Mouse Guard para Crônicas RPG (Parte 2)

Olá Galerinha!

Nossa viagem continua cruzando o território dos pequeninos! Vamos conhecer um pouco mais desse mundo magnífico e o que faz dele tão fantástico: suas maravilhosas cidades e seu clima devastador.

Por favor, se agasalhem bem, pois o inverno chegou.

 

Os céus do inverno são escuros e lúgubres.

O que outrora era terra verde é agora pálida e severa.

Suprimentos são curtos e a noite é longa.

O tempo congela na canção amarga.

A vida murcha se senta congelada na videira.

É o fim dos dias seus e meus?

É mais uma estação e algumas coisas voltam.

Falta de preparação é uma lição fria para se aprender.

— Escrivão Roibin, inverno de 1152

O Clima e seus desafios

 

Nuvens, folhas, terra e vento, eles fornecem os sinais da mudança do tempo, porém, nem todas as tormentas da vida podem ser previstas.

— Extraído do Guia de Campo para o Meteorologista, distribuído a todos os guardiões

 

As estações são muito importantes nas vidas dos ratos. Os perigos que o clima pode apresentar e as ameaças que podem ser encontradas, além de alguns deveres, estão relacionados a certas estações. Cada estação tem sua própria personalidade. A primavera é volátil, o verão é dócil, o outono é imprevisível e o inverno é estável, porém mortalmente frio. Vamos descrever bem como funciona cada uma delas.

Primavera

A primavera é um período complicado para os ratos, além de perigoso. Por todo o território (Animais e Ratos) emergem de seus refúgios em busca de comida e de calor.

Nos Territórios, a primavera é breve e fresca. Neva no início da primavera e depois chove à medida em que vai chegando o verão. Entre os períodos de neve e de chuva há um período em que brilha o sol.

  • Problemas com o clima: durante a primavera, os dias quentes de céu limpo são os mais agradáveis, mas ainda há dias de chuva e neve repentinos que trazem doenças, como resfriados, e podem levar os ratos desavisados ao cansaço. Tempestades acompanhadas de trovoadas, incêndios e inundações são os maiores perigos, obstruindo estradas e impedindo os mercadores de alcançarem seu destino. E não vamos esquecer da lama, que pode cobrir grandes áreas, isolando vilas e povoados.
  • Animais: com a primavera, os animais que estavam hibernando despertam. Predadores que ficaram famintos por todo inverno estão ansiosos, muitos animais buscam companheiros e portanto, tornam-se mais perigosos! Lobos, raposas e coiotes cuidam de seus filhotes, aumentando sua ferocidade e caçando mais vorazmente. Os pássaros retornam para suas casas ao norte e podem acabar com colheitas inteiras em instantes.
  • A Natureza: navegar por áreas que estão em degelo ou mesmo tomadas pela lama é complicado. Seguir pela terra em áreas aonde a natureza cresceu, rapidamente obstruindo estradas, trilhas e destruindo os postos avançados. Tudo isso pode e deve se mostrar desafiador nesse período.
  • As Tarefas da guarda: restaurar as fronteiras olfativas, cuidar das colmeias, ajudar territórios a restaurar suas áreas de plantio ou mesmo encontrar uma área apropriada; reconstrução dos estragos deixados em assentamentos, reunindo e organizando os artesões locais; ajudar a repor as reservas daqueles que não têm nada ou perderam tudo para o inverno ou outras criaturas, muitas vezes solicitando ajuda de outras cidades/assentamentos; operações de resgate para encontrar aqueles que se perderam ou estão desaparecidos; entregar as mensagens pelo correio, levando acordos comerciais importantes para ajudar a restabelecer o mercado entre cidades — todas essas são tarefas importantes para a guarda.
  • Festival da Primavera (Vernalstar): em todos os Territórios, os ratos esperam a chegada da Primavera para celebrar o renascimento da terra e sua promessa de recompensa. É a primeira vez, desde a geada, em que muitos ratos são capazes de viajar ou visitar amigos e familiares em outros assentamentos. É hora de olhar para frente e fazer resoluções. Todas as cidades estão de portas abertas acolhendo viajantes de todos os lugares. As primeiras cervejas e sopas frescas dão o sabor a essa celebração, marcada pela vinda da estrela Vernal saindo ao sul.

Verão

Após o período agitado da primavera, chega o verão e com ele, a vida dos ratos volta à normalidade. Os dias são quentes e longos, com muita coisa para fazer, porém com a sensação de que não é preciso ter pressa. O verão começa oficialmente no solstício de Verão.

