Medievo: Testes de Vontade

Olá, pessoal!

Mesmo com os dias turbulentos dos últimos meses, as produção no Mundos Colidem seguem em alta. Ah sim, a quest que me atormentou durante a última postagem foi vencida, mas terminei apenas com um ponto de vida. Mas ainda assim, foi vencida e empalada. Não acredito que ela retorne — não agora, pelo menos. E eu estou aqui, pela segunda vez fazendo uma postagem de última hora; perdoem-me os erros.

No último domingo, o evento Calango Lúdico completou um ano, em sua 13ª edição de forma brilhante, cumprindo seu objetivo de ser um evento aberto, servindo como espaço de integração entre todas as tribos, unificando jogadores iniciantes e experientes em prol da diversão lúdica, do aprendizado e da troca de informações.

As Terças de RPG seguem se consolidado como espaço para playtest de sistemas e técnicas narrativas, sendo nesse dia que vocês podem conferir algumas da produções autorais do Mundos Colidem em testes abertos para todos que estiverem interessados e conhecer novos narradores e jogadores. As informações sobre os playtests e mesas disponíveis nas Terças de RPG estão na fan page do Mundos Colidem. E quando falo sobre produção autoral, estou me referindo ao Medievo e o Nova Amsterdã, sendo o segundo uma parceria com o Joka do Espaço Mítico.

Open Legend: RPG de licença aberta

Caros leitores, sejam bem vindos ao Espaço Mítico desta semana, desta vez trago a vocês uma resenha de um jogo de RPG em desenvolvimento lá fora que chamou bastante a minha atenção por uma série de características que o tornam único — a começar pela equipe de desenvolvimento de um cenário compatível que inclui Mathew Mercer, conhecido por ser dublador de diversos jogos e animações bem como narrador e youtuber do canal Critical Role; o lendário Ed Greenwood, que para resumir muito bem seu currículo, é o criador de Forgotten Realms (Reinos Esquecidos). O sistema é chamado de Open Legend RPG (que eu irei chamar aqui de OL), um sistema de fantasia épica genérica criado por Brian Feister e o Ish Stabosz.

Ficha de personagem para Mouse Guard FAE

Olá pessoal! A Espaço Mítico hoje faz uma aparição especial de domingo para trazer a vocês a ficha de personagem da adaptação de Mouse Guard para FAE. Para aqueles que perderam a postagem do material completo, basta clicar AQUI e sair jogando! O link para baixar a ficha produzida pelo poderoso Petras “Papai Smurf” podem ser encontrados no Mega e Dropbox.

Cada página permite imprimir duas fichas ao mesmo tempo que podem ser divididas facilmente. Vindo na versão colorida e Preto & Branco para facilitar impressão. Em nossa próxima postagem, publicarei alguns personagens prontos para usarem em um jogo rápido no estilo evento ou para aqueles que desejam apresentar o FAE a seus jogadores e uma aventura extra. Bom jogo a todos!

 

Medievo: Jogo de Teste 3.0

Olá Camaradas!

Postagem dessa sexta é curtinha, e não foi feita de última hora como a outra (mentira, foi também). Pois venho trazer para vocês algo que os leitores desse micro/macro espaço já conhecem, o Medievo RPG. Um sistema que foi desenvolvido com base nas minhas experiências no uso da narrativa interativa em sala de aula, durante as atividades das disciplinas de Ensino Religioso e História. Para os que não sabem, sou professor e desde meados de 2012, comecei a inserir o RPG nas minhas aulas.  Na última postagem abordei as Oficinas Interativas que ministro em minhas aulas e realmente não esperava a repercussão e os contatos, inclusive na escola onde leciono, pois alguns companheiros nem sabiam da existência (e persistência) de tal atividade. E entre alguns desses contatos, as conversas foram sobre como o Medievo estava se tornando um cenário bem definido e com características próprias, mas que a produção do material de RPG voltada para a prática docente necessitava de algo mais genérico, que pudesse abordar todas as temáticas.

