Tokyo Ghoul para FAE

Olá Galerinha!
Parabéns atrasados a todos os nossos amigos Nerds! Que esse 25 de maio tenha sido fantástico para todos, com muita diversão! Agora, vamos revisar os itens de nossa mala: escova de dentes, coca cola, sabre de luz, nintendo 3ds, camisa “BAZINGA!”, mangas, muitos botons, DVDs do Star Trek, dados mágicos e por último, nossa velha e querida toalha.
Com as malas prontas, vamos viajar para um mundo obscuro, um mundo repleto de horror e com os mais saborosos tipos de cafés, nossa próxima parada é a Tóquio sobrenatural de Tokyo Ghoul.

Tokyo Ghoul

Assassinatos estranhos estão acontecendo em Tóquio. Devido à evidência líquida na cena, a polícia conclui que os ataques são os resultados de ghouls do tipo “comedor”. Os amigos da faculdade, Kaneki e Hide, aparecem com a idéia de que os ghouls estão imitando os seres humanos e é por isso que eles nunca viram um. Pouco sabiam que sua teoria poderia muito bem se tornar realidade.

Tokyo Ghoul é uma série de mangá criada por Sui Ishida. Teve seu primeiro capítulo publicado em 8 de setembro de 2011 e teve o último em 18 de setembro de 2014. A série conta com uma seqüência nomeada como Tokyo Ghoul: Re, ainda não terminada.
Em Tokyo Ghoul, criaturas conhecidas como Ghouls vivem entre os humanos e os devoram para sobreviver. Alheio a isso, o jovem universitário Ken Kaneki leva uma vida comum e tranquila até que um trágico incidente o coloca frente a frente com uma dessas criaturas, obrigando-o a lutar por sua vida, o que não termina como esperado, mas sim o transformando em um desses monstros.
A obra também conta com adaptações em anime para a televisão, uma peça teatral e, como foi anunciado, em breve, um filme no estilo live-action. Além disso, é possível encontrar diversos produtos relacionados à obra, como miniaturas, camisas, mascaras e etc..

Sobre a nossa adaptação

Para nossa adaptação, vamos utilizar o sistema de regras Fate Acelerado — FAE. Aqui no Mundos Colidem, já foram apresentadas muitas adaptações e matérias para esse sistema formidável, que chama a atenção de muitos narradores e mestres por sua versatilidade e facilidade. Vamos apresentar algumas modificações, mas, como gosto sempre de ressaltar, não é necessário utilizar todos os elementos apresentados: caso algum deles não se encaixe na proposta que você quer passar em sua mesa, ignore. Além disso, para essa adaptação vamos utilizar as informações retiradas da serie Tokyo Ghoul e de sua respectiva continuação Tokyo Ghoul: Re.
Caso ainda não tenha adquirido seu exemplar de Fate Acelerado, corre e adquira na loja da Editora Solar.

Tons de cinza

A filosofia, literatura e a ficção apresentam a moralidade sendo abordada como uma questão de bem e mal, certo e errado, preto e branco. Em Tokyo Ghoul, os personagens caminham em uma linha entre esses dois pontos. Tendo uma personalidade bem mais definida, esses personagens sofreram com a violência, a perda de seus pais, a morte de um ente querido, foram escravizados, banhados pelo sofrimento, vivendo escondidos em esgotos, além da dor e da sensação de fome constante prestes a explodir e tirar a vida da pessoa mais amada.
Você é um Ghoul, uma espécie carnívora e canibal que só é capaz de se alimentar de seres humanos e de outros ghouls. Está mergulhado em escuridão e nas incertezas constantes em um mundo de horror. O seu mundo.

