O que rolou na semana Yang (05 a 11 de março) do Mundos Colidem

Olá,

 

Um Auspicioso Domingo a todos! Há algum tempo eu vinha conversando com o pessoal do site Mundos Colidem sobre a realização de uma postagem nos finais de semana que desse uma palhinha sobre o que foi postado na semana anterior. Assim, o pessoal que não pôde nos acompanhar durante a semana e que tem um tempo mais livre no final de semana poderia se inteirar sobre o conteúdo que foi apresentado. Além disso, a postagem também relataria sobre alguns projetos do grupo, eventos e “otras cositas más” – como dicas rápidas e extras. O pessoal curtiu a ideia e hoje tem início este microprojeto no site Mundos Colidem.

O Senhor dos Anéis FAE – Habilidades Raciais

Os filhos dos Elfos que são os mais velhos; O Anão cavador das casas escuras; O Ent da terra, da idade dos montes; O Homem mortal senhor dos cavalos.

— Barbávore, As Duas Torres

 

Olá, Camaradas!

 

Nas últimas semanas temos utilizado esse espaço para dialogar com os iniciantes, em especial no artigo A Aventura vai Começar, que sugiro a leitura, por aqueles que desejam saber alguns métodos de como iniciar uma aventura. Mas nessa semana vamos voltar a falar sobre a adaptação para O Senhor dos Anéis para o Fate Acelerado a qual estou trabalhando desde o final de 2016, e que já tem duas partes publicadas aqui no Mundos Colidem: a primeira abordando as Regras de Corrupção; e a segunda, A Mágica Sutil da Terra Média.

Medievo: Jogo de Teste 2.0

Olá Camaradas!

O ano de 2017 está se mostrando bastante promissor aqui no Mundos Colidem; tivemos a chegada de novos amigos, como o Gabriel Anaya em sua coluna Mecanismo Obscuro (esse titulo só me lembra o God-Machine Chronicles), e o Tio de Leish com o Santuário do Mestre. Também é o ano do retorno de velhos amigos — e neste caso, estou falando do Hélio Alcântara e a sua Estação das Brumas. As novas colunas trazem materiais que me chamaram bastante a atenção, e acredito que vocês também gostariam de dar uma olhada; recomendo a leitura do Sweet Agatha, Hikikomori, Golden Sky Stories e da adaptação do Mouse Guard para Crônicas RPG. Continuem acompanhando as produções dos camaradas, pois tem muito material de qualidade saindo do forno.

Como Treinar seu Sistema: adaptando regras

Olá,

 

Saudações, 2d8 leitores! Trago esta semana pra vocês um artigo que escrevi para o site Toca do Hutt, em meados de 2013. Na verdade, ele foi o primeiro de um pequeno grupo de artigos que pretendiam auxiliar na adaptação de mecânicas de alguns sistemas para outros. Ou seja, não será uma adaptação da animação Como treinar seu Dragão, da produtora Dreamworks, pra algum sistema de RPG. Na verdade, é um trocadilho com adaptações (treino) em sistemas tradicionais (dragões, em homenagem ao D&D – Dungeons & Dragons – o mais tradicional dos sistemas de RPG).

A Aventura vai Começar!

Olá, Camaradas!

Essa semana o Nomos vem dando sequência à sua proposta de trazer material para iniciantes no RPG através do Fate Acelerado (FAE). Para iniciar esse trabalho, posteriormente na Encruzilhada dos Mundos, o nosso Papai Smurf (Petras), nos presenteou com um maravilhoso post sobre O que é RPG? usando o FAE como exemplo. Sugiro também aos que estão iniciando o seu flerte com o Fate, que visitem o Conexão Fate, uma referência nacional no sistema. No último encontro aqui no Nomos — que agora está regularmente nas sextas feiras Yang — o post Brincando com FAE falou sobre uma experiência com minha filha Marianna, que estou desenvolvendo em um método para utilizar com os meus alunos do fundamental menor. A mudança de dia ocorreu com a necessidade de reorganizar a agenda do Mundos Colidem (MC) para 2017, deixando a concentração de posts sobre o FATE/FAE para as sextas, na parceria com o Grande Petras.

