Como Treinar Seu Sistema IV – Sobre Criar seu Sistema, OGLs, Creative Commons e outras Licenças

Olá,

Saudações, caríssimos 2d8 leitores! Nos capítulos anteriores eu falei sobre os cenários de D&D elaborados pela TSR e pela WotC – e dei uma aprofundada em um dos meus xodós no último capítulo, o “Masque of the Red Death” que apresenta regras para jogar D&D na Era Vitoriana. Eu pretendo, nos próximos capítulos, falar sobre outros cenários e, se possível, trazer adaptações para a 5ª edição – seja autoral ou alguma adaptação encontrada na internet. Porém, neste capítulo eu trago um assunto que surgiu em uma discussão que presenciei semana retrasada, sobre criação de um sistema próprio de RPG. Vou aproveitar e falar um pouco sobre a OGL, o Creative Commons e as demais licenças de alguns sistemas de RPG, sobre os quais muitas pessoas têm curiosidade de como funcionam e cujo conhecimento são essenciais para quem deseja criar seu próprio sistema.

Como Treinar seu Sistema II: Entre Testes e Resultados

Olá,

 

Saudações, 2d8 leitores! No capítulo anterior do Lugar Nenhum eu trouxe o primeiro artigo da série Como Treinar Seu Dragão Sistema. Publicada originalmente no site Toca do Hutt, esta série tinha como objetivo auxiliar na adaptação de regras e conceitos de um sistema para o outro – principalmente sistemas indies que possuem mecânicas mais focadas e que podem ser bem adaptadas pra sistemas mais mainstream. Como no capítulo anterior, antes de prosseguir, vou falar sobre algumas definições que são importantes para a compreensão deste artigo – e caso você já tenha lido no capítulo anterior, pode pular os dois próximos parágrafos.

Avatar – Os Dobradores. Regra Opcional de Dobra pra Storytelling.

Olá,

 

Acho que hoje é um dia a ser lembrado na história desta seção, já que estou, milagrosamente, postando-a novamente em uma segunda após tantas tentativas fracassadas. Como anunciado no capítulo anterior, “Avatar – Os Dobradores”, eu falei sobre a elaboração de um modelo com um detalhamento maior em relação às técnicas e desenvolvimento das mesmas – para jogos mais no estilo Aang, em que os personagens realizam seu desenvolvimento de dobra enquanto se aventuram pelo mundo. Pois é, eu tenho um monstrinho perfeccionista aqui por dentro que não ficou contente só em criar um hack, tinha que ter regras alternativas para o hack. Antes de apresentá-las, devo alertar que esta não é uma postagem amigável com quem não entende do sistema Storytelling e da animação Avatar, pois se você desconhecer a ambos, vai se perder. A ideia ao escrever pela primeira vez sobre o hack e as regras alternativas era demonstrar o desenvolvimento das ideias envolvendo a adaptação – como as regras surgiram ao invés de só apresentá-las, o que é mais interessante para quem gosta de Design de RPG.

Avatar: Os Dobradores. Adaptação para Storytelling

Olá,

E finalmente chegamos em dezembro, o último mês do ano e aparentemente mais tranquilo – estamos no sexto dia e o ritmo dele já está um pouco mais light que o ritmo de novembro. Essa mudança de ritmo permitiu que eu respirasse um pouco, só que a tempestade de ideias na cabeça continua em polvorosa o que me joga na indecisão, o que me levou novamente a estar postando na Terça (isso e ter abusado um pouco numa maratona insana de Noragami que me fez dormir duas horas na segunda, após um domingo de evento). 😀 Admito que falta de organização também auxilia nisso e um dia vou fazer um modelo Lima de board pra cronograma, como o utilizado por Raphael Lima, o autor da coluna Nomos – mas até lá, vou ficar explorando o meu amigo João Neto como consultor de “Caraca, já é meia noite e eu preciso postar algo. Ajuda a decidir aqui, João!”. Portanto, este post é uma reciclagem de um dos posts antigos do Toca do Hutt, que chegou até a sair no wordpress do Mundos Colidem antes da digievolução que fizemos pra este site lindo aqui.

Changeling – Os Abduzidos

Olá,

Novembro sempre foi um mês complicado pra mim e este não fugiu à regra. Além das complicações, eu acabei me envolvendo em um projeto pessoal que tem consumido parte de meu tempo pra trazer material novo pra vocês aqui no Lugar Nenhum.