Como Treinar Seu Sistema IV – Sobre Criar seu Sistema, OGLs, Creative Commons e outras Licenças

Olá,

Saudações, caríssimos 2d8 leitores! Nos capítulos anteriores eu falei sobre os cenários de D&D elaborados pela TSR e pela WotC – e dei uma aprofundada em um dos meus xodós no último capítulo, o “Masque of the Red Death” que apresenta regras para jogar D&D na Era Vitoriana. Eu pretendo, nos próximos capítulos, falar sobre outros cenários e, se possível, trazer adaptações para a 5ª edição – seja autoral ou alguma adaptação encontrada na internet. Porém, neste capítulo eu trago um assunto que surgiu em uma discussão que presenciei semana retrasada, sobre criação de um sistema próprio de RPG. Vou aproveitar e falar um pouco sobre a OGL, o Creative Commons e as demais licenças de alguns sistemas de RPG, sobre os quais muitas pessoas têm curiosidade de como funcionam e cujo conhecimento são essenciais para quem deseja criar seu próprio sistema.

Lugar Nenhum e o Índice do D&D Five-Ô

Olá,

 

Eu sempre tive um problema com introduções e apresentações, então mesmo sabendo que alguns me acompanham aqui desde a época do Toca, ainda assim demorei meia hora, dois sanduíches e um copão de suco para encontrar o tom de escrita que eu desejava na primeira postagem da terceira encarnação do Lugar Nenhum. Aos que não me conhecem, eu sou o Leishmaniose e este é o Lugar Nenhum, o plano dimensional que utilizo para escrever sobre RPG: cenários, sistemas, teoria do RPG e “otras cositas más”. Aos que me conhecem, é aqui que ando me refugiando. E aos que me conhecem e conhecem o Lugar Nenhum, continuaremos com aquela programação de sempre cheia de maniosices e um pouco de “JAM Session” (sessão de jazz que se toca de improviso) porque ainda há de surgir o dia em que conseguirei escrever um post com antecedência – sim, 2d8 leitores, estou escrevendo isso na madrugada, again, usando de improviso, again, tendo que acordar daqui a pouco, again. O mesmo de sempre.