Resenha do Weird Wars 2 (Guerras Estranhas) para Savage Worlds

Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos.
— Winston Churchill, Primeiro Ministro Britânico

 

Esta frase de Winton Churchill foi proferida em 10 de julho de 1940, ao fim da batalha na qual a Luftwaffe, comandada por Hermann Goering, tentava aniquilar a RAF – Força Aérea Britânica. Goering acreditava que conseguiria derrotar a RAF em quatro dias, para permitir a Operação Leão Marinho, que iniciaria a invasão da Inglaterra. Mas a batalha durou três meses, terminando milagrosamente com a retirada dos aviões alemães do cenário.

Ryuutama

Olá pessoas!
Em minha primeira postagem aqui no Mundos Colidem, eu falei sobre o único e cativante Golden Sky Stories. Hoje trarei aos senhores o que eu pude absorver da leitura de outro RPG japonês e que foi lançado através do Kickstart pelo Kotodama, o mesmo pessoal que trouxe o já mais conhecido Tenra Bansho Zero (este infelizmente ainda não pude ler). Estou falando de Ryuutama, um RPG de fantasia natural único e que merece a atenção e leitura de todos.

Como Treinar seu Sistema II: Entre Testes e Resultados

Olá,

 

Saudações, 2d8 leitores! No capítulo anterior do Lugar Nenhum eu trouxe o primeiro artigo da série Como Treinar Seu Dragão Sistema. Publicada originalmente no site Toca do Hutt, esta série tinha como objetivo auxiliar na adaptação de regras e conceitos de um sistema para o outro – principalmente sistemas indies que possuem mecânicas mais focadas e que podem ser bem adaptadas pra sistemas mais mainstream. Como no capítulo anterior, antes de prosseguir, vou falar sobre algumas definições que são importantes para a compreensão deste artigo – e caso você já tenha lido no capítulo anterior, pode pular os dois próximos parágrafos.

Resenha de Weird Wars 1 para Savage Worlds

As coisas que não são desta terra rastejam através da lama sufocada por cadáveres de Flandres. Formas além da imaginação dançam nas nuvens obscuras de cloro que derivam através do campo de batalha de Ypres. As coisas escamosas se elevam das águas escuras dos pântanos de Pripet. Restos mortais de criminosos há muito executados por romanos rastejam seu caminho em direção a um sol que não vislumbraram em mil anos.

E assim começa o financiamento no Kickstart de Weird Wars 1, feito em 2016, sobre a Primeira Guerra Mundial, dando continuidade à saga da Legião do Crepúsculo.

Resenha de Weird Wars Rome para Savage Worlds

Bem-vindo, Miles Gregarius, junte-se à sua fileira e dê seu sangue e alma pelos seus irmãos da Legião, o Imperador demanda tomarmos estas terras.

Começo nesse post a apresentar cenários oficiais para o sistema Savage Worlds, que como vocês devem ter notado, é um dos meus preferidos. Vou apresentar a vocês o Weird Wars Rome, que se passa no período em que Roma era o centro da civilização do mundo.

Bom, vamos ao que interessa.

Começando com o Savage Worlds

Olá galera, esse é um daqueles posts pra galerinha que ainda não conhece o Savage Worlds e morre de vontade de conhecer o basicão sobre ele. Mas se você já conhece o sistema e quer dar uma olhada no que que já foi postado no site sobre ele, pode pular pro fim do post (e se mesmo assim, você ainda gastar um minutinho lendo, muito obrigado pelo seu tempo).

Dobradores para Savage Worlds

Olá galera, decidi dessa vez fazer um post rápido sobre os dobradores de forma simplificada — a intenção é incluir eles onde você desejar, não somente na ambientação da animação Avatar: a Lenda de Aang.

Espécies de Mass Effect para Savage Worlds

Estamos de volta aos trabalhos no Pontos de Ignição! E desta vez, apresentamos as espécies de um dos jogos mais aclamados da BIOWARE: Mass Effect. Um TPS/RPG (tiro em terceira pessoa com elementos de RPG) cuja história gira em torno de uma raça alienígena — os Reapers — que dizima e assimila toda a vida nos planetas em seu caminho.

Vamos ao que interessa: as espécies são Asari, Batarian, Drell, Krogan, Quarian, Salarian, Turian e Volus.

Tokusatsu para Savage Worlds (Savage-Satsu)

Olá galera, hoje na Coluna Pontos de Ignição, dando um descanso no cenário, trago a vocês hoje uma adaptação para Savage Worlds de um dos temas que estouraram nos anos 80 e 90 no Brasil — e vou apresentar de forma resumida a história desse estilo de show live-action japonês e umas regras rápidas para começar a jogar com seus amigos.

Terraplana 3: Arquétipos do cenário

Bom galera, espero que tenham gostado do que tenho descrito do cenário — se ainda não leu a ambientação do cenário e o conto de introdução, ainda está em tempo. Hoje venho até vocês um pouco atrasado, é verdade, mas foi para que melhorias fossem feitas. Os arquétipos serão apresentados de forma temática e como sei que vocês desejam desbravar o mundo lá fora, começarei pelos desbravadores: Os pilotos de Mecha e um exemplo de Mecha além dos Avataris (como são chamados os usuários de avatares no cenário) com um exemplo de avatar.

Mas antes de falar dos arquétipos, vejamos as peculiaridades sobre as regras do cenário.