Como Treinar seu Sistema III – Objetivos

Olá,

Salve, Salve, 2d8 leitores! Peço perdão pelo atraso da postagem, é que ontem eu estava completamente destruído quando cheguei da viagem que fiz pra Sampa no final de semana. Por mais que eu tivesse uma idéia do que fazer, o desgaste não me permitiu mais do que tentar recuperar o sono perdido. No último capítulo, tivemos uma adaptação de Mouse Guard para D&D 5.0, realizando minha participação na formação sentai com a adaptação de Hélio pra Crônicas RPG e do Tio Lipe para Savage Worlds – e, dizem as lendas, a adaptação pra FAE que Joka trará na sua coluna. Neste capítulo retomarei a série “Como Treinar Seu Dragão Seu Sistema”, que tem como objetivo auxiliar na adaptação de regras, mecânicas e conceitos de um sistema para o outro.

Resenha – Medievo: aventuras na baixa idade média

Depois de um hiato de 15 dias bastante atribulado, a Espaço Mítico retorna esta semana trazendo para vocês a resenha de uma das pratas da casa, o Medievo. Criado por Raphael Lima, que também escreve na coluna Nomos do Mundos Colidem, este jogo autoral é fruto de várias reflexões sobre o nosso querido hobby como ferramenta educativa nas aulas de Ensino Religioso e História por meio de um projeto de iniciação ao RPG nas escolas em que trabalha. Assim, o principal objetivo do Medievo é tornar-se um sistema que possa ser utilizado futuramente em temas como Egito Antigo, Reinos Africanos e história local.

O Sistema Importa

Saudações.

Recentemente fui citado em uma postagem no Facebook® em uma postagem que falava sobre a famigerada “regra de ouro“. A citação, feita pelo Marcelo Telles da Rede RPG, me lembrou dos tempos áureos do ForjaRPG, que escrevi durante um bom tempo com o grande Pedro Leone, e que na época focava muito em teoria do RPG e D&D 4E.

Como a chamada foi provocativa (no bom sentido), resolvi reviver alguns desses artigos que marcaram época e que podem trazer à luz boas discussões e ajudar a entender uma série de conceitos que podem não ser importantes para aqueles jogadores que não são game designers e nem pretendem ser, mas que podem ajudar bastante no entendimento da criação de novos sistemas, de aventuras, contribuindo, quem sabe, para trazer jogadores novatos para a área de desenvolvimento de jogos.

Como Treinar seu Sistema II: Entre Testes e Resultados

Olá,

 

Saudações, 2d8 leitores! No capítulo anterior do Lugar Nenhum eu trouxe o primeiro artigo da série Como Treinar Seu Dragão Sistema. Publicada originalmente no site Toca do Hutt, esta série tinha como objetivo auxiliar na adaptação de regras e conceitos de um sistema para o outro – principalmente sistemas indies que possuem mecânicas mais focadas e que podem ser bem adaptadas pra sistemas mais mainstream. Como no capítulo anterior, antes de prosseguir, vou falar sobre algumas definições que são importantes para a compreensão deste artigo – e caso você já tenha lido no capítulo anterior, pode pular os dois próximos parágrafos.

Como Treinar seu Sistema: adaptando regras

Olá,

 

Saudações, 2d8 leitores! Trago esta semana pra vocês um artigo que escrevi para o site Toca do Hutt, em meados de 2013. Na verdade, ele foi o primeiro de um pequeno grupo de artigos que pretendiam auxiliar na adaptação de mecânicas de alguns sistemas para outros. Ou seja, não será uma adaptação da animação Como treinar seu Dragão, da produtora Dreamworks, pra algum sistema de RPG. Na verdade, é um trocadilho com adaptações (treino) em sistemas tradicionais (dragões, em homenagem ao D&D – Dungeons & Dragons – o mais tradicional dos sistemas de RPG).

ひきこもり (Hikikomori) 

Hikikomori é um “RPG solo” escrito em 2006 por Ewen Cluney para competir em um desafio chamado RPG de 24 horas. Vamos conhecer um pouco desse jogo para se jogar sozinho e introduzir o tema que dá base para a ficção, sua inspiração na literatura, no mangá e no anime.