Um Grito na Noite – Aventura de Persona 4 para Cortex Plus

Olá,

No dia 15 de outubro de 2017 ocorreu o evento Anima Con aqui na cidade de Natal/RN, um evento para fãs de animes e mangás, com espaço também para outras áreas afins, como o k-pop, card game, jogos eletrônicos, boardgame e RPG. Nós, do Mundos Colidem, fomos chamados para auxiliar na organização da parte de RPG, em parceria com a Ludobox que estava organizando a parte de boardgames. Por ser um evento de anime, foi decidido que todas as aventuras-prontas mestradas no evento seriam na ambientação de algum anime, escolhendo-se sistemas adequados para um jogo naquele cenário. Assim, levamos seis mesas: Blame!, mestrado por Lima no sistema do Savage Worlds; Boku no Hero, mestrado por Robson no sistema Icons; Naruto, mestrado por Tio Lipe no sistema do 3D&T Alpha; One Piece, mestrado por Joka no sistema do Open Legends; Fullmetal Alchemist, mestrado por Necrolas no sistema do Savage Worlds; e Persona 4, mestrado por mim, Leish, no sistema do Cortex Plus. Ainda na linha da postagem anterior, eu trago no capítulo de hoje, uma análise sobre o sistema Cortex Plus que tenho utilizado em meus jogos shounen, a aventura-pronta e as fichas de personagens que foram utilizadas.

Key Plus Words

(Ou: Um pouco sobre Anime e Teoria do RPG)

Antes de prosseguir, eu acho importante falar um pouco sobre Anime e RPG, principalmente alguns termos que serão utilizados ao longo do capítulo. Se você tiver um pouco mais de interesse no assunto envolvendo animes e RPG, além de aprofundamento nas categorias de anime e seus gêneros, eu sugiro dar uma lida no artigo O que seria uma mesa de RPG ‘estilo anime’? E o que isso tem a ver com mesas seguras?, escrito pela Graci no blog pessoal dela, o “As Tralhas RPGísticas da Graci”. Muito dos termos técnicos de animes presentes aqui neste capítulo vieram de lá, já que ela definiu bem melhor que muito site de anime, as categorias e gêneros – e sem ser cansativa, a leitura flui que é uma maravilha (confira clicando aqui).

Anime é uma palavra que descreve animações orientais, apesar de ter origem japonesa, ela tem se estendido a outras animações que sigam o mesmo estilo produzidos no Oriente – ao ponto de até mesmo Avatar, que foi produzido por um estúdio coreano, ser chamado aqui e ali por Anime. Como muitas dessas animações acabam passando em programas voltados pra crianças, rola um preconceito (no sentido de falta de conhecimento) de que todos os animes são voltados pra crianças, quando se trata de um estilo de mídia (filmes são estilos de mídia, assim como livros) e como tal, ela possui diferentes públicos que podem ser divididos por faixa etária ou gosto do gênero midiático. Nos Animes, a divisão por faixa etária também inclui a divisão por identidade de gênero, havendo o:

  • Josei, que é voltado para o público adulto feminino, visando a faixa etária dos 18 aos 30 anos, em média, sendo muito comum conter drama e romance;
  • Seinen, que é voltado para o público adulto masculino, visando a faixa etária dos 18 aos 30 anos, em média, sendo muito comum conter alta carga emocional, violência ou sexualidade;
  • Shoujo, que é voltado para o público jovem feminino, visando a faixa etária abaixo dos 18, em média, sendo muito comum conter romance, elementos fantásticos ou sobrenaturais, havendo carga emocional e drama, mas de forma leve, respeitando a faixa etária;
  • Shounen, que é voltado para o público jovem masculino, visando a faixa etária abaixo dos 18, em média, sendo muito comum conter ação, aventura ou artes marciais, havendo luta e violência, mas de forma leve, respeitando a faixa etária.

A divisão dos animes por gêneros midiáticos é bem mais ampla: ação, adulto, artes marciais, aventura, comédia, doujinshi, drama, ecchi, esportes, fantasia, ficção científica, gender bender, harém/otome, histórico, horror, maduro, mecha, mistério, psicológico, romance, shounen-ai/shoujo-ai, slice of life, sobrenatural, superpoder, vida escolar. Não vou me aprofundar detalhando cada gênero porque isso daria um artigo por si só, mas a Graci fez um resuminho maroto que você pode conferir aqui.

Sobre RPG. Bem, eu entendo que este site é um site voltado pro RPG e que é comum que muitos leitores tenham domínio de certos conceitos e elementos do RPG, mas precisamos lembrar que há iniciantes e que também há o pessoal leigo, que está chegando a este site por causa de algum outro assunto, como Persona 4, que tanto tem no formato de jogo eletrônico quanto no de anime. Por isso é importante abordar alguns dos conceitos utilizados neste capítulo do Lugar Nenhum. Muito do que será usado aqui já foi dito nesta postagem de Franciolli com a tradução do artigo do Ron Edwards, O Sistema Importa (que você pode ler clicando aqui). E eu recomendo imensamente a leitura, principalmente pra quem deseja mergulhar na área de game designer de RPG e pra quem deseja uma compreensão melhor sobre os atuais designs do nosso hobby. Para aqueles com pouco tempo, pela teoria GNS (Gamista, Narrativista, Simulacionista), um sistema de RPG pode ter três perspectivas: Gamista, em que o sistema recompensa vitórias, podendo haver ou não uso de elementos táticos, mas há uma mecânica de disputa claro entre os desafios do jogo e o personagem; Narrativista, em que o sistema foca no desenvolvimento da história, podendo haver ou não uso de elementos de atuação, mas há uma mecânica que estimule a narrativa; Simulacionista, em que o sistema simula um determinado cenário, podendo haver ou não uso de elementos realistas, mas há uma mecânica que reproduz as características propostas pelo cenário.

