O Senhor dos Anéis FAE – Regras para Mágica Sutil da Terra Média

Saudações, Camaradas!

Vamos dar início à segunda parte da série de postagens sobre O Senhor dos Anéis para Fate Acelerado. Dessa vez vamos falar sobre Regras para a mágica sutil da Terra Média. E para quem perdeu a primeira parte, é só dar uma clicada aqui e ver a primeira parte, que abordava as regras para corrupção.

Falar sobre mágica na Terra Média é algo que venho fazendo desde 2006, quando comecei a narrar no cenário. Na época, utilizava o sistema CODA, da Decipher e em meados de 2013, com o Um Anel da Cubicle 7. Em outro momento posso vir falar sobre minha experiência como narrador utilizando os dois sistemas citados, mas adianto que essa série de postagens para FAE tem influência das duas obras citadas — e muita.

A natureza da mágica na Terra Média está dividida em dois aspectos: magia e feitiçaria, sendo a primeira praticada pelos Magos, Elfos, Anões e Dunedains e a segunda, pelos servos mais poderosos da sombra, sejam feiticeiros, Balrogs, Nazgul e o próprio Senhor do Escuro. A mágica no cenário é sutil, por isso — para a decepção de muitos — Mithrandir não pegou o anel e se teletransportou para Orodruin, para jogá-lo no fogo e o destruir.

“Mas Raphael, porque ele não fez isso?”

Porque não podia. Nem Sauron podia fazer isso, muito menos Melkor.

Cada raça citada acima tem uma forma em particular de se relacionar com a magia; os servos da sombra, por exemplo, são manipuladores da feitiçaria, que é uma forma sombria e distorcida da magia, evitada a todo custo pelos sábios. Sigam o conselho de Gandalf:

 

É perigoso aprofundar-se nas artes do Inimigo, para o bem ou para o mal.

            — Gandalf, A Sociedade do Anel

 

Os povos livres se relacionam de forma diferente, de acordo com sua raça. Os Elfos utilizam da música e da poesia para criar pequenas ilusões, realizar curas e construir artefatos encantados. Os Anões utilizam a magia através de runas e dos objetos nos quais elas são incrustadas para que adquiram o efeito desejado. Os Dunedains realizam curas — como as vistas nas casas de cura de Minas Tirith — e possuem conhecimento sobre magia similar ao dos Guardiões do Norte. Os Magos, finalmente, são dominadores e estudiosos dos conhecimentos mágicos.

Mas gostaria de advertir aos leitores que não é meu objetivo abordar os magos nesse esboço, pois não acredito que deveriam ser personagens jogáveis.

Antes partimos para a proposta de regra para o FAE, é interessante ressaltar alguns aspectos sobre a mágica sutil da Terra Média e como ela se manifesta no cenário:

  • Na “justiça das coisas”, agindo de forma a auxiliar o personagem em um momento dramático;
  • Nos “reflexos da natureza”, onde através de suas várias representações, pode interferir no destino de uma cena — desde um rio que se levanta a um animal que transmite uma mensagem;
  • “Exaltando os valorosos”, ao proteger e guiar o herói, como o vento que guiou a flecha de Bard para o Coração de Smaug;
  • No “poder das palavras”, que se manifesta em juramentos, maldições e profecias.

 

Não trema! Se você se intromete nos assuntos dos Magos, deve estar preparado para coisas desse tipo.

          — Gandalf, As Duas Torres

 

Então, vamos às regras? No processo de construção de personagem, o jogador poderá seguir os seguintes passos:

  1. Escolher uma Característica (aspecto) que o relacione com a mágica de acordo com a sua raça. Por exemplo: música dos Elfos, Curador de Minas Tirith, Ferreiro de Erebor ou Rei dos Bruxos de Angmar.
  2. Os personagens manipuladores de magia precisam ter +3 no Atributo (abordagem) Coração.
  3. O jogador precisa criar uma Especialidade (façanha) que se relacione com o seu aspecto de magia racial, podendo futuramente fazer façanhas interligadas (Fate Básico, pag. 84), como por exemplo: Sono (música dos elfos), Extrair venenos (Dunedains), Fazer letras da lua (Runas dos Anões) e Dominação (feitiçaria).

Ficha de Celebeth

Esta é a segunda parte da proposta de uma adaptação de O Senhor dos Anéis para Fate Acelerado. Na próxima postagem irei abordar a construção de itens lendários.

E por favor, não esqueçam de dar o feedback, para que possamos aprimorar essa ideia e futuramente, compilarmos e disponibilizarmos aqui no Mundos Colidem uma adaptação completa para os fãs da Terra Média.

Comentários
Adaptação FAE Fate Acelerado Lima Nomos RPG SdA Senhor dos Anéis

raphalimma

Nascido em 23 de setembro de 1982. Filho de Mércia, Filho de Emília, Natalense, RPGista, Marxista, Cientista da Religião, Historiador, Professor, Pai de Marianna e Theo, Casado com Daniella, Egiptologo, amante da obra de Tolkien e Lovecraft, apreciador de uma boa cerveja. Entusiasta de sistemas narrativistas, enamorando o fate e suas possibilidades. Autor do Medievo RPG. Em constante pesquisa sobre a inserção da narrativa interativa na educação. Ainda procurando uma finalidade para esse mundo.

3 Comentários

  1. Dan sevensays:

    quando vai sair o pdf dessa maravilha em?

    • Raphael Limasays:

      Olá Dan! Em breve, vou postar mais algumas regras, e uma aventura com um fastplay. E creio que bem próximo sairá um arquivo (PDF, Epub e Mobi) completo.

  2. Olá!
    Muito bom. Simples e direto. Curti bastante.

    Até and Bye…

Deixe um comentário

Por favor, seja educado, nós do Mundos Colidem apreciamos isso. Seu endereço de e-mail não será publicado e os campos necessários serão marcados.