Construindo o seu Dice Tray

Olá, Camaradas!

Hoje venho compartilhar com vocês a experiência de confecção de um Dice Tray, ou bandeja de dados, proposto pela minha companheira Daniella Madureira. Mas antes vamos fazer o velho jabá do Calango Lúdico, o encontro mensal de RPG da cidade do Natal, que ocorre nesse domingão (05/02/2017) e que vem com uma temática muito especial nessa sua 8ª edição, em comemoração ao ano novo chinês.

Brincando com Fate

Olá Camaradas!

O Nomos está voltado as suas postagens regulares, agora nas sextas, após esse breve recesso do Mundos Colidem. E o papo continua sendo o Fate. Em 2016, fui agraciado com o retorno às minhas aulas no nível Fundamental II, onde desde 2012, passei a utilizar o RPG como ferramenta metodológica em sala de aula.

Nas aulas de História (através de um projeto pedagógico que faz uso do RPG no ensino da disciplina), desenvolvi o RPG Medievo e em 2013, em uma parceria com o também professor Robson Carmo, passamos a desenvolver atividades com alunos do 4º e 5º ano do ensino Fundamental e acabamos desenvolvendo o cardgame A Guerra dos Bárbaros, um hack de O Hobbit, de Martin Wallace.

Mas qual o objetivo de desenvolver atividades com RPG na escola?

Guerra dos Bárbaros

Olá, Camaradas!

O Nomos vem com uma postagem especial de fim de semana, para compartilhar com vocês um protótipo que encontrei em meios a tomos antigos, referente ao ano de 2014, em uma parceria com o amigo e professor Robson Carmo. O Guerra dos Bárbaros é um cardgame que usa um baralho comum com um hack das regras do maravilhoso cardgame O Hobbit, de Martim Wallace.

O tema escolhido para o jogo vem do contexto da Guerra dos Bárbaros, conflito que ocorreu em meados do século XVII, devido à expansão da ocupação portuguesa no Brasil. Entre vários conflitos, essa proposta se concentra naquele que ocorreu na capitania do Rio Grande, às margens do rio Assú.

Guerra dos Bárbaros – Download

O Lago de Lágrimas

Um pequeno vilarejo de pescadores, entre um lugar e outro, num tempo qualquer, esquecido por quase todas as divindades. Um homem, um refugiado, se aproxima com suas duas filhas, todos famintos. Há poucas pessoas na pequena vila, que não guarda mais do que dez casebres. As poucas pessoas caminhando carregam expressões tristes e parecem estar mortas, apenas seus corpos animados. Ninguém muda de expressão ao ver os refugiados. O vilarejo fica às margens de um lago escuro, com a fama de presentear com muitos peixes aqueles que lançavam suas redes.

Com estes boatos, vieram os refugiados.

Nova Amsterdã 1646: O Estranho Ocaso do Lago da Vila do Bonfim

Saudações, Camaradas!

Como alguns de vocês já sabem, estou trabalhando em conjunto com o Joka do Espaço Mítico no projeto Nova Amsterdã, o mesmo que já falamos há alguns meses atrás. Então, aproveitando a época natalina, pensamos em dar mais uma amostra do Nova Amsterdã, disponibilizando a aventura “O Estranho Ocaso do Lago da Vila do Bonfim“.

Para os que deram uma visualizada no primeiro post, notaram que já tivemos algumas mudanças em relação à primeira proposta, especialmente no que se refere às Abordagens, que foram resumidas em três: Físico, Interpessoal e Intelecto. E o Mythos passando a ser uma façanha, composta em uma árvore. A Sanidade tornou-se um teste resistido, onde o jogador elenca seus aspectos, abordagens e façanhas e faz a sua rolagem.

Espero que curtam essa aventura com o espírito de Lovecraft nas terras nordestinas brasileiras no século XVII, durante a dominação holandesa.