Gantz para Savage Worlds: Pate II

Olá galera, espero que tenham curtido o post anterior, apresento a vocês algumas regras/dicas extras para o jogo, equipamentos para vocês espero que gostem e se não viram a Parte I clique aqui. Só lembrando que pra quem acompanhou o mangá/anime a última saga aqui é ignorada devido a eu não achar que o mangá perdeu seu feeling (apesar de eu ter gostado de alguns fatos), bom vamos ao que interessa.

Ideias de narração diretas do DMG 4ª Edição

Saudações, aventureiros.

Há pouco tempo me questionei sobre a validade das dicas de narração provenientes de outros sistemas e, independente das edições, as dicas continuam sempre válidas.

No artigo de hoje vou trazer algumas dicas apresentadas no Livro do Mestre do D&D 4ª Edição, que ao contrário do que alguns pensam, não está morto, e a despeito do que um grupo de jogadores acredite, trouxe muitas dicas legais sobre narração — e é sobre ela que vou falar.

Da mesma forma que um escritor de romance, peça ou filme, o mestre cumpre o papel essencial de contar aos jogadores o que está acontecendo no mundo do jogo. Para que o jogo funcione bem, é necessário fornecer uma boa descrição para que os jogadores montem a cena em suas imaginações.

Naruto para Savage Worlds: Parte V – Chakra e Jutsus Especiais

Olá pessoas!
Sejam bem-vindos a mais uma postagem da minha adaptação de Naruto para Savage Worlds (doravante SW). Como já tem um tempo desde a última parte publicada, e para não perder o costume, vamos revisar brevemente tudo o que já postei aqui desta adaptação. Na primeira parte, resumi a ambientação de Naruto e falei sobre como criar uma personagem para o cenário usando o SW. Na segunda parte, apresentei as regras gerais sobre os Jutsus e listei as Técnicas de Chakra, Taijutsus e Genjutsus. Na terceira parte, foi a vez de apresentar os Ninjutsus básicos e gerais do cenário. A quarta parte tratou exclusivamente dos Ninjutsus Elementais e suas peculiaridades. As partes anteriores abordaram tudo o que eu já havia publicado desta adaptação no passado lá no meu blog pessoal, o Papo de RPGista, tendo sido mais um trabalho de revisão de todas as regras e ampliação do material apresentado. Hoje, porém, trarei para vocês algo completamente novo e que ainda não havia adaptado. Estou falando de Jutsus proibidos e médicos, mas antes explicarei sobre peculiaridades associadas aos Jutsus e uso do Chakra no jogo. Só para deixar claro, eu uso como referência as informações contidas no livro da 1ª edição brasileira do SW publicada pela Retropunk em 2013 (as páginas não são entre as edições).

Veja também: Parte IParte IIParte III,  Parte IV.

Lá e De Volta Outra Vez – Florestas e Selvas para D&D 5.0

Olá,

 

Saudações, 2d8 leitores! Nos capítulos anteriores do Lugar Nenhum foram apresentadas regras, informações e mecânicas para um maior aprofundamento do pilar de exploração da quinta edição do D&D através da série “Lá e De Volta Outra Vez”: No primeiro capítulo da série, o Viagens para D&D 5, foram apresentadas mecânicas para jogos que possuam maior foco em viagem, como papéis de viagens para os personagens, testes e consequências, dificuldades de terrenos e climas; No segundo capítulo da série, o Desertos para D&D 5, houve um aprofundamento sobre o Deserto, viagens realizadas através de um, testes necessários para sobrevivência, bem como os perigos e ameaças desse tipo de terreno. Neste terceiro capítulo falaremos das Florestas, com um trecho especial voltado para as Selvas.

Medievo: Testes de Vontade

Olá, pessoal!

Mesmo com os dias turbulentos dos últimos meses, as produção no Mundos Colidem seguem em alta. Ah sim, a quest que me atormentou durante a última postagem foi vencida, mas terminei apenas com um ponto de vida. Mas ainda assim, foi vencida e empalada. Não acredito que ela retorne — não agora, pelo menos. E eu estou aqui, pela segunda vez fazendo uma postagem de última hora; perdoem-me os erros.

No último domingo, o evento Calango Lúdico completou um ano, em sua 13ª edição de forma brilhante, cumprindo seu objetivo de ser um evento aberto, servindo como espaço de integração entre todas as tribos, unificando jogadores iniciantes e experientes em prol da diversão lúdica, do aprendizado e da troca de informações.

