Precisamos dar o exemplo

Nos últimos dias iniciei o meu caminho de volta às comunidades de RPG e tenho observado algumas postagens interessantes, algumas com temas recorrentes, como casos de sexismo e misoginia.

Uma das postagens era uma chamada para o artigo Correndo como lobas, do blog Matilha da Garoa, que fala sobre o preconceito que as mulheres sofrem nas mesas de jogos.

Não falar sobre o problema é ignorá-lo e falar sobre, não tem nada a ver com o politicamente correto, faz parte do contrato social, que fazendo coro com a autora do artigo já mencionado, precisa sim ser discutido.