  • Problemas com o clima: a maior parte dos dias do verão é clara e amena, porém nos primeiros dias ainda é possível ser surpreendido pelas chuvas de verão, rápidas e fortes, além de espetaculares tempestades elétricas e fortes ondas de calor que podem dar início a grandes incêndios.
  • Animais: o verão é um período de muita atividade para os animais do Território. Corujas, gaviões, raposas, coiotes, cobras, texugos, sapos e carcajus estão sempre procurando comida e os ratos estão no topo da lista. Ursos também podem se mostrar como grandes problemas. Esquilos roubam os bebês ratos para comer. É uma época para ficar de olhos abertos.
  • A Natureza: durante o verão, o mato cresce abundante, tornando certas áreas intransponíveis para animais maiores. Os ratos, entretanto, ainda conseguem se mover com certa vantagem, além de que poder usar a vegetação como abrigo e esconderijo.
  • As Tarefas da guarda: durante o verão, os guardas viajam bastante para outras cidades, pois proteger caravanas de civis ou de comércio é um dever comum nesse período. Outros trabalhos, como recolher materiais para construção ou reparo de pontes e postos avançados, ou mesmo prover segurança em lugares nas áreas de construção e reparo são tarefas muito importantes, para as quais sempre são designados pela matriarca.
  • Festival do verão (Musfire): os longos dias quentes do verão imploram para serem apreciados, e os camundongos de Copperwood, Lillygrove e Elmwood celebram um festival que tem quatro dias de duração, onde a diversão é o foco das atividades, fornecendo uma distração maravilhosa antes das colheitas. Os Jogos e torneios competitivos como esgrima, arquearia, escalada e remo são comuns. Ao fim de cada dia, uma fogueira é acesa fora da cidade e os vencedores das competições são agraciados.

Outono

Com o fim do verão, o outono começa suave. Primeiro se dissipa o calor, os ventos chegam mais fortes e frios, o céu começa a ficar cinza pelas chuvas fortes que não demoram muito para virar neve. Essa e uma época muito movimentada para os ratos, pois eles devem correr para reunir todos os suprimentos que precisam para sobreviver ao inverno que se aproxima.

  • Problemas com o clima: as tempestades de outono são mais duradouras e fortes que suas antecessoras do verão, criando muitos obstáculos, como a chuva fria que pode obrigar os ratos a buscarem abrigo. Algumas vezes, o outono pode se mostrar quente, aumentando a proliferação de insetos e pragas. E, por fim, o outono também pode se mostrar excepcionalmente frio, convertendo as chuvas em grandes tempestades de neve.
  • Animais: no outono se inicia uma competição entre os animais para conseguir suprimentos. Os pássaros são um grande problema, além de que animais mais astutos e inteligentes, como as doninhas, muitas vezes seguem os ratos até suas cidades/assentamentos para ver onde seus grãos estão sendo guardados e roubá-los na melhor oportunidade.
  • A Natureza: quando as folhas caem das árvores, os ratos as usam para se camuflarem e viajarem pelos territórios. Mas grossas camadas de folhas são barulhentas e podem atrair a atenção dos predadores.  A chuva pode tornar esses lugares intransponíveis. Os predadores também utilizam o novo ambiente criado pelo outono em sua vantagem, tanto para se esconder em emboscadas como para se camuflar.
  • As Tarefas da guarda: além dos milhões de deveres da guarda, os membros possuem seus próprios problemas e o outono é o ultimo momento para resolvê-los antes de voltar para Lockhaven. Durante os meses de outono, Gwendolyn envia freqüentemente as patrulhas em missões secretas, especiais e de vital importância. Outras atividades importantes, como recolher as colheitas que irão fornecer provisões, fornecer escolta e reforçar as fronteiras olfativas, são feitas nesse momento.
  • Festival do Outono (a colheita Morten): Todos os ratos celebram o equinócio de outono com um grande festival de vários dias. Este é o maior e o mais longo feriado nos Territórios. Se trata de uma celebração à terra pelas suas ofertas. Cada loja de grãos, despensa, moinho, estoque de casa e barril é reabastecido, como recompensa por seu trabalho duro, levando alegria para todos. Graças são dadas aos ratos que não mediram esforços para tornar isso possível. O evento dura uma semana e é nomeado de Morten, devido a um camponês que sempre compartilhou sua colheita com os ratos de sua aldeia. Durante esse período, presentes são trocados como sinal de amizade e generosidade.

