Star Trek Adventures RPG: mais uma nova geração

Há alguns meses a editora inglesa Modiphius anunciou que tinha adquirido os direitos para um novo RPG da franquia Star Trek — junto com o anúncio, veio o chamado para o playtest das regras, usando o 2d20, o mesmo sistema de regras de outros RPGs da editora, como Conan, Infinity, John Carter of Mars e (publicado aqui no Brasil) Mutant Year Zero. Segundo a editora, ele deve ser lançado ainda no primeiro trimestre de 2017.

Como velho e fiel fã de Star Trek, é claro que me inscrevi para participar e por algum motivo, acabei entre meio mundo de fãs ávidos de todo o mundo que receberam o material para realizar a primeira etapa de testes das regras, ainda no final de 2016.

Star Trek Adventures

De acordo com a Modiphius, o RPG irá cobrir todas as eras de jornada, o que inclui Enterprise, Star Trek TOS (The Original Series, a série original de TV), a Nova Geração, Deep Space Nine e Voyager, além dos filmes para cinema (exceto os recentes, do chamado Abrahamsverse). Ele terá um livro básico de regras que servirá para todas as eras, trazendo personagens humanos e das principais espécies alienígenas,  além de livros adicionais para outras espécies do universo de Star Trek. O livro básico também irá incluir regras para combate entre naves estelares.

Star Trek Adventures irá trazer fichas de personagens clássicos, como os Capitães Picard e Kirk — caso alguém queira jogar uma aventura clássica do cinema, seriado de TV ou de um dos vários romances de Star Trek com sua tripulação favorita da Enterprise. O material será escrito por vários autores especialistas no cenário, que terão a tarefa de entregar um RPG de Star Trek autêntico e coerente com suas origens, permitindo aos jogadores resolver problemas, serem confrontados com dilemas morais, revelar conspirações ou mistérios antigos — tão importante quanto comandar um nave estelar ou um grupo avançado em combate.

 

Ponte de Comando Star Trek TOS

 

O Playtest

Recebi por email a confirmação de que tinha sido aceito para o playtest, junto com um link para baixar o pacote de PDFs que continham cinco documentos: as regras básicas, um pacote de doze personagens prontos, uma aventura, um sumário de regras e uma breve descrição do cenário. Aproveitei para imprimir e encadernar o material em livreto (formato A5) para deixar mais fácil o seu manuseio.

 

Star Trek Adventures material de playtest

 

O legal dos personagens foi a variedade de espécies, entre humanos e alienígenas (embora humanos fossem maioria) e de gêneros, já que cada um possuía versão masculina e feminina. Como as fichas tinham um visual simples (afinal, eram para um playtest), meu TOC de designer gráfico me obrigou a fazer novas fichas (em português, para facilitar a vida de meus jogadores que não dominam muito o inglês). Entre várias opções, adotei um visual inspirado na interface do LCARS, o sistema operacional dos computadores da Nova Geração:

 

Star Trek Adventures - Ficha de Personagem

 

As Regras

O sistema 2d20 para Star Trek funciona rolando-se dois d20 e comparando os resultados de cada dado com a soma do Atributo e Perícia do personagem. Se o resultado de cada um for menor ou igual à soma, cada dado conta como um sucesso. Caso o resultado seja menor também que um dos Focos (uma especialização da perícia) adequados à tarefa, conta como um sucesso extra. Praticamente todos os testes usam esta mecânica de resolução. Em algumas circunstâncias (como combate, por exemplo), também são usados dados de seis lados, os d6, aqui chamados de Challenge Dice, dados de desafio.

Cada sucesso  conseguido além do necessário para aquela tarefa (a sua Dificuldade), permite ao personagem receber pontos de Momentum, usados para adicionar d20s extras (e tornar mais fácil suas tarefas), acionar efeitos especiais em combate, exploração e pesquisa, como derrotar um inimigo revertendo a polaridade de seus escudos defletores, descobrindo uma falha catastrófica em sua filosofia de vida ou entendendo como aquele antiquíssimo computador de dimensões planetárias pode ser desligado.