Características Ghoul

Aparência: os ghouls possuem a aparência igual à de um humano normal.
Físico: sua força e resistência conseguem ser entre quatro a sete vezes maior que a de um humano normal, além de um poderoso olfato aguçado que lhe permite identificar humanos e ghouls.
Dieta: os alimentos normais possuem um sabor horrível, além de não serem digeridos pelo corpo de um ghoul, o fazendo vomitar tudo no mesmo instante, ou em alguns casoS, quando treinado, em minutos depois de ingerido. Apenas a carne humana é necessária para sustentar seu corpo, mas além disso, o ghoul ainda pode ingerir cafés e água.
Kakugan: o kakugan se manifesta tornando a íris vermelha e a esclera negra. Ocorre quando um ghoul está excitado, com fome extrema ou quando usam suas kagunes, sendo essa a marca registrada de um ghoul.
Kagune: o kagune é um órgão predador de um ghoul e funciona como sua arma e garras. Flexível como a água, tão vermelho quanto o sangue, mas bem resistente. Pode ser endurecido ou amaciado de acordo com a vontade. Já a sua forma depende da criatividade e intelecto do usuário. Os kagunes são divididos em quatro tipos:

  • Ukaku: liberado através do ombro, semelhante a penas, também é especializado em ataques rápidos. É possível cristalizar esse kagune para lançar poderosos projeteis à distância, além de poder ser usado como um escudo. [Ponto forte: Velocidade] [Ponto Fraco: Resistência]
  • Koukaku: liberado abaixo da omoplata. Tendo uma alta densidade de células RC, é pesado e robusto, sendo adequado para a defesa. Normalmente são moldados em armaduras ou escudos, ou de maneira ofensiva, em uma diversidade de armas corpo a corpo. [Ponto forte: Resistência] [Ponto Fraco: Velocidade]
  • Rinkaku: Tem sua aparência semelhante a tentáculos, liberado nas costas ao redor da cintura. Suas estruturas os fazem fortes e maleáveis. Geralmente, o usuário é capaz de criar entre um a oito tentáculos, ou mesmo reunir todos para criar apenas um poderoso tentáculo. [Ponto forte: Força] [Ponto Fraco: Resistência]
  • Bikaku: liberado a partir do cóccix, tem a aparência de uma cauda, sendo considerada a kagune mais equilibrada, não demonstrando pontos forte ou fracos notáveis.

A Máscara: a máscara não e uma característica física ou fisiológica, mas é algo importante no universo ghoul. É construída tendo como finalidade encobrir a identidade do ghoul tornando assim mais difícil sua identificação por parte das forças policiais.

Criação de personagem e modificações no sistema

Agora, vamos seguir com os passos para a criação do personagem e inserir as mudanças nas regras e mecânicas novas.
1º Passo: Nome e Aparência.

2º Passo: Aspectos.

  • Conceito
  • Dificuldade
  • Kagune: aqui o personagem determina qual o tipo de kagune seu personagem possui.
  • Dois aspectos adicionais.

caso o narrador/mestre queira deixar as coisas bem mais dramáticas pode determinar que todas as dificuldades são na verdade um trauma que o personagem passou, como ter sido violentado, as memórias da morte de seus pais, algo que abale psicologicamente e emocionalmente.

3º Passo: Abordagens.
As abordagens seguem conforme o modelo original apresentado no livro.
4º Passo: Façanhas e Recargas.
A recarga inicial de um personagem Ghoul é de cinco pontos, diferente dos três habituais do sistema.
5º Passo: Características Especiais.
Neste passo vamos inserir características especiais que todo ghoul possui. Elas poderão ser somadas Às façanhas comuns que o personagem venha a ter.

  • Físico Ampliado: o personagem recebe um bônus de +2 em todos os testes físicos que realize como saltar, lutar correr e etc.;
  • Durabilidade: o personagem não é ferido por armas comuns, como facas e balas, sofrendo apenas meros aranhões; tendo como exceção algo realmente formidável como a queda de toneladas de aço;
  • Regeneração: o personagem se regenera rapidamente, recuperando 1 ponto de estresse por rodada ou reduzindo a categoria de uma complicação, por exemplo, tornando uma grave em uma moderada ou uma moderada em uma suave; e assim por diante.
  • Olfato melhorado: o personagem pode realizar testes para identificar odores a uma longa distancia e determinar se uma pessoa é humana ou não.