Pursuing My Trueself

(Ou: A busca por um sistema para mestrar Animes)

Eu aprecio muito animes, principalmente da categoria shounen, e isso reflete bastante em meus jogos. Eu me sinto mais confortável e me divirto mais quando mestro jogos que contenham elementos dos gêneros de ação, aventura, sobrenatural ou fantasia, com pitadas de artes marciais, comédia, horror, mistério, slice of life e vida escolar. Até tento utilizar outros gêneros e linhas, como drama e romance, mas acaba sendo mais por desafio pessoal, pra ver como me saio em uma mestragem dessa linha do que por conforto. Encontrar um sistema que atendesse essas necessidades sempre foi uma das minhas maiores buscas. Durante muito tempo o 3D&T me serviu, assim como o BESM d20, o Tormenta RPG, o Scion, o Fate e o 13ª Era, mas eles sempre tiveram limitações em reproduzir alguns elementos ou mecânicas que me incomodavam. As mecânicas até poderiam ser boas e funcionais pra proposta do sistema, mas me incomoda, Leish, e não me sinto confortável usando-as. Um dos exemplos de mecânica muito foda pra proposta do sistema, mas que me incomoda, é a aleatoriedade do 13ª Era. Eu entendo que a idéia é justamente que pela aleatoriedade de alguma situação, a narrativa do golpe e do feito seja feita depois, evitando repetir padrões comportamentais e o assombrado “eu ataco”. Mas me incomoda. Assim como jogar um caminhão de dados com Exalted e Scion.

O Fate, por ser narrativista, eliminava boa parte dos incômodos, mas eu me incomodo de ficar invocando o tempo todo pra farmar ponto de destino e eu não curto o lance de poder tirar menos no resultado que o valor de minha característica. No Fate há uma mecânica de Aspectos, que é uma característica do seu personagem, que quando invocada por um coleguinha seu, o mestre ou você mesmo, geralmente pra uma situação de complicação, você ganha um Ponto de Destino que oferece benefícios quando usado. E como o Fate basicamente gira em torno dos Pontos de Destino é muito importante você ter bastante (farmar estaria no sentido de coletar, acumular). E no caso do resultado das rolagens, o Fate usa os dados Fudges, que possuem três valores (positivo, neutro, negativo) e são rolados em número de quatro e somados, definindo seu valor total. Portanto, mesmo eu tendo +3 em uma perícia, eu posso tirar -4 nos dados (quatro negativos) e anular isso tudo. Eu entendo que isso tem relação com a proposta do sistema e do narrativismo, que deixa mais dramático e o foco na história sendo contada e não na ficha propriamente dita, e que na mão de um jogador e mestre com prática no sistema isso faz milagres, mas causa em mim o mesmo efeito do resultado um no dado anular sucesso no Storyteller e no Shadowrun e do Thac0 do AD&D.

Foi então que eu conheci o Córtex Plus, quando um amigo meu mestrou Marvel Heroic Roleplaying pra mim e alguns amigos. De início eu tive um certo horror pela quantidade de dados utilizadas, já que é dice pool, e pela mecânica de Doom’s Pool que exige um pouco mais de atenção do Mestre – jogar de Madrox aumentou a impressão com os dados, já que eu realmente tinha que jogar um balde de dado, principalmente quando me multiplicava. No Cortex, você possui algumas características e elas têm valores em formato de dado, como Social d8, Arma Especial d6, etc.. Ao fazer sua ação, você olha todas as características e decide quais vai utilizar, pegando o dado referente àquela característica e jogando todos. Madrox é um personagem da Marvel que se multiplica, então quando entrava em combate contra vários oponentes, eu adicionava 1d6 para cada oponente tradicional, além dos dados que já rolaria. Eu não rolava menos de 8 dados quando jogava de Madrox. A mecânica do Doom’s Pool eu vou ficar devendo porque ela é um pouco mais detalhada e eu não tenho capacidade de sintetizar a ponto de deixar em um parágrafo. Digamos apenas que ela aumenta a dificuldade das coisas com o tempo que vai passando, dando aquela tensão crescente em quadrinhos e forçando os jogadores a tentarem diminuir a Doom’s Pool enquanto resolvem as situações. O Cortex Plus bebeu muito do Fate, já que o Cam Banks trabalhou com os designers do Fate pra elaborar o Cortex Plus. Só que o Cortex Plus usa elementos mais palpáveis pra mim. Farmar Plot Point diminuindo 1d8 de uma Distinção pra 1d4 era mais viável que ficar me tageando, mesmo que a Distinção cumpra um papel similar ao do Aspecto, por eu construir a pool dice na hora de jogar, isso meio que naturalizava o processo – e eu não precisava ficar declarando aos 4 ventos que estava tageando.