Inverno

O inverno e longo é frio, o período mais difícil dentro do território dos ratos. As cidades e assentamentos devem resistir ao frio e a neve, aguardando a primavera. Problemas durante o inverno são maiores devido às dificuldades de encontrar alimento e de se deslocar, entre outras.

  • Problemas com o clima: O clima é muito severo. Viagens longas no inverno são extremamente preocupantes e desafiadoras. Existe o perigo de congelar até a morte, de ser levado por deslizamentos de neve, de se perder, contrair doenças ligadas ao frio ou mesmo perder tudo para devastadoras tempestades de neve.
  • Animais: encontro com outros animais nesse período são mais difíceis, porém muito mais perigosos, pois todos estão com fome e não há comida suficiente. Se as fronteiras olfativas não forem bem estabelecidas, lobos famintos podem entrar nos Territórios, devorando tudo em seu caminho — com preferência por presas maiores, mas isso não quer dizer ratos não possam ser vítimas, por isso é preciso cuidado. Criaturas inteligentes que ainda não tenham conseguindo o bastante para sobreviver, ou apenas por motivos malignos, podem aproveitar este momento para pôr seus planos em ação.
  • A Natureza: a neve e o gelo podem criar armadilhas ou mesmo cobrir passagens inteiras, tornando todo o ambiente um enorme labirinto para viajantes despreparados.
  • As Tarefas da guarda: a maioria dos ratos se resguarda durante o inverno, se preparando para a próxima primavera. Porém, alguns assuntos às vezes não podem esperar, e a guarda deve realizá-los — como resgates, envio de mensagens, escoltas importantes e essenciais, ou mesmo envios emergenciais de comida e remédios para cidades que sofreram ataques ou mesmo que não conseguiram se preparar a tempo para o inverno.
  • Festival da Inverno (Yulefrost): Yulefrost é um tempo para que  os ratos se reúnem com sua família e celebrem com alimentos quentes, apesar dos problemas com o clima. Os ratos comemoram esse dia principalmente em Barkstone, Ivydale e Burl. O espírito da celebração está no coração e na cultura dos ratos; não é apenas por sobreviver, mas por superar obstáculos aparentemente intransponíveis. Este é também um momento para honrar os mortos, compartilhando recordações, cantando canções ou mesmo em uma reflexão silenciosa.

As Cidades

Finalmente encontramos um lugar para fazermos nossa primeira parada. Vamos falar um pouco sobre as principais cidades/assentamentos, elas são Barkstone, Copperwood, Elmoss, Lockhaven, Port Sumac, ShaleburrowSprucetuck.

Barkstone

Uma cidade pequena formada em sua maioria pela classe trabalhadora, principalmente artesões. Uma pousada aconchegante pode ser encontrada, com uma taverna para beber e comer, bem como um arquivo escrito, que é bem mantido pelo povo.

Localizado do lado oeste, outras cidades como Woodruff’s Grove e Ferndale estavam entre Barkstone e o Darkheather. Agora que essas cidades caíram, os arredores de Barkstone se tornaram mais perigosos, devido aos ataques mais frequentes dos predadores.

  • Localização/Estrutura: as portas da cidade se encontram em uma acácia branca, um buraco entre a rocha e a árvore. Atualmente, a cidade possui um poço.
  • Tamanho: cidade pequena.
  • Governo: a cidade é governada por um prefeito, eleito entre os artesões. Este se encarrega das disputas internas e do comércio com outras cidades. O comércio normalmente é conduzido através de troca de bens e serviços. Barkstone não tem sua própria moeda, mas aceita a moeda da maioria das outras cidades. Barkstone também mantém sua própria guarda de ratos armados que defendem as colheitas. Foi sob o disfarce de guarda de Barkstone que Midnight foi capaz de iniciar seu exército rebelde no outono de 1152.
  • Especialidades principais: cerâmica, carpintaria e soprador de vidro.
  • Importação/Exportação: Barkstone importa alguns tipos de alimentos, como grãos, e exporta em sua maioria, produtos artesanais

Copperwood

Esta é uma das maiores e mais antigas cidades do território. Aqui trabalham muitos artesões, bem como fazendeiros, moleiros e carpinteiros. A principal atividade da cidade é a mineração e trabalho com metais, principalmente cobre. Se Copperwood não fosse tão grande, seria uma cidade auto-suficiente. Ironwood e Copperwood são as cidades responsáveis pela maioria dos bens de metal dos territórios. Os ferreiros e armadores de Copperwood são conhecidos por fazer todos os tipo de itens metálicos e armas, bem como as moedas usadas por Sprucetuck, Elmoss e Walnutpeck Antes da Queda. Vigias observam sempre as atividades nos arredores da cidade, como a movimentação de predadores, as idas e vindas dos ratos e principalmente, o clima.

  • Localização/Estrutura: Copperwood se encontra no interior da base de um imenso e poderoso carvalho, com túneis que levam a cachoeiras, seis vezes maiores que um rato, e várias minas.
  • Tamanho: cidade grande.
  • Governo: Copperwood é uma democracia, bastante burocrática e liderada por um governador eleito por um conselho de anciãos que representam os diferentes ofícios dentro da cidade.
  • Especialidades principais: Mineração de cobre e fabricação de metal.
  • Importação/Exportação: Copperwood importa comida, roupa e outros produtos manufaturados, exportando principalmente o metal.

Elmoss

Recebe seu nome devido ao musgo que cresce no tronco dos antigos olmos. Esse musgo é conhecido por suas propriedades curativas: uma grande parte dele é entregue a Sprucetuck e o restante é negociado como matéria prima.  Além do musgo, a madeira que é recolhida dos olmos também é um bem apreciado por ser forte e resistente à água, bastante procurado para a construção de carroças. Nos arredores de Elmoss existem áreas de cultivo de aveia, cenoura e tubérculos, mas a maior parte desses alimentos cresce de forma selvagem.

  • Localização/Estrutura: Elmoss foi construída no interior de um imenso olmo, que se destaca em um bosque de olmos.
  • Tamanho: Cidade pequena (já foi maior).
  • Governo: uma família governante, que possui autoridade sobre os senhores de cada ofício, madeira, musgo e cultivo. Esse é um sistema complexo e antiquado, sendo ruim para a população.
  • Especialidades principais: grãos, musgos, verduras e produtos feitos de madeira, como carroças.
  • Importação/Exportação: importa objetos de metal, papel e remédios, exportando objetos de madeira e musgo.

Ivydale

Uma cidade de ratos trabalhadores, que recolhem a maioria dos grãos do Território. Todos os residentes de Ivydale — sejam homens, mulheres ou crianças — se sentam para descascar os grãos durante o período de colheita. Uma parte dessas fibras colhidas é usada para produzir tecido, porém a maior parte é muito áspera para ser usada para confecção de roupas, por isso é destinada à confecção de sacos, tendas e lonas, embora não se limite a isso, podendo ser usada para outras finalidades. Outras tarefas desempenhadas pelos ratos são moagem dos grãos, fabricação de cestos para o armazenamento e transporte dos grãos e outros produtos. Sempre existe a presença da Guarda em Ivydale, já que muitos carregamentos de grãos necessitam de escolta.

  • Localização/Estrutura: localizada em um vale raso e coberto de heras. A cidade é composta de vários assentamentos pequenos, escondidos entre árvores e rochas. Quatro grandes árvores abrigam a maioria dos alojamentos, armazéns de grãos e outros estabelecimentos. Em relação à água, os ratos de Ivydale recorrem à chuva e a um poço na base de uma das árvores.
  • Tamanho: cidade pequena.
  • Governo: um governador eleito supervisiona o comercio com outras cidades e um magistrado se encarrega das disputas internas e da supervisão do trabalho.
  • Especialidades principais: Plantação, colheita de grãos e padaria.
  • Importação/Exportação: sua principal exportação é de grãos. Importa uma variedade de ferramentas e produtos domésticos.

Lockhaven

O lar da Guarda. Apesar de não ser uma cidade aberta a visitantes, existem ratos que vivem lá como cidadãos. Eles foram convidados devido à sua família, habilidades e confiança. Em qualquer momento é possível encontrar um armeiro em Lockhaven, cuja função é manter a sala de armas funcionando. O armazém é sempre mantido cheio para poder alimentar a todos. A cidade é conhecida pelo pão Gabcroon, feito com sementes, frutas e nozes, muito bom para viagens. A confecção de tecido também é muito importante, especialmente para as capas de guardiões, um dos maiores símbolos da ordem. A cidade também é o lar de uma colmeia de abelhas, onde os guardas recolhem mel, que é usado como alimento, e a cera, para fazer objetos e produtos medicinais. No passado, a cidade serviu como um santuário, por sua uma defesa fortificada e sua posição central no Território. Hoje, abriga cerca de 70 guardiães, que muitas vezes não se encontram na própria cidade, já que estão pelo mundo em missões.