6º Passo: Fome.
Aqui vamos adicionar uma nova característica, Fome, que irá funcionar como um atributo variável, indo de -4 a +4. No início do jogo, o personagem deve realizar uma rolagem de dados e somar a zero. Esse resultado determina seu valor nesse atributo e sempre que o personagem se alimentar, esse atributo aumenta, de acordo com a quantidade do alimento ingerido. A Fome será testada sempre que o personagem estiver em uma situação que envolva a necessidade de se alimentar ou quando estiver frente a carne humana. A dificuldade padrão para esse teste é zero, e o jogador não pode contar com façanhas para fornecer bônus para esse teste, ou mesmo aspectos. A cada dia, esse atributo é reduzido em 1 automaticamente, aumentando assim a vontade de comer.

  • Falha: O personagem entra em um estado de frenesi descontrolado manifestando sua kakugan. Neste estado, não consegue raciocinar direito nem realizar qualquer tipo de ação mental ou social. Adquirindo esse aspecto, esse efeito só irá passar quando sua fome for saciada e voltar a ter um valor mínimo de zero nesse atributo.
  • Empate: o personagem mantém um certo nível de raciocínio, mas seu corpo automaticamente manifesta sua kakugan. Na próxima rodada, o personagem que não esteja saciado, com um valor mínimo de zero nesse atributo, irá automaticamente entrar em um estado de frenesi como se tivesse obtido uma falha nesse teste.
  • Sucesso: o personagem resiste aos seus impulsos por uma rodada, tendo que realizar um novo teste em seu próximo turno.
  • Sucesso com estilo: o personagem resiste à fome por algum tempo, até se deparar com uma nova situação em que seja necessário um novo teste.

Regeneração, Força e Fome: um personagem que consiga resistir por muito tempo à fome e chegue ao valor de -4, perdurando por vários dias nessa situação, perde os benefícios das características especiais.
Recuperação Acelerada: o personagem pode reduzir em um ponto seu valor de fome para dobrar por uma rodada sua regeneração.
Quantidade de Alimento: um corpo humano adulto fornece até dez pontos de Fome. Um braço, por exemplo, pode fornecer entre um ou dois pontos em média, então um personagem que esteja em -2 nesse atributo e que coma um braço humano, iria chegar a 0.

 

7º Passo: Degeneração.
A Degeneração mede a moralidade do personagem e o quão próximo do seu lado humano ou monstruoso o personagem está. Semelhante à Fome, ele é medido em um atributo variável de -4 a +4. Quanto mais negativo esse valor for, mais humano o personagem é. Quanto mais positivo esse valor for, mais degenerado ele será. No início do jogo o personagem deve realizar uma rolagem de dados e somar a zero para determinar seu valor inicial. A tabela abaixo mostra qual atrocidade mínima desencadeia a necessidade de um teste, que deve ser realizado sempre contra uma dificuldade “0” e com base no valor nesse atributo. Além disso o jogador não pode receber bônus por façanhas ou aspectos nesse teste.

Valor Situação
-4/-3 Realizar algo de maneira puramente egoísta, roubar, ferir alguém acidentalmente ou não.
-2/-1 Matar alguém devido a algum tipo de descontrole, influencia emocional ou psicológica. Destruição de patrimônio alheio puramente desnecessário.
0 Se alimentar compulsivamente sem sentir fome, violentações, canibalizar os da própria espécie, matar para sobreviver.
+1/+2 Causar diversos tipos de violência com grande intensidade, como matar ou torturar, por acreditar ser necessário
+3/+4 Atos hediondo inimagináveis, como chacinar várias pessoas ou causar tortura a completos estranhos apenas por prazer.

