Resenha: Weird Wars – Tour of Darkness

Benvindo à selva, soldados! Na resenha de hoje, vocês serão levados ao Vietnã no — até agora — último livro das Weird Wars (Quem sabe eles façam um com uma guerra no futuro, nunca se sabe).  Se está curioso pra ver os anteriores leia as resenhas de Weird Wars Rome, Weird Wars 1 e Weird Wars 2 (este último já em financiamento coletivo pelo Catarse).

Bom, vamos ao que interessa.

Resenha: Winter Eternal

Bem vindo ao Inverno Eterno, onde a neve e o clima hostil não são para os fracos, um jogo de sobrevivência medieval com toques tecnológicos sutis, descrito pelos autores como “um cenário não pós-apocalíptico”, ele era uma das metas a ser batidas no financiamento do Weird Wars 2 pelo Catarse e atualmente financiável no catarse Winter Eternal.

Pegue suas vestimentas de frio e nos acompanhe nessa jornada pelo mundo de Ehlerrac.

O que rolou na semana Yang (05 a 11 de março) do Mundos Colidem

Olá,

 

Um Auspicioso Domingo a todos! Há algum tempo eu vinha conversando com o pessoal do site Mundos Colidem sobre a realização de uma postagem nos finais de semana que desse uma palhinha sobre o que foi postado na semana anterior. Assim, o pessoal que não pôde nos acompanhar durante a semana e que tem um tempo mais livre no final de semana poderia se inteirar sobre o conteúdo que foi apresentado. Além disso, a postagem também relataria sobre alguns projetos do grupo, eventos e “otras cositas más” – como dicas rápidas e extras. O pessoal curtiu a ideia e hoje tem início este microprojeto no site Mundos Colidem.

Resenha de Weird Wars 1 para Savage Worlds

As coisas que não são desta terra rastejam através da lama sufocada por cadáveres de Flandres. Formas além da imaginação dançam nas nuvens obscuras de cloro que derivam através do campo de batalha de Ypres. As coisas escamosas se elevam das águas escuras dos pântanos de Pripet. Restos mortais de criminosos há muito executados por romanos rastejam seu caminho em direção a um sol que não vislumbraram em mil anos.

E assim começa o financiamento no Kickstart de Weird Wars 1, feito em 2016, sobre a Primeira Guerra Mundial, dando continuidade à saga da Legião do Crepúsculo.

Resenha de Weird Wars Rome para Savage Worlds

Bem-vindo, Miles Gregarius, junte-se à sua fileira e dê seu sangue e alma pelos seus irmãos da Legião, o Imperador demanda tomarmos estas terras.

Começo nesse post a apresentar cenários oficiais para o sistema Savage Worlds, que como vocês devem ter notado, é um dos meus preferidos. Vou apresentar a vocês o Weird Wars Rome, que se passa no período em que Roma era o centro da civilização do mundo.

Bom, vamos ao que interessa.

Dobradores para Savage Worlds

Olá galera, decidi dessa vez fazer um post rápido sobre os dobradores de forma simplificada — a intenção é incluir eles onde você desejar, não somente na ambientação da animação Avatar: a Lenda de Aang.

X-Men: Primeira Classe para ICONS

Olá galera, trago hoje pra vocês uma nova adaptação — e dessa vez estamos com os X-Men, criados em 1963 por Stan Lee (roteiro) e Jack Kirby (arte) pela Marvel Comics. São os primeiros encontrados/treinados pelo Professor Xavier para sua escola: Scott Summers, Jean Grey, Bobby Drake, Hank McCoy e Warren Worthington III.
Apresento a vocês Primeira Classe.

Ainda virão mais por aí, isto é só o começo.

Tokusatsu para Savage Worlds (Savage-Satsu)

Olá galera, hoje na Coluna Pontos de Ignição, dando um descanso no cenário, trago a vocês hoje uma adaptação para Savage Worlds de um dos temas que estouraram nos anos 80 e 90 no Brasil — e vou apresentar de forma resumida a história desse estilo de show live-action japonês e umas regras rápidas para começar a jogar com seus amigos.

Mundos Colidem

When Worlds Collide é o nome de um livro de ficção científica do ano de 1933, de autoria de Philip Wylie e Edwin Balmer. O livro narra uma história em que um cientista prevê o choque de outro planeta com a Terra, causando uma devastação que a destruiria completamente. Essa talvez não seja a mais antiga referência a um título sobre a colisão de mundos, mas certamente é a mais clássica e uma das mais conhecidas no meio da ficção científica, chegando a influenciar diversas obras que surgiram depois, dentre elas Flash Gordon e Superman. Além de uma continuação, a história do livro invadiu os cinemas em 1951 – sendo conhecido aqui no Brasil como “O fim do mundo”. Depois disto, o título e a sua corruptela “Worlds Collide” passaram a ser utilizados em várias outras mídias, embora cada vez menos se conhecendo a referência: Worlds Collide foi o título de uma saga entre o universo DC e o universo Milestone, bem como do crossover entre Megaman e Sonic nos quadrinhos da Archie, também foi o nome do sexto álbum da banda Apocalyptica e o nome da música tema da final do campeonato de League of Legends do ano de 2015. E esse foi o nome escolhido por Petras Furtado, ao iniciar um blog em 07 de agosto de 2009, conforme suas próprias palavras: