Potiguares: um jogo minimalista sobre o cotidiano indígena

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

No episódio anterior da Caixa do Lima, apresentei um cenário com a temática Afro-futurismo que inscrevi no Concurso Alphaversos, o Afro Rangers, que se passa em um futuro pós apocalíptico, onde a sociedade Iorubana é a única remanescente de um conflito nuclear que ocorreu no século XXII.

Dando sequência às produções autorais, gostaria de apresentar aos meus fiéis leitores o Potiguares: os moradores do Rio Grande do Norte. Trata-se de um minijogo que desenvolvi para a utilizar nas aulas de cultura e tradições indígenas, com foco nos índios Potiguares que habitavam o litoral do estado do Rio Grande do Norte, no nordeste do Brasil.

A mecânica de regras do Potiguares tem foco nas situações do dia a dia de uma tribo indígena, enfatizando as soluções das situações de forma coletiva. O pessoal do RPGs Mínimos de Mesa curtiu bastante a ideia e postou este comentário em sua fan page:

Em “Potiguares”, de Raphael Lima, o autor além de criar um rpg mínimo simples, também conseguiu o que considero um verdadeiro feito: seu sistema consegue emular uma sociedade indígena onde a abordagem dos problemas, crises e perigos, é feita de modo comunitário, como os Potiguares costumavam fazer. Não esperava menos deste autor que consegue aliar diversão e conhecimento de modo integrado e lúdico.

O jogo ainda apresenta possibilidades para os jogadores de ganharem e/ou perderem o controle narrativo.

O Mestre na verdade é sempre o Pajé e ele não rola dados. As habilidades são baseadas em profissões. No entanto Raphael Lima deixa claro que os Potiguares incentivavam o aprendizado de todas as atividades necessárias à sobrevivência. Se alguém se dedica apenas a uma das habilidades os outros membros da tribo ficam preocupados, considerando que aquele membro não está bem. Isto aprendi lendo este RPG excelente. O que acham disso nesta sociedade em que vivemos onde os super-especialistas são as pessoas mais ovacionadas?
Tudo isto faz de “Potiguares” um jogo muito especial.

Potiguares está disponível para download na versão em português, no Dungeonist, e em inglês, no DriveThruRPG. Espero que curtam, mais esse RPG minimalista do Mundos Colidem. E recomendo a vocês que que conheçam e curtam a fan page do RPGs Mínimos de Mesa, que é uma das minhas favoritas sobre divulgação de jogos indie.

 

Edit: O Potiguares saiu na revista Gamebook Spatótipo, um periódico sobre os eventos e produções de Boardgames (e jogos analógicos em geral) dos autores do Nordeste Brasileiro.

Link para a Gamebook Spatótipo

Até breve!

Comentários

Deixe um comentário

Por favor, seja educado, nós do Mundos Colidem apreciamos isso. Seu endereço de e-mail não será publicado e os campos necessários serão marcados.