Resenha: Summerland

Olá galera, hoje vou falar sobre um RPG que poucos tiveram oportunidade de pôr as mãos, foi publicado pela Cubicle 7 em 2008 (a mesma do RPG O Um Anel que saiu pela Devir aqui no Brasil) e escrito por Greg Saunders. Auto-intitulado como “Um RPG de desolação e redenção dentro do Mar de Folhas” (tradução livre).

Já imaginou a sensação de olhar para uma floresta e sentir chamado primitivo familiar e irresistível (como um abraço aconchegante de alguém que você ama?) para adentrar e não mais voltar, onde sobrevivência, esperança e redenção se fazem presente.

The Event – O Evento

Uma noite, sem razão aparente, uma floresta vasta e antiga apareceu nas terras como se tivesse existido lá por centenas de anos. (tradução livre da introdução do capítulo)

Nesse capítulo temos a descrição do que ocorreu com a civilização. Descobrimos aqui que a floresta devasta e sobrepõe estruturas criadas pelos homens, ruas, casas, trilhos de trem. Todas as tecnologias como celulares, internet, energia elétrica não funcionam mais. Nominaram então a floresta de Sea of Leaves (Mar de Folhas) e os animais locais agindo com estranheza e diferente do habitual. Há também o problema de só algumas pessoas conseguirem resistir a o Call (Chamado) e pode ser descrito como o canto da sereia – algo irresistível as pessoas comuns, e só alguns conseguem resistir a essa sedução e são chamados de drifters (papel dos jogadores) em busca de redenção ou aceitação. No capítulo assume-se que a Europa ou America do Norte como pano de fundo e o “Mar de Folhas” é baseado nas áreas florestais desses locais (mas nada impede de fazer no seu pais, estado e/ou cidade). E termina o capítulo com um comentário mais que um alerta de que o jogo trata de temas maduros como doenças mentais, arrependimento e culpa.

Game and Character Creation – O Jogo e a Criação de Personagens

Primeiro de tudo o livro recomenda uma conversa previa com os jogadores para decidir como eles querem que o jogo seja e está dividido em duas partes o Tema(s) ou Estilo(s) do Jogo, deve haver um acordo entre os jogadores para melhor aproveitamento. Uma descrição do papel do narrador e do jogador logo de inicio pra ajudar os novatos no hobby. Vou apresentar a seguir os Temas abaixo:

  • Horror – por ser um jogo pós-apocalíptico e a civilização como conhecemos foi destruída, o isolamento e a desolação podem conter criaturas  aterrorizantes a espreita, espíritos e homens fera e como isso afetará os drifters (jogadores), com clima de tensão;
  • Esperança – foca na esperança e em como a humanidade sobreviveu e resistir aos problemas, e como isso afetará os drifters (jogadores) só que ao contrário da acima;
  • Magia – visto como um local de magia, descobrindo os segredos por trás do Evento, esse Tema evoca investigação e encontros com criaturas magicas;

Agora vou apresentar os Estilos de Jogo:

  • Ação/Aventura – similar a filmes de ação, combinando encontros com outros grupos de drifters, humanos fera e criaturas da floresta, armas de fogo e brancas estão disponíveis em abundância ou em locais de fácil acesso;
  • Investigação/Descoberta – focando em resolver mistérios, invadindo o “Mar de Folhas”, não dando enfase a conflitos e confrontos, armas de qualquer tipo aqui não estão tão fáceis de conseguir;
  • Sobrevivência – como o nome deixa claro, aqui a sobrevivência dos drifters e da humanidade estão em risco, procurar equipamentos, reconstruir comunidades e defender-se contra ataques é o principal.

Nada impede que mais de um Tema ou Estilo de Jogo se fundam para se jogar e também há opção dos jogadores junto com a narradora criarem novos Temas ou Estilos.

Na criação dos personagens como funcionam os drifters, que são as pessoas que tem a capacidade de resistir ao Chamado da floresta, é explicado que eles não são heróis ou abençoados, ao contrário são pessoas com traumas no passado que o fazem se afastar da sociedade. Num passo a passo em como dar vida aos personagens: Imaginar o Personagem, Pensar num Nome, Definir as Qualidades, Definir o Passado, Definir as Posses.