Por muito tempo eu namorei o Cortex Plus, vendo como ele simulava bem jogos em quadrinhos sem tanta complicação como eu encontrava no Mutantes & Malfeitores e no BESM d20. Mas o acender da chama se deu no Facebook, em 2014, quando conversando com o Thiago Rosa, em algumas das várias discussões em comunidades tradicionais que alguém mostrava algum tipo de preconceito ao D&D 4.0, ele soltou que o Cortex Plus era perfeito pra Cavaleiros do Zodíaco. Quando eu li isso, um mundo todo se abriu perante meus olhos. Falei com o meu amigo Alisson, que mestrava o Cortex Plus, e sugeri uma sessão de Cavaleiros do Zodíaco, que ele decidiu mestrar ainda nos tempos da Grécia Antiga, em um jogo bastante divertido, mas que provou aos meus olhos que sim, o Cortex Plus funcionava bem pra shounen. E Cavaleiros do Zodíaco, por causa das oscilações de cosmos e outras nuances específicas do cenário sempre foi muito difícil de se emular bem em algum sistema. Há adaptações? Há, mas elas não cobrem bem todas as situações que aparecem no mangá e no anime. O Córtex Plus emulou, já que a mecânica é focada na narrativa, não em algo gamista, sendo mais abstrata e mais fluída – e permitindo que coisas cósmicas, representadas pelo d12, interajam com coisas mundanas, representadas pelo d6. Um tempo depois eu comecei a mestrar o Cortex Plus, testando diferentes cenários: Tokyo Babylon, Harry Potter, Yu Yu Hakusho, League of Legends, Fate Stay Night, entre outros. E ele se saiu bem em todos. Eu sei que tem uma adaptação na internet pra Dragon Ball Z e segundos algumas testagens teóricas com meu amigo João Neto, a gente chegou à conclusão que é possível jogar até mesmo Master Chef e Dorama no Córtex – usando outra vertente, como o Córtex Drama. O Córtex há algum tempo atrás saiu das mãos da Margareth Weis que decidiu se dedicar a roteiros e romances e passou pras mãos do Cam Banks, o game designer responsável pelo Córtex Plus, que lançou há um tempo um Financiamento Coletivo pra produção do Cortex Prime, o módulo básico do Córtex que tem pretensão de ser modular, em que você vai escolhendo as mecânicas que vai utilizar no seu jogo. E eu admito: estou esperando o danado ansiosamente, porque da perspectiva narrativista, o Córtex é o meu sistema de cabeceira.

Heartbeat, Heartbreaker

(Ou: Sobre Persona 4)

O anime escolhido para o jogo que eu mestraria no Anima Com foi Persona 4 – eu estava na dúvida entre Persona 4 ou Gran Blue Fantasy. Persona 4 é uma animação baseada no jogo de RPG eletrônico homônimo que saiu pra PS2 pela Atlus em julho de 2008. Curiosamente, é o quinto jogo da linha Persona, um spin-off da linha Shin Megami Tensei, também produzida pela Atlus. O enredo de Persona 4, tanto no jogo quanto no anime, envolve adolescentes por volta dos 16 anos e seus conflitos típicos, como isolamento social, inveja, medo, vazio interior, busca de identidade, complexo de superioridade, impaciência e, principalmente, a não aceitação de si mesmo. O jogo e o anime se passam em uma cidade do interior, Inaba, onde ocorre uma série de assassinatos envolvendo um estranho nevoeiro e um canal de televisão que só transmite à meia-noite. Você pode encontrar uma excelente resenha sobre Persona 4 no artigo “Por que eu me apaixonei por Persona 4 Golden” do Guilherme Jacobs na Medium, bastando clicar aqui. Um elemento, até mencionado pelo Guilherme Jacobs, que me fascinou, além da execução da história e do enredo de Persona 4 foi a Trilha Sonora. Tanto que toda a OST está no meu celular, inicialmente baixada pro jogo no Anima Com e hoje em dia utilizado até pras viagens de ônibus e os títulos dos parágrafos deste capítulo são títulos das músicas de Persona 4 – vocês podem conferir uma palhinha clicando aqui.

Em todos os jogos da linha Persona, os personagens protagonistas são capazes de manifestar um avatar de seu inconsciente, que é capaz de lutar por ele, seja utilizando-se de armas ou magias. Em Persona 4, existe uma dimensão paralela que é chamada de Canal da Meia-Noite e pode ser acessado por qualquer pessoa que manifeste um Persona através de uma televisão (embora ela precise ser grande o suficiente para que a pessoa consiga passar por ela). Os personagens fazem parte de um grupo de investigação que está tentando desvendar os assassinatos, já que descobriram que a próxima vítima surge numa transmissão à meia noite em dias de chuva. De alguma forma, ela é levada para a dimensão do Canal da Meia Noite, uma dimensão tomada por uma misteriosa névoa, onde é colocada em uma dungeon criada pelo seu próprio inconsciente e confrontada por ele. Quando a névoa sai do Canal da Meia Noite e invade o mundo humano, as sombras que vivem na dimensão do Canal da Meia Noite enlouquecem e matam qualquer humano que esteja lá. Os personagens, por serem os únicos a conseguirem entrar na dimensão do Canal da Meia Noite, assim que descobrem informações sobre a próxima vítima, costumam entrar lá para resgatá-la antes que a névoa saia alguns dias depois e ela seja assassinada e repelida pro mundo humano. Eles contam com a ajuda de Kuma, um urso que vive na dimensão e cuja origem é misteriosa até pra ele.

