muitas pessoas têm curiosidade de como funcionam e cujo conhecimento são essenciais para quem deseja criar seu próprio sistema.