A Aventura vai Começar!

Olá, Camaradas!

Essa semana o Nomos vem dando sequência à sua proposta de trazer material para iniciantes no RPG através do Fate Acelerado (FAE). Para iniciar esse trabalho, posteriormente na Encruzilhada dos Mundos, o nosso Papai Smurf (Petras), nos presenteou com um maravilhoso post sobre O que é RPG? usando o FAE como exemplo. Sugiro também aos que estão iniciando o seu flerte com o Fate, que visitem o Conexão Fate, uma referência nacional no sistema. No último encontro aqui no Nomos — que agora está regularmente nas sextas feiras Yang — o post Brincando com FAE falou sobre uma experiência com minha filha Marianna, que estou desenvolvendo em um método para utilizar com os meus alunos do fundamental menor. A mudança de dia ocorreu com a necessidade de reorganizar a agenda do Mundos Colidem (MC) para 2017, deixando a concentração de posts sobre o FATE/FAE para as sextas, na parceria com o Grande Petras.

Construindo o seu Dice Tray

Olá, Camaradas!

Hoje venho compartilhar com vocês a experiência de confecção de um Dice Tray, ou bandeja de dados, proposto pela minha companheira Daniella Madureira. Mas antes vamos fazer o velho jabá do Calango Lúdico, o encontro mensal de RPG da cidade do Natal, que ocorre nesse domingão (05/02/2017) e que vem com uma temática muito especial nessa sua 8ª edição, em comemoração ao ano novo chinês.

Brincando com Fate

Olá Camaradas!

O Nomos está voltado as suas postagens regulares, agora nas sextas, após esse breve recesso do Mundos Colidem. E o papo continua sendo o Fate. Em 2016, fui agraciado com o retorno às minhas aulas no nível Fundamental II, onde desde 2012, passei a utilizar o RPG como ferramenta metodológica em sala de aula.

Nas aulas de História (através de um projeto pedagógico que faz uso do RPG no ensino da disciplina), desenvolvi o RPG Medievo e em 2013, em uma parceria com o também professor Robson Carmo, passamos a desenvolver atividades com alunos do 4º e 5º ano do ensino Fundamental e acabamos desenvolvendo o cardgame A Guerra dos Bárbaros, um hack de O Hobbit, de Martin Wallace.

Mas qual o objetivo de desenvolver atividades com RPG na escola?

Guerra dos Bárbaros

Olá, Camaradas!

O Nomos vem com uma postagem especial de fim de semana, para compartilhar com vocês um protótipo que encontrei em meios a tomos antigos, referente ao ano de 2014, em uma parceria com o amigo e professor Robson Carmo. O Guerra dos Bárbaros é um cardgame que usa um baralho comum com um hack das regras do maravilhoso cardgame O Hobbit, de Martim Wallace.

O tema escolhido para o jogo vem do contexto da Guerra dos Bárbaros, conflito que ocorreu em meados do século XVII, devido à expansão da ocupação portuguesa no Brasil. Entre vários conflitos, essa proposta se concentra naquele que ocorreu na capitania do Rio Grande, às margens do rio Assú.

Guerra dos Bárbaros – Download

O Lago de Lágrimas

Um pequeno vilarejo de pescadores, entre um lugar e outro, num tempo qualquer, esquecido por quase todas as divindades. Um homem, um refugiado, se aproxima com suas duas filhas, todos famintos. Há poucas pessoas na pequena vila, que não guarda mais do que dez casebres. As poucas pessoas caminhando carregam expressões tristes e parecem estar mortas, apenas seus corpos animados. Ninguém muda de expressão ao ver os refugiados. O vilarejo fica às margens de um lago escuro, com a fama de presentear com muitos peixes aqueles que lançavam suas redes.

Com estes boatos, vieram os refugiados.

Nova Amsterdã 1646: O Estranho Ocaso do Lago da Vila do Bonfim

Saudações, Camaradas!

Como alguns de vocês já sabem, estou trabalhando em conjunto com o Joka do Espaço Mítico no projeto Nova Amsterdã, o mesmo que já falamos há alguns meses atrás. Então, aproveitando a época natalina, pensamos em dar mais uma amostra do Nova Amsterdã, disponibilizando a aventura “O Estranho Ocaso do Lago da Vila do Bonfim“.

Para os que deram uma visualizada no primeiro post, notaram que já tivemos algumas mudanças em relação à primeira proposta, especialmente no que se refere às Abordagens, que foram resumidas em três: Físico, Interpessoal e Intelecto. E o Mythos passando a ser uma façanha, composta em uma árvore. A Sanidade tornou-se um teste resistido, onde o jogador elenca seus aspectos, abordagens e façanhas e faz a sua rolagem.

Espero que curtam essa aventura com o espírito de Lovecraft nas terras nordestinas brasileiras no século XVII, durante a dominação holandesa.

O Senhor dos Anéis FAE – Regras para Mágica Sutil da Terra Média

Saudações, Camaradas!

Vamos dar início à segunda parte da série de postagens sobre O Senhor dos Anéis para Fate Acelerado. Dessa vez vamos falar sobre Regras para a mágica sutil da Terra Média. E para quem perdeu a primeira parte, é só dar uma clicada aqui e ver a primeira parte, que abordava as regras para corrupção.

Terra Devastada: Edição Apocalipse

Saudações, camaradas!

Hoje venho falar a vocês sobre o Terra Devastada: Edição Apocalipse (2016) um cenário/sistema nacional de autoria do John Bogéa, que escreve, desenha e diagrama a obra, com sua primeira edição lançada em 2011 pela editora Retropunk. Seu sucesso foi tão grande, que os livros ficaram esgotados por anos e penei para conseguir minha cópia da primeira edição.

Em minha humilde opinião, John Bogéa é o grande autor do cenário nacional, com outro trabalho do mesmo período — Abismo Infinito — que considero uma obra ímpar, devido à sua mecânica de desenvolvimento do personagem em uma interpretação no estilo Lovecraft. Mas vamos ao que interessa:

O Senhor dos Anéis FAE – Regras de Corrupção

Saudações, camaradas!

Venho mais uma vez dialogar com vocês sobre um assunto que é muito pertinente à minhas últimas postagens, o Fate; mais precisamente o Fate Acelerado — para os íntimos, FAE. Minha relação com o FAE começou em meados de 2015 quando o “Alto Sumo Sacerdote do Fate”, Petras Furtado, me apresentou ao sistema. Nunca fui muito adepto de sistemas genéricos, mas desde o primeiro encontro, isso mudou. Continuei como jogador até meados de março de 2016, quando decidi me aventurar a  narrar no sistema e desde então estou me aprofundando nele, aprendendo coisas novas e dando vida a algumas coisitas que eu queria narrar.

Doze Pokémons para Fate Acelerado

Saudações Camaradas!

Na minha adolescência eu gostava de Pokémon — não como os meus amigos, que chegaram a fazer, no fim da década de 1990, uma adaptação para GURPS (não peçam mais informações, pois sinceramente eu não lembro). E com o lançamento do Pokémon Go, o assunto voltou às rodas de amigos, onde muitos lembraram com saudosismo o passado. Como alguns sabem, sou professor e utilizo o RPG nas minhas aulas. Em 2016, o Fate Acelerado — FAE — foi o sistema eleito pelos discentes, por sua facilidade de adaptar vários tipos de conteúdos, como filmes, livros, desenhos animados e videogames, o que me animou a produzir material para ele.