Para a aventura do jogo de RPG no evento, eu fiz uma pesquisa sobre a cidade, já que não joguei o jogo do PS2 – e não tinha na Steam pra comprar. Por mais que fosse uma aventura-pronta, eu tinha que deixar elementos para que a cidade fosse explorada, principalmente se ocorresse de alguém que conhecesse o jogo cair na minha mesa. Para as fichas, eu utilizei a modularidade proposta no Córtex Prime, escolhendo as mecânicas que fossem mais relevantes para uma melhor reprodução da proposta do jogo e adaptando as características para aquelas encontradas no jogo eletrônico. Desta forma, utilizei as Distinções, os Atributos (colocando os atributos do jogo eletrônico: Conhecimento, Coragem, Disciplina, Empatia e Expressão), Relacionamentos (que o dado é adicionado se a ação envolver um dos personagens dos relacionamentos) e o Persona, o último tendo uma ficha própria com atributos (os atributos do persona do jogo eletrônico: Agilidade pra defesa física, Força pra ataque físico, Magia pra ataque mágico e Resistência pra defesa mágica) e as habilidades especiais de cada Persona. Por fim, preparei uma aventura que seguisse algum formato parecido com o encontrado no anime e que pudesse mostrar os elementos do cotidiano dos personagens, a importância de suas relações, das explorações da dungeon e do dilema/conflito pessoal da antagonista.

Mist

(Ou: A descrição da cidade de Inaba, cenário de Persona 4)

Inaba é uma pequena cidade localizada em zona rural, no interior do Japão. Ela é cercada por colinas e fazendas, com o rio Samegawa atravessando-a de um lado ao outro. Surgida a partir do minério de carvão, a cidade se desenvolveu o suficiente pra tornar-se uma área habitada mesmo após a exploração do minério ter sido encerrada. Inaba é uma cidade pacata e tranquila, sendo tida como “chata” e “um lugar no meio do nada” pela população jovem da cidade.

  • Escola Yasogami. A escola de ensino médio local, onde os personagens estudam. As aulas ocorrem durante o período da manhã e o turno da tarde é utilizado para as atividades dos clubes. O prédio principal possui três andares, com a parte administrativa e cantina localizada no térreo, as salas do primeiro ano letivo no primeiro andar, as salas do segundo ano letivo no segundo andar, as salas do terceiro ano letivo no terceiro andar, além do terraço, que possui uma área arborizada. Além do prédio principal, também há o prédio dos clubes que tem dois andares e diversas salas onde atuam os clubes estudantis. Listagem de Personagens da Escola:
    • Yu Narukami. Aluno Transferido. Segundo ano, classe 2.
    • Yosuke Hanamura. Preppy. Segundo ano, classe 2.
    • Chie Satonaka. Desportista. Segundo ano, classe 2.
    • Yukiko Amagi. CDF. Segundo ano, classe 2.
    • Kanji Tatsumi. Pittboy. Primeiro ano, classe 3.
    • Rise Kujikawa. Diletante. Primeiro ano, classe 2.
    • Naoto Shirogane. Primeiro ano, classe 1.
    • Saki Konishi. Casanova. Terceiro ano, classe 3.
    • Naoko Konishi. Alone. Primeiro ano, classe 2.
    • Nene Kawamura. Capitã. Primeiro ano, classe 3.
    • Hanako Ohtani. Imediato. Segundo ano, classe 2.
    • Daisuke Nagasi. Desportista. Segundo ano, classe 3.
    • Kou Ichijo. Desportista. Segundo ano, classe 1.
    • Ai Ebihara. Preppy. Segundo ano, classe 1.
    • Ayane Matsunaga. Diletante. Primeiro ano, classe 2.
    • Yumi Ozawa. Diletante. Segundo ano, classe 3.
    • Aika Nakamura. MacGyver. Segundo ano, classe 2.
    • Kinshiro Morooka. Professor de Filosofia.
    • Kimiko Sofue. Professora de História.
    • Professor de Inglês.
    • Professor de Geografia.
    • Professora de Matemática.
    • Professor de Literatura.
    • Noriko Kashiwagi. Professor de Biologia.
  • Loja de Departamento Junes. O maior complexo comercial da cidade, com diversos departamentos. O Time Investigativo se reúne na praça de alimentação, além de utilizar a maior televisão do departamento de eletrônicos para viajarem para a dimensão do Canal da Meia Noite. A geração mais velha da cidade costuma ver a Junes com maus olhos devido ao fechamento de lojas no Distrito Comercial, chegando até mesmo a culpar a Junes pelo clima estranho e pelos desaparecimentos misteriosos.
  • Distrito Comercial Central. Localizada na zona leste da cidade, o Distrito Comercial Central é o coração das atividades na cidade de Inaba. A área é dividida na Comercial Norte e na Comercial Sul. Ao norte do distrito fica a estação de Inaba. Local de estabelecimento de muitas empresas familiares, algumas delas estão fechando após a chegada da Junes, há um ano atrás.
    • Bebidas Konishi (Comercial Norte): Loja de bebidas de Inaba, administrada pela família Konishi. Possui uma máquina de bebidas enlatadas e concede bebidas extras como prêmio se o cliente ganhar o sorteio após uma compra.
    • Correios (Comercial Norte): Os correios de Inaba.
    • Costuraria Tatsumi (Comercial Norte): Loja de roupas, tecidos e tinturaria administrada pela família Tatsumi.
    • Loja de Hobby Marutake (Comercial Norte): Loja de miniaturas que fechou por falta de negócios.
    • Quadro de Avisos de Inaba (Comercial Norte): Local onde são fixados os anúncios e informes da cidade, além de ofertas de emprego.
    • Restaurante Chinês Aya (Comercial Norte): Serve Ramens. Nos dias chuvosos oferece o Mega Bife Bowl, vulgo “Portal para os prazeres da carne”, contendo 5kg de carne. Realiza entregas em qualquer momento, em qualquer local, tendo como entregadora Aika Nakamura.
    • Santuário de Tatushime (Comercial Norte): Santuário com vista para o distrito nas colinas. Abandonado há anos, algumas pessoas ainda costumam visitá-lo para escrever seus pedidos no ema. Uma raposa reside neste santuário, às vezes escolhendo alguém para realizar os pedidos escritos no ema. Há rumores que uma mulher de branco, trajando quimono, assombra o Santuário à noite, pedindo pra que seus peixes sejam alimentados.
    • Souzai Daigaku (Comercial Norte): Restaurante que vende bifes e croquetes de carne pra preparo em casa – que podem ser encomendados em dias de chuva.
    • Farmácia Shiroku (Comercial Sul): Vende medicamentos e outros produtos. Durante a noite, no porão da Farmácia funciona um pub.
    • Livraria Yomenaido (Comercial Sul): Livraria.
    • Metalurgia Daidara (Comercial Sul): Loja que vende produtos de metal.
    • Ponto de Ônibus (Comercial Sul): ponto de ônibus para outras áreas da cidade.
    • Posto de Gasolina (Comercial Sul): posto de gasolina da cidade de Inaba.
    • Sala de Veludo (Comercial Sul): Passagem que leva até a Sala de Veludo, onde Igor pode ser encontrado juntamente com Margareth.
    • Tofu Marukyu (Comercial Sul): Loja de Tofu administrada pela família Kujikawa.
  • Hospital Municipal de Inaba. Hospital da cidade.
  • Resort Amagi. Localizado no norte do rio Samegawa, hospedaria administrada pela família Amagi.

