Ramen em Kara Tur

Olá, viajante! Seja bem vindo à Taverna no Fim do Multiverso. Meu nome é Gilgan, seu anfitrião.

Devo dizer que a fortuna lhe acompanha, pois veio em um dia especial. Estamos no período comemorativo do início de um novo ciclo lunar nos reinos orientais de alguns dos planos materiais que tenho acesso, assim, fiz essa decoração alusiva. Não se preocupe com os fogos que estão estourando no teto, são apenas ilusões (na verdade, é um enorme painel que nos permite visualizar uma dessas realidades que no momento está comemorando com fogos, mas temos alguns supersticiosos aqui que não gostam muito, logo, digo tratar-se de uma ilusão; uma mentirinha inocente, se me permite!).

Gostou desse conjunto de espadas? Chama-se daisho, e esse veio da província de T’u Lung, mais precisamente da cidade de Balanzia, forjada pelo grande mestre Lorde Ghira Tso de Lenachi, o Último dos Irmãos, que me presenteou por ajudá-lo a localizar o shugenja Won da Baía de Sunob e reverter a mortífera maldição que recaía sobre seu pai.

Cuidado com o distinto cavalheiro de túnica marrom e bastão que se encontra mais ao fundo. Trata-se de Nuska Ohm Wy, um hengeyokay macaco, capaz de assumir forma humana (a que você vê agora) e pregar peças em viajantes mais descuidados.

Aposto que gostou também deste dragão de jade! Uma das mais distintas peças de minha coleção. Me foi dado pelo próprio Do Enang, mercador e dono de uma armada mercante, conseguido de uma terra que me foge o nome, mas que se encontra ainda mais a leste que a própria Kara Tur.

Este relógio de água funciona como os encontrados em todas as cidades da província, mas trata-se de uma réplica do encontrado na Capital, sendo assim, marca a hora real, que, sabemos, só é importante se tiver um compromisso com o Imperador, visto que ele sempre observa seu relógio, abastecido pelos aquedutos da cidade, e, por esse motivo, nunca são reajustados.

Se olhar bem, temos também artefatos de outras províncias, como os quimonos que adornam esses manequins de madeira. Todos vieram de Shou Lung, grande produtora de seda e de monges.

De Tabot, trouxe miniaturas de diversas de suas construções de arquitetura única, alguns, na verdade, construções miniaturizadas através do uso de magia, novamente recorrendo aos Wu Jen de T’u Lung, sempre eles.

Mas nada supera este pequeno e singelo bonsai. Trata-se de uma árvore típica dos Ermos Setentrionais, a qual consegui pessoalmente, escapando inclusive do próprio Ogro Mago Balinaikal, senhor do Palácio Afundado que leva seu nome, e o cuidei segundo os ensinamentos de meu mestre Takae Suju.

Perceba que vimos apenas artefatos da região mais ao norte das terras orientais, nem chegamos a explorar seu majestoso arquipélago e as regiões mais ao sul, que são também riquíssimas de tesouros, pessoas notáveis e artefatos misteriosos, como toda cultura oriental merece. Essa exibição na verdade pode servir como uma pequena apresentação de Kara Tur, a região de Aventuras Orientais dos Reinos Esquecidos.

Além dos compêndios que apresentam suas terras, geografia, política, economia e pontos de interesse, existem também os livros que contém aventuras para honrados aventureiros que desejem desbravar essas misteriosas terras. São eles: Swords of the Daimyo, Night of the Seven Swords, Ochimo the Spirit Warrior, Blood of the Yakuza, Mad Monkey vs Dragon Claw, Ronin Chalenge e Test of the Samurai. Todas independentes, se passam em diversas partes de Kara Tur, de modo que complementa o material básico ajudando a explorar todo o reino oriental.

Um problema encontrado no material é a falta de regras de como criar personagens típicos dos reinos orientais, forçando aqueles que estejam interessados em explorar essas terras sejam, no geral, gaijins, estrangeiros que lá chegaram de alguma forma, a não ser que você tenha material complementar.

 

Aqui você encontra o Wu Jen
Aqui, regras completas para jogar com Ninja
Os Samurais são encontrados neste aqui.
E aqui, opção para os povos bárbaros que se encontram nas terras orientais.

Assim, encerro nosso passeio pelos reinos orientais, mas não sem antes deixar aqui uma receita típica das terras do Sol Nascente, o Ramen.

Ramen

Ingredientes

  • Macarrão tipo noodles;
  • 500ml de água
  • 50g de gengibre cortados em rodelas;
  • 50ml de saque (opcional);
  • 150ml de molho de soja;
  • 200g de peito de frango cortado em cubos pequenos;
  • 200g de bisteca de porco;
  • 1 ovo;
  • Alho poró cortado em rodelas (pode ser cebolinha);
  • Sal e pimenta do reino a gosto;

Preparo

  • Cozinhe o macarrão junto com o gengibre. Reserve;
  • Ainda com o gengibre na água de fervura do macarrão, acrescente o saque e o molho de soja e ferva esse caldo por cerca de 5 minutos;
  • Tempere o peito de frango ou a bisteca suína com sal e pimenta do reino e frite. Cozinhe e descasque o ovo;
  • Em uma tigela, coloque o macarrão, o caldo, a carne e o ovo. Finalize com o alho poró;
  • Sirva quente.

Bom apetite.

Comentários

Deixe um comentário

Por favor, seja educado, nós do Mundos Colidem apreciamos isso. Seu endereço de e-mail não será publicado e os campos necessários serão marcados.