Passo 1: Conceito, Nome e Passado

Respondendo a questões como: Como ele se parece? Quão velho ele é? O que gosta? De onde é? Por que está aqui? São perguntas que facilitaram ter a primeira visualização de como o personagem é fisicamente e seu comportamento.

Passo 2: Qualidades

Aqui temos os “atributos” do jogo: Corpo (Body), Sutileza (Finesse), Mente (Mind), Empatia (Empathy). Gastando 20 pontos, como valor médio de 5 e o máximo de 8.

Passo 3: Tag

Uma palavra ou frase curta que descreve como a Qualidade está relacionada com o personagem, pode ser descritiva, negativa, uma habilidade especifica, hobby. A única regra que uma Tag tem de ser negativa. Todas as Tags começam com metade do valor relacionado a Qualidade que está ligado arredondando para baixo.

Passo 4: Passado

Nesse passo pense em o que ocorreu com seu personagem para que ele consiga resistir ao Chamado, descrevendo o trauma com poucas palavras devendo ter sido algo assustador, horrível e que tenha deixado sequelas no personagem (não precisa ser sequela física) e porque ele resolver ser um drifter.

Passo 5: Posses

Nesse jogo o foco não está em se armar até os dentes ou estar preparado para todas as situações. Inicialmente pense em algo significativo ao personagem como um amuleto que o ligue sentimentalmente ao item em questão, pode ser um pingente por exemplo.

Após isso vem dicas de como a narradora ajudar os jogadores na criação dos personagens.

Drifters

Playing the Game – Jogando

A partir daqui temos a seção para a narradora, mas nada impede de você jogador xereta olhar também. Dando dicas as narradoras de quando é necessário rolar o dado. Como construir a aventura com suas Ações e Conflitos, Intenções, Consequências e como trabalhar os testes, qual Qualidade e Tag melhor se encaixa nesses testes e como é feita a rolagem. Os combates no jogo são feitos individualmente, um jogador que esteja engajado com um adversário não pode receber ajuda de outros. Como o dano é causado nos conflitos aqui chamados de Aflições (Distress) e podem afetar quaisquer Qualidades e como determinar seu valor, efeitos e como se curar delas.

Teste = Qualidade + tag(s) + ajuda

Os Traumas são explicados mecanicamente logo após, de como invoca-las para diminuir o valor de Trauma – que começa em 5, tendo como objetivo dos personagens chegar a zero e serem aceitos de volta a comunidade.

O funcionamento do Chamado e seus níveis de indo de zero até 5 e seus efeitos nos drifters,

Setting Information – Informações do Cenário

Perigo à vista

Esse capítulo é um show a parte, mostrando o que é o Mar de Folhas e o Chamado. Como funcionam as Estações do Ano e quais suas consequências na floresta. As Profundezas, que são o coração da floresta e o centro do Evento. Mostra como estão as cidades e áreas urbanas e como se dá a navegação e movimentação dentro dessas áreas ou nas florestas devido as causas do Evento, podendo fazer com que se percam com facilidade se não tomarem cuidado. Como se agem os sobreviventes nas colônias e como os drifters podem agir juntos apesar de traumas e anseios diferentes. Uma das coisas mais importantes para narradoras que gostam de ação vem logo a seguir com as descrições (não os dados sobre eles claro) dos tipos de perigos que podem assolar as comunidades, de drifters rivais, os perdidos (as pessoas que recebem o Chamado) e a vida selvagem (os animais naturais ou não) e os espíritos e fantasmas.

Narrator Advice – Conselho às Narradoras

Planejamento e o que liberar da história do jogo aos jogadores são os conselhos iniciais. Como narrar com tudo planejado ou de improviso. As recompensas e inspirações para os cenários. E a cereja do bolo está aqui, dicas de livros e filmes para cada Tema, Estilo e Cena: A Bruxa de Blair (Daniel Myrick e Eduardo Sanchez de 1999 e Princesa Mononoke (de Hayao Miyazaki de 1999). Como criar personagens e criaturas para seu jogo, com alguns exemplos básicos deles no final do capítulo.


Por fim o livro pode ser adquirido ainda no DrivethruRPG. Bom é isso galera, obrigado pela atenção de vocês, compartilhem com seus amigos e nos sigam no facebook e até a próxima.

Comentários

Deixe um comentário

Por favor, seja educado, nós do Mundos Colidem apreciamos isso. Seu endereço de e-mail não será publicado e os campos necessários serão marcados.