O Canal da Meia-Noite parece um estúdio de televisão, com grandes holofotes espalhados por todo o lugar. É o lar de Kuma, o urso, além de inúmeras sombras. O lugar onde uma pessoa que entra no Canal da Meia Noite vai cair é determinada pelo local por onde ela entra. As pessoas no Canal da Meia Noite não atraem Sombras, entretanto quando o nevoeiro desaparece, as Sombras surtam e matam qualquer humano preso no canal da Meia Noite. As vítimas mortas no Canal da Meia Noite são expulsas do mundo da TV e seu cadáver é encontrado pendurado em uma antena sem indicações físicas da sua morte. Mas elas podem ser salvas caso sejam resgatadas do Canal da Meia Noite antes que o nevoeiro desapareça.

O nevoeiro que cobre o Canal da Meia Noite impede a visibilidade. Óculos criados por Kuma permitem que pessoas consigam enxergar normalmente no nevoeiro, como em um dia claro.

Time to Make History

(Ou: Fichas dos personagens de Persona 4 para Cortex Plus)

Yu Narukami

Estudante Transferido.

“As pessoas conseguem! Enquanto puderem abrir os olhos e enxergar quem está ao seu redor, elas serão capazes de enxergar a verdade!”.

Atributos

Conhecimento d8

Coragem d8

Disciplina d8

Empatia d8

Expressão d8

Distinções

Amigável. Yu é uma pessoa amigável e gentil. Sempre que estiver sendo amigável com alguém, ele pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ele pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Calmo. Yu possui um comportamento calmo. Sempre que estiver realizando uma ação sem ser dominado pelo nervosismo, ele pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ele pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Determinado. Yu não recua perante os desafios. Sempre que estiver sendo determinado contra um desafio, ele pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ele pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Relacionamentos

Chie Satonaka d8

Kuma d8

Yosuke Hanamura d8

Yukiko Amagi d8

Izanagi

Arcano 22 – Fool

“Eu sou tu. Tu és eu. O tempo chegou. Abra os olhos e liberte o que está em você.”

Atributos

Agilidade d10

Força d6

Magia d10

Resistência d6

Características

Ataque Múltiplo. Ao custo de 1 Plot Point, Izanagi pode lançar uma magia de eletricidade que atinge diferentes alvos, adicionando 1d6 na sua rolagem para cada alvo adicional.

Auxílio. Ao custo de 1 Plot Point, Izanagi pode aumentar em um a categoria do dado de Resistência do Persona de um aliado. Dura uma cena.

Elemento Eletricidade. Seus ataques de Magia são de Eletricidade.