  • Localização/Estrutura: Lockhaven foi construída de blocos de pedra e madeira, mas, principalmente, esculpida profundamente em um grande afloramento rochoso. Lockhaven tem uma grande cisterna que recolhe a água fresca de uma nascente profunda.
  • Tamanho: cidade grande .
  • Governo: a matriarca mantém um documento secreto com o nome de sua sucessora, que só é revelado após sua morte. A matriarca realiza o trabalho de estrategista, embaixadora e administradora, tendo sob seu comando vários capitães e administradores, incluindo um escrivão, um castelão e um intendente.
  • Especialidades principais: tecidos, armas, armaduras, comidas, mel e cera. Dentro de Lockhaven existem pedreiros e carpinteiros que são encarregados da manutenção da cidade.
  • Importação/Exportação: Lockhaven se sustenta graças às doações. Muitas cidades oferecem seus grãos aos guardiões durante sua colheita, como agradecimento por seus serviços.

Porto Sumac

Uma pequena e remota cidade que se ergue sobre uma tranquila bahia. Seu porto é um ponto de reabastecimento para a rota comercial entre Darkwater e Rustleaf.

  • Localização/Estrutura: esta cidade portuária é localizada em uma plataforma de pedra, sob um afloramento de granito e um grupo de árvores rhus do tipo sumac. A cidade fica na plataforma de pedra, enquanto o porto fica protegido entre dois braços de granito.
  • Tamanho: cidade pequena.
  • Governo: governada por um conselho de capitães de barcos. O capitão que tiver mantido a rota mais lucrativa no ano anterior dirige o conselho. Este conselho não possui um tamanho fixo, mas apenas o voto da maioria pode eleger um novo membro. Os membros do conselho determinam as regras do porto, fixam os impostos e levam a cabo outras tarefas administrativas. Como recompensa por seus esforços, os membros recebem uma parte dos bens obtidos através da importação e exportação.
  • Especialidades principais: Porto Sumac é habitado por famílias de trabalhadores, barqueiros, meteorologistas , tecelões e mercadores. É fácil de encontrar neste porto movimentado, qualquer trabalho relacionado de alguma maneira aos barcos.
  • Importação/Exportação: A cidade importa uma variedade de bens, como tecido, metal e grãos, que possuem uma importância especial. Exporta seus serviços no comércio marítimo, mas é famoso por uma bebida chamado suco Rhus feito a partir das bagas da árvores de rhus. Port Sumac também exporta corantes marrons e tanino para couro.

Shaleburrow

Construída no meio de um bosque, em um bloco de ardósia — uma rocha metamórfica rachada, que permite acesso fácil ao subterrâneo para seus moradores. Essa rocha é usada para armazenar alimentos perecíveis, especialmente porque muitas frutas e nozes são colhidas usando ferramentas feitas da rocha xisto. Também prepara e fermenta uma grande variedade de bebidas. A partir da madeira coletada na abertura da toca a oeste, muitas estruturas e objetos são construídos. Muitas famílias de ratos vivem aqui devido à abundancia de comida e proteção natural que a cidade oferece, além da proximidade com Lockhaven.

  • Localização/Estrutura: Shaleburrow é uma cidade subterrânea construída em um bloco de ardósia.
  • Tamanho: cidade pequena.
  • Governo: três ratos atuam como o corpo governante: a rata que foi mãe mais recentemente, o rato mais velho e o rato que colheu mais frutas na última temporada.
  • Especialidades principais: Água, colheita de frutas, ferramentas de pedra e a armazenagem de alimentos, compreende o comércio principal de Shaleburrow.
  • Importação/Exportação: Shaleburrow exporta bebidas fermentadas. A cidade confia em Ivydale para um terço de suas necessidades de grãos.

Sprucetuck

A partir da seiva colhida das árvores píceas na área, os cientistas da cidade desenvolvem uma variedade de cervejas e elixires que servem como remédios naturais contra muitos males. No inverno, os ratos permanecem aquecidos usando pedras de fogo, que colocam em uma fogueira central, de onde é redirecionado o calor, que é conduzido até suas casas. Em Sprucetuck se realizam alguns trabalhos manuais, como colheita de seiva e preparação da fogueira central, mas a maioria dos seus trabalhos é de caráter intelectual. Os ratos cientistas estão focados em saúde, cultura, controle das pragas, metalurgia e estudo do céu.

  • Localização/Estrutura: Sprucetuck se encontra no interior de uma árvore pícea oca, em cujo interior os ratos construíram uma moradia de vários andares. Os suprimentos são transportados pelos andares através de uma série de elevadores com contrapesos. Além disso, a