As Terças de RPG seguem se consolidado como espaço para playtest de sistemas e técnicas narrativas, sendo nesse dia que vocês podem conferir algumas da produções autorais do Mundos Colidem em testes abertos para todos que estiverem interessados e conhecer novos narradores e jogadores. As informações sobre os playtests e mesas disponíveis nas Terças de RPG estão na fan page do Mundos Colidem. E quando falo sobre produção autoral, estou me referindo ao Medievo e o Nova Amsterdã, sendo o segundo uma parceria com o Joka do Espaço Mítico.

Guilda de Ladrões: Os Ladrões das Sombras

Saudações, aventureiros.

Os históricos dos personagens (backgrounds) de Dungeons & Dragons 5e, tem a função de conectá-los ao mundo no qual suas aventuras se desenvolverão, fornecendo também algumas vantagens, contudo estas são concedidas apenas em uma escala inicial e são as organizações que passam a cumprir este papel nos níveis mais elevados.

No artigo anterior falei um pouco sobre as Guildas de Ladrões e hoje apresentarei um exemplo de guilda, criada a partir das recomendações apresentadas no Dungeon Master’s Guide e inspirado na mais famosa guilda de ladrões dos Reinos Esquecidos.

Resenha: Shadow of the Demon Lord

Olá, pessoas!
Vocês estavam esperando a continuação da adaptação de Naruto para Savage Worlds que eu sei, né? Entretanto, hoje falarei sobre outro assunto, só para variar um pouco. Resolvi fazer a resenha de um material que chamou minha atenção no ano passado e que agora, após a leitura da versão básica do seu PDF, posso afirmar com certeza que tem o potencial para reascender minha paixão por sistemas d20. Estou falando de Shadow of the Demon Lord (“Sombra do Lorde Demônio”, em tradução livre), que foi financiado com grandioso sucesso pela Pensamento Coletivo no final de 2016, chegando a ter um late pledge e ser o maior financiamento coletivo de RPG em terras nacionais em termos de valor arrecadado (até esta data). Antes de começar, porém, saibam que não julgarei aqui a qualidade do PDF apresentado pela editora. O objetivo deste texto é falar apenas do jogo em si, e não sobre um material que ainda nem está pronto (deixarei isto para quando tiver o livro físico em mãos, que espero que saia logo).

Lá e De Volta Outra Vez – Desertos para D&D 5.0

Olá,

 

Saudações, 2d8 leitores! No capítulo anterior, “Lá e De Volta Outra Vez – Viagens para D&D 5.0”, eu apresentei mecânicas para jogos que possuam um foco maior em viagens: papéis de viagens para os personagens; testes a serem realizados durante a viagem e consequências de sucessos e falhas; classes de dificuldade variando de acordo com o clima e o tipo de terreno. Entretanto, existem alguns tipos de terrenos com elementos que podem ser melhores explorados nos jogos, não sendo somente uma Classe de Dificuldade a ser superada em testes. A série “Lá e De Volta Outra Vez” vai ter continuidade apresentando alguns desses tipos de terrenos, sendo o primeiro escolhido o Deserto.

Calango Lúdico – Aniversário de Um Ano

Olá,

 

É com muito orgulho e alegria que escrevo esta postagem dominical sobre a 13ª edição do Calango Lúdico que ocorrerá no próximo domingo, dia 09 de julho! Orgulho e alegria porque será o evento comemorativo de um ano! Pois há um ano atrás demos início a este projeto que vem sendo realizado mensalmente, faça chuva, faça sol, na cidade de Natal no primeiro domingo do mês – exceto em algumas situações excepcionais, como eventos comemorativos ou concursos, como é o caso da 13ª edição que ocorrerá no segundo domingo de julho devido a um evento comemorativo da cidade.

Viajar é Preciso: Regras de Jornadas para Medievo

Olá, pessoal!

Após um pequeno hiato, volto a publicar no Nomos, ainda tentando reorganizar o caos metafisico que se encontra no meu Amenti, devido às atividades da vida adulta. Mas ao rabiscar essas palavras, percebo que a quest que me impediu de publicar nas últimas semanas ainda não foi vencida e espero que em nosso próximo encontro possamos cantar e beber a vitória do dever cumprido.

E nesse retorno venho com novidades sobre o Medievo que gostaria de compartilhar com os poucos e fiéis leitores desse espaço.