Intimidação. Ao custo de 1 Plot Point, Izanagi pode diminuir em um a categoria do dado de Resistência de algum oponente. Dura uma cena.

Vulnerabilidade Vento. Ações usando Magia de Vento contra Izanagi aumentam em um a categoria do dado de efeito utilizado na criação da complicação.

Yosuke Hanamura

Preppy.

“A distância não interessa! Mesmo que nos distanciemos algum dia, ainda seremos amigos!”.

Atributos

Conhecimento d8

Coragem d10

Disciplina d6

Empatia d6

Expressão d10

Distinções

Casanova. Yosuke tem uma postura extremamente galanteadora. Sempre que estiver interagindo com uma garota ou a situação envolver uma garota, ele pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ele pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Dedutivo. Yosuke possui uma capacidade dedutiva boa, tendo insights que auxiliam nas investigações da equipe. Sempre que estiver investigando, pesquisando, pensando ou observando algo, ele pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ele pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Leal. Yosuke é uma pessoa leal aos amigos. Sempre que estiver agindo de forma a apoiar algum dos seus amigos, ele pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ele pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Relacionamentos

Chie Satonaka d8

Kuma d8

Yu Narukami d10

Yukiko Amagi d6

Jiraiya

Arcano 01 – Magician

“Dói enfrentar a si mesmo. Você não estava mentindo, mas eu estava tão envergonhado que não quis admitir isso. Tu és eu. Eu sou tu.”

Atributos

Agilidade d10

Força d10

Magia d6

Resistência d6

Características

Ataque Especial. Ao custo de 1 Plot Point, Jiraiya desfere um soco adicionando 1d10 na sua rolagem de ataque. Além disso, o dado de efeito deste ataque aumenta em uma categoria.

Auxílio. Ao custo de 1 Plot Point, Jiraiya pode aumentar em um a categoria do dado de Agilidade de algum aliado. Dura uma cena.

Cura. Ao custo de 1 Plot Point, Jiraiya pode diminuir em uma categoria o dado de complicação envolvendo ferimentos físicos em um aliado. Se utilizar a ação para fazer um teste de diminuição da complicação, junto com o gasto do Plot Point, caso tenha sucesso ele elimina a complicação física.

Elemento Vento. Seus ataques de Magia são de Vento.

Vulnerabilidade Eletricidade. Ações usando Magia de Eletricidade contra Jiraiya aumentam em um a categoria do dado de efeito utilizado na criação da complicação.

Chie Satonaka

Desportista.

“Você não sabe como eu me sinto! Ela pode morrer por causa disso, por estar em apuros. Eu estou indo lá, e é isso mesmo!”.

Atributos

Conhecimento d6

Coragem d10

Disciplina d6

Empatia d8

Expressão d10

Distinções

Artista Marcial. Chie é uma atleta, versada principalmente em artes marciais. Sempre que estiver realizando alguma proeza física, ela pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ela pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Extrovertida. Chie é extrovertida, tendo facilidade de interação social com as pessoas. Sempre que estiver interagindo com alguém, ela pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ela pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Senso de Justiça. Chie possui um forte senso de justiça, desejando ser policial quando for adulta. Sempre que agir de forma justa e correta, principalmente protegendo e salvando as pessoas, ela pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ela pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Relacionamentos

Kuma d6

Yosuke Hanamura d8

Yu Narukami d8

Yukiko Amagi d10

Tomoe

Arcano 07 – Chariot

“Tu és eu. Um lado de mim que tentei ignorar. Mas você existe e é parte de mim.”

Atributos

Agilidade d6

Força d8

Magia d8

Resistência d10

Características

Ataque Especial. Ao custo de 1 Plot Point, Tomoe desfere um golpe com sua glaive adicionando 1d8 na sua rolagem de ataque. Além disso, o dado de efeito deste ataque aumenta em uma categoria.

Ataque Múltiplo. Ao custo de 1 Plot Point, Tomoe pode lançar uma magia de gelo que atinge diferentes alvos, adicionando 1d6 na sua rolagem para cada alvo adicional.

Auxílio. Ao custo de 1 Plot Point, Tomoe pode aumentar em um a categoria do dado do atributo Força do Persona de um aliado. Dura uma cena.

Elemento Gelo. Seus ataques de Magia são de Gelo.

Vulnerabilidade Fogo. Ações usando Magia de Fogo contra Tomoe aumentam em um a categoria do dado de efeito utilizado na criação da complicação.

Yukiko Amagi

CDF.

“Eu acho que todos têm múltiplos lados dentro de si. E você não precisa se forçar a escolher por apenas um”.

Atributos

Conhecimento d10

Coragem d6

Disciplina d10

Empatia d8

Expressão d6

Distinções

Diplomática. Yukiko é educada e possui conhecimento de etiqueta, sendo hábil na persuasão e na diplomacia. Sempre que estiver interagindo com alguém, ela pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ela pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Inteligente. Yukiko é inteligente e possui raciocínio rápido. Sempre que estiver realizando alguma atividade mental, ela pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ela pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Zelosa. Yukiko possui um forte senso de zelo e proteção pelos amigos, sempre auxiliando-os quando possível. Sempre que agir de forma a proteger seus amigos, ela pode adicionar 1d8 em sua rolagem.

