Guiamaniose dos Cenários de D&D da TSR e da WotC

Olá,

 

Saudações, 2d8 leitores! Como apontado no capítulo anterior do Lugar Nenhum, as últimas semanas não têm sido fáceis – alguém ativou o mode nightmare da Adultescência. Porém, desta vez eu consegui me organizar o suficiente pra trazer um capítulo com conteúdo novo, ao invés de reciclar algum material antigo do Toca. Mas antes de dar continuidade, gostaria de notificar que o Índice do D&D 5.0 foi atualizado com os novos materiais do Unearthed Arcana, mais precisamente: Arquétipos de Magos, Monges, Paladinos e Rangers; Classe Mystic; Feats de Perícia e Feats Raciais; Novas Cantrips; Regras aprofundada para Armadilhas, Downtown e Combate de Exércitos. Então, se você perdeu algum dos materiais, corre lá que o Índice está completamente atualizado.

Resenha: Inverno Eterno

Bem vindo ao Inverno Eterno, onde a neve e o clima hostil não são para os fracos, um jogo de sobrevivência medieval com toques tecnológicos sutis, descrito pelos autores como “um cenário não pós-apocalíptico”, ele está como uma das metas a ser batidas no financiamento do Weird Wars 2 pelo Catarse.

Pegue suas vestimentas de frio e nos acompanhe nessa jornada pelo mundo de Ehlerrac.

Mouse Guard para Savage Worlds

Olá pessoas!
No mês passado eu postei aqui um texto falando sobre como Adaptar para RPG. De fato, as explicações que apresentei nele são complementos e funcionam em conjunto com a postagem do tio Petras sobre Adaptações e a série que meu amigo Leishmaniose vem postando sobre como adaptar regras de outros sistemas para o seu favorito. Hoje eu resolvi dar um exemplo de como adaptar pegando emprestado um cenário que citei no meu texto anterior. Estou falando do incrível Mouse Guard, que foi adaptado para o Crônicas RPG pelo nosso colega Hélio lá na Estação das Brumas. E o sistema alvo desta adaptação será o Savage Worlds, lançado aqui no país pela Retropunk.

O Enclave do Arquimago

Saudações, nobres aventureiros e vis malfeitores.

Sejam bem-vindos ao Enclave do Arquimago, as ruínas de uma cidade flutuante caída em algum ponto da selva amazônica, que encerra um número incontável de tomosmágicos e mundanos – e portaisnem todos confiáveis – que levam a qualquer parte do multiverso.