Apesar de poderoso e versátil, Momentum tem vida curta e deve ser usado na hora certa ou reunido em uma pilha utilizada por todo o grupo, criando uma espécie de economia de recursos durante o jogo. Os personagens também recebem sucessos adicionais usando seus pontos de Determinação (recebidos ao início de cada sessão), que podem ser usados livremente e enquanto durarem. Os personagens também possuem Habilidades, que mudam a forma como são afetados pelas regras ou como utilizam suas Perícias e Focos e Valores, que servem para guiá-los em conflitos morais ou reduzir a dificuldade de uma tarefa ligada a eles.

O narrador possui uma pilha de dados chamada Pilha de Ameaça, que pode ser engordada pelos jogadores, que adicionam pontos à ela para comprarem sucessos, especialmente quando estiverem com pouco Momentum ou Determinação. A pilha de ameaça é usada para aumentar a dificuldade das tarefas dos personagens

A Aventura

Resgate em Xerxes IV, que acompanha o material de playtest, funciona como uma aventura introdutória às regras (ainda em versão alpha 1.2) de Star Trek Adventures, onde os personagens, viajando em uma pequena nave de transporte para a Base Estelar 364, que guarda as naves da Frota Estelar onde irão servir, fazem um pequeno desvio para atender ao pedido de socorro de uma estação de pesquisa da Federação dos Planetas Unidos em um planeta próximo. Mas uma tempestade iônica que assola o planeta causa a queda da nave, e ao sair, ele são atacados por estranhos humanoides, muito similares aos primitivos ancestrais humanos — os Neandertais — que curiosamente, vestem-se com restos de trajes da Federação.

Ao longo da aventura, os personagens são confrontados com vários testes de sobrevivência, desde resistir aos efeitos da tempestade iônica a conflitos morais sobre suas ações para escapar do planeta, além de ajudar os cientistas presos ali e descobrir o mistério que envolve aquele mundo.

Tudo isso e miniaturas também!

A Modiphius também irá produzir miniaturas na escala de 32mm em plástico e metal dos personagens em vários períodos de Star Trek (além dos personagens principais das séries e filmes) — embora as regras não necessitem de miniaturas — que servem para auxiliar na visualização dos personagens em certas áreas e certamente são bonitas de se ver! Também devem ser publicados tiles de naves e estações espaciais, ruínas alienígenas e colônicas perdidas, para ajudar a ilustrar sua aventura. Edições especiais em resina dos capitães Kirk e Picard serão ofertadas nas convenções GenCon, Essen SpieleDragonmeet, para depois fazerem parte dos pacotes padrão, que vão de personagens individuais até grupos de tripulantes (uma caixa tamanho-família de camisas vermelhas, será?).

 

StarMinis

 

Conclusões

O jogo foi bem recebido em meu grupo, que contava com fãs de Star Trek e outros que tinham uma ideia do cenário, graças aos recentes filmes do J. J. Abrahams. A mecãnica do 2d20 pode parecer assustadoramente difícil, mas é relativamente simples e exige apenas atenção às suas perícias e habilidades mais adequadas à tarefa, de forma a permitir usar melhor seus recursos de Momentum e Determinação. A aventura, apesar de ter sido vencida sem maiores complicações, possui vários obstáculos que só um grupo grande (oito jogadores) e variado como o que tive (dois engenheiros, três cientistas, um piloto, um diplomata e um segurança) foi capaz de desbravar sem sofrer perdas ou ferimentos graves. Os mais legal foi ver como o sistema emula bem o espírito de cooperação e aventura de Star Trek, permitindo jogadas audaciosas, inusitadas e divertidas.

Os jogadores logo se adaptaram às regras, embora tivessem alguma dificuldade inicial para lidar com os pontos de Momentum, mas rapidamente começaram a criar uma economia de apoio para as ações em conjunto, testando hipóteses, fazendo gambiarras e arriscando-se loucamente para triunfar no melhor estilo de Star Trek, com direito até a paralisar um atacante com um discurso inspirador!

Aguardo ansiosamente pela segunda fase do playtest e pelo lançamento impresso — que certamente terá lugar cativo a minha mesa de jogo.

Comentários

1 Comentários

  1. Atualmente estou lendo Mutant Chronicles, que usa o sistema 2d20 e aguardando o lançamento “valendo” do novo RPG de Conan, que utiliza o mesmo sistema. De um para o outro percebi uma sensível evolução na exploração da mecânica do 2d20 e espero que STA siga a progressão.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado, nós do Mundos Colidem apreciamos isso. Seu endereço de e-mail não será publicado e os campos necessários serão marcados.