Especial: Ao invés de 1d8, ela pode adicionar 1d4 à sua rolagem e ganhar um Plot Point.

Relacionamentos

Chie Satonaka d10

Kuma d6

Yosuke Hanamura d6

Yu Narukami d10

Sakuya

Arcano 03 – Priestess

“Você está certa. Esses sentimentos são parte de mim também. E eu entendo agora… Tu és eu.”

Atributos

Agilidade d6

Força d6

Magia d10

Resistência d10

Características

Ataque Especial. Ao custo de 1 Plot Point, Sakuya desfere uma explosão de chamas adicionando 1d10 na sua rolagem de ataque com Magia. Além disso, o dado de efeito deste ataque aumenta em uma categoria.

Ataque Múltiplo. Ao custo de 1 Plot Point, Sakuya pode lançar uma magia de fogo que atinge diferentes alvos, adicionando 1d6 na sua rolagem para cada alvo adicional.

Elemento Fogo. Seus ataques de Magia são de Fogo.

Serenidade. Ao custo de 1 Plot Point, Sakuya pode diminuir em um a categoria do dado de uma complicação mental em um aliado. Se utilizar a ação para fazer um teste de diminuição da complicação, junto com o gasto do Plot Point, caso tenha sucesso ela elimina a complicação mental.

Vulnerabilidade Gelo. Ações usando Magia de Gelo contra Sakuya aumentam em um a categoria do dado de efeito utilizado na criação da complicação.

 

Next Chance to Move On

(Ou: A Aventura-pronta propriamente dita)

As noites de chuva são repletas de mistério. Sabia que à meia-noite de uma noite chuvosa, se você estiver sozinho na sala, a televisão sintonizará o “Canal da Meia Noite”?

Em meio a chiados, um anúncio é exibido envolvendo alguém difícil de identificar. As autoridades alegam que é uma transmissão pirata, a maioria acredita que é interferência da chuva e os supersticiosos juram que é uma mensagem do além.

Na pequena cidade de Inaba, no interior do Japão, pessoas têm desaparecido em dias chuvosos e algumas são encontradas mortas. Um grupo de alunos da escola Yasogami descobriu que o Canal da Meia Noite revela a pessoa a desaparecer e ser morta.

Utilizando poderosas invocações chamadas de Personas, eles viajam para a misteriosa dimensão do Canal da Meia Noite em busca da pessoa desaparecida, para resgatá-la antes que seja tarde demais…

Cena 1 – Dia de Chuva.

  • Dia de Chuva.
  • Apresentar os inúmeros NPCs da Escola Yasogami, interagindo com os personagens e entre si – menção sutil a Nene Kawamura, que aparece dando uma entrevista na televisão sobre o Festival que ocorrerá na semana seguinte, na escola. Ela aparece posteriormente, dando sermão em Kanji Tatsumi.
  • Convite pra ir no Distrito Comercial para comer algo. Apresentar as lojas e possíveis NPCs. Televisão entrevistando o dono da Livraria Yomenaido devido ao Festival que ocorrerá na semana seguinte e qual a participação do Distrito Comercial nele – o senhor Yomenaido fala sobre a situação do Distrito com a chegada da Junes.
  • A raposa (cicatrizes e um babado vermelho com corações brancos amarrado no pescoço) entrega uma solicitação de ajuda. “Eu desejo o retorno do nosso cachorro”.
    • Caso aceitem a quest, um teste de Investigação, de Dificuldade 7, faz com que os personagens descubram por rumores de pessoas no Distrito Comercial que um cachorro foi visto perto do rio há um ou dois dias. Ao chegarem no rio, devido à chuva, ele está agitado e o cachorro está se afogando. Dificuldade 7 pra tentar salvá-lo. Ganho de Plot Points por salvar o cachorrinho. O ema contém o nome do dono, que é um garoto que mora próximo ao Hospital da cidade.
  • À meia noite, uma pessoa aparece no Canal da Meia Noite, usando o uniforme do colégio, parece uma garota. E ela está no que aparenta ser um show musical, falando sobre sua grande apresentação.

Cena 2 – O Desaparecimento.

  • Escola Yasogami, um teste de investigação de Dificuldade 7, permite que através de conversas com professores e alunos, saiba-se que três pessoas faltaram na escola. Superando 11 de Dificuldade, eles descobrem o seguinte sobre os alunos:
    • Ayane Matsunaga. Está acompanhando a mãe no hospital. Pode ser encontrada no hospital.
    • Kou Ichijo. Está doente, acamado, com gripe. A mãe ligou para o professor notificando-o.
    • Nene Kawamura. Sem notícias de qualquer tipo. Os pais estão trabalhando no hospital, são médicos renomados. Líder da classe 3 do primeiro ano e vice-líder do Conselho Estudantil. Que se acredita que será a próxima líder do Conselho no ano que vem, quando a atual líder se forma.
  • Personagens podem visitar as casas, caso não tenham superado a Dificuldade 11, obtendo as informações acima – solicitar uma nova rolagem, dessa vez de Dificuldade 7.
  • Após a aula, os personagens podem se dirigir à Junes. Kuma aparece pra notificar que há pouco tempo porque não se sabe quando a névoa vai sair do Canal da Meia Noite e vir pro mundo real, o que traria a morte de quem está desaparecido.