Exemplo: um personagem com o valor de degeneração em zero, devido a um estado de frenesi causado pela fome, tira a vida de outra pessoa. Ele não precisa realizar o teste de degeneração porque ele já não se sente culpado. Já o mesmo personagem entra em um conflito e tira a vida de seu oponente, pois acredita que é preciso fazer isso para sobreviver… Ele deve realizar um teste de degeneração.

  • Falha: O personagem sente remorso e tristeza pelos atos cometidos, além de ficar atormentado ou mesmo relembrando constantemente suas ações, adquirindo assim um aspecto negativo permanente, além de perder 1 ponto nesse atributo. Um personagem que falhe várias vezes pode chegar a adquirir ate três aspectos negativos e, após isso, os novos aspectos substituem os anteriores.
  • Empate: o personagem fica pensativo, adquirindo um aspecto negativo psicológico, como algum tipo de perturbação que persistirá pelas próximas 24 horas.
  • Sucesso: o personagem não sente nenhum tipo de remorso pelas suas ações.
  • Sucesso com estilo: o personagem não sente remorso algum pelo que fez, somando +1 em seu atributo de degeneração.

8º Passo: Estresse.
Em nosso jogo não iremos utilizar as caixas padrões de estresse de [-1] [-2] e [-3]. Os personagens terão 8 pontos de estresse e sempre que sofrerem algum tipo de ferimento, o valor é deduzido desse montante. As caixas de consequência permanecem iguais. Um personagem jogador pode pagar um ponto de recarga para aumentar seu total de pontos de estresse em 2 pontos.

Uma pitada de historia

Em Tokyo Ghoul, os personagens enfrentam outros ghouls, principalmente por controle de território. A polícia conta com uma unidade especial formada por homens habilidosos e equipados com poderosas armas capazes de acabar com a vida do mais poderoso ghoul. O horror e o trauma psicológico é algo constante. E, enquanto o mundo pega fogo, organizações secretas movimentam as peças desse grande tabuleiro com maestria. Isso é Tokyo Ghoul!

Despedida

Obrigado, amiguinhos! Mas nosso artigo ainda não terminou. Em nosso próximo encontro, vamos destacar as várias organizações, os Doves e suas armas, além de algumas outras regras que você poderá usar para incrementar um pouco mais suas partidas. Não se esqueça de curtir e acompanhar nossa página do Facebook para ficar sempre por dentro das novidades.

Comentários

3 Comentários

  1. Olá!
    Ótima postagem manolo. Senti falta de exemplos e um pouco mais de explicação sobre a ambientação da obra, mas há espaço para expandir o material.

    Até and Bye…

    • Hélio Alcântarasays:

      obrigado Tio, desejo me aprofundar melhor em nosso próximo capitulo em algumas organizações e trazendo aqueles personagens bem inusitados, abraçoooooooooooooos

  2. Jokasays:

    Não conhecia esse anime. E achei a proposta dele bem interessante. Me lembra o rpg vampiro a mascara, mas bem mais tenso e intenso. Quanto a parte da adaptação, bem interessante a abordagem. Tendo uma espécie de “pontos de sangue” e “humanidade” para o personagem ter que lidar. Mas seria muito bom que no próximo capítulo houvesse mais exemplos de como as mecânicas propostas funcionam.
    Só fiquei um pouco assustado com a façanha padrão do Ghoul de Regeneração. Me soa como se o combate nele pudesse se arrastar demais já que pode recuperar tanto caixas de estresse quanto de consequências. Será que não ficaria mais interessante ligar a regeneração a fome? Cada ponto de regeneração usado consome um ponto de fome.

Deixe uma resposta para Hélio Alcântara Cancelar resposta

Por favor, seja educado, nós do Mundos Colidem apreciamos isso. Seu endereço de e-mail não será publicado e os campos necessários serão marcados.