Cena 3 – O Canal da Meia Noite

  • Teste de Investigação Dificuldade 11 pra encontrar o caminho em meio ao Canal da Meia Noite que leve até a dungeon de Nene Kawamura: o hospital.
  • O Hospital estará completamente modificado, lembrando muito uma casa de shows e entretenimento. Está tocando uma música eletrônica, como em um clube noturno. As paredes possuem pixações em tinta especial, brilhando na luz negra que existe no local. Outros tipos de luzes e holofotes alternam o tipo de iluminação no local. As sombras utilizam roupas de garçom, mas com jalecos. Elas atacam utilizando-se de bandejas e seringas. O show principal, conforme anunciado nas telas, será no terraço do Hospital.
  • A Dungeon possui três desafios:
    • O primeiro desafio é no térreo, físico, de dificuldade 7, envolvendo passar em meio a diversas macas, armários, mesas e outros objetos que estão obstruindo a passagem que leva ao elevador. Passando pelos obstáculos, as sombras atacam.
    • O segundo desafio é no elevador, social, de dificuldade 9, envolvendo um karaokê improvisado. Quando as portas abrem-se, há sombras. E os personagens estão no último andar, podendo subir as escadas para chegar no terraço.
    • O terceiro desafio é na saída para o terraço, mental, pra abrir a porta do terraço é preciso decifrar um enigma. Dificuldade 11. Sendo solucionado o enigma, a porta se abre.
  • Quando a porta se abre, é no momento exato que a Nene está ajoelhada chorando no chão, enquanto a Dark Nene diz que ela sempre invejou os outros alunos porque eles podiam fazer suas escolhas, enquanto ela tinha que ser submissa e obediente, estudando pra uma profissão que não queria só pra agradar seus pais, quando na verdade, ela queria ser livre, rebelde e uma idol do rock. E por isso ela era tão disciplinar na escola, porque já que ela não tinha esse direito de agir livremente como desejava, ela faria os outros seguirem as regras a qualquer custo. Nesse momento, chorando, Nene diz “Não, eu não sou assim! Você está errada!”. E a Dark Nene gargalha alto, engolfando Nene, que aparece como uma marionete em seu cinto e transformando-se numa Boss.
  • Sendo vencida, a Dark Nene volta à forma normal, libertando Nene. Nene chora, pede desculpas a todos, e olhando para a Dark Nene, admite que ela estava falando a verdade, que nunca quis admitir, mas invejava a todos os outros por poderem escolher quem seriam, enquanto ela não podia. “Tu és eu”.

Specialist

(Ou: Ficha de Antagonistas)

Sombras. 4d8 Físico. 3d8 Social e Mental.

Ataque Especial. Adiciona um d10 no ataque gastando 1 plot point.

Ataque Múltiplo. Pode realizar ataques em todos os personagens.

Elemento Vento (Primeiro Desafio), Fogo (Segundo Desafio).

Dark Nene.

2d10 + 3d8. Físico.

3d10 + 2d8. Magia.

4d8 + 1d10. Agilidade.

2d10 + 3d8. Resistência.

Elemento Variável (1d4): Eletricidade 1. Vento 2. Fogo 3. Gelo 4.

Ataque Especial. Adiciona 1d10 à suas rolagens de ataque ao custo de 1 Plot Point.

Ataque Múltiplo. Atinge todos os alvos ao custo de 1 Plot Point.

Resistência. Diminui em uma a categoria de dado o efeito de uma consequência ao recebe-la ao custo de 1 Plot Point.

Sky’s the limit

(Ou: Palavras Finais)

Creio que seja isso. Saiu bem maior do que eu esperava, mas tentei deixar o mais completo possível. Sobre os NPC’s da Escola Yasogami, recomendo dar uma procurada na Wiki de Persona 4 que você encontra facilmente informações sobre a maioria deles – exceto a Nene, que foi criação minha para a aventura. Espero que seja de valia e a quem se interessou pelo Cortex, adianto que estou só esperando o Cortex Prime ser lançado para falar mais do sistema – assim como depender de como ficou a licença, porque a usada pela Weis é um pouco chatinha, mas isso fica para uma próxima postagem.

Bonanças.

Atenciosamente,

Leishmaniose

Comentários

2 Comentários

  1. Pedro Henriquesays:

    Eu gostaria de fazer uma versão de Persona para Apocalipse Engine ou para FATE.Não conheço o Cortex, mas me interesso muito pela cenário deste jogo.

    • Leishmaniosesays:

      Olá,

      Boe, Persona é muito foda! Eu sou apaixonado principalmente pelo 4. É um material que dá pra converter em jogos sandbox muito facilmente. Eu usei o Cortex porque tenho maior afinidade com ele – e segundo a sugestão do Tio, pretendo falar um pouco de como funciona o Cortex em outra postagem – mas acho válido material detalhando o cenário em qualquer sistema que possibilite isso. Se um dia decidir fazer e estiver pronto, linka aqui porque tenho interesse nesse material!

      Bonanças.

      Atenciosamente,
      Leishmaniose

Deixe um comentário

Por favor, seja educado, nós do Mundos Colidem apreciamos isso. Seu endereço de e-mail não será publicado e os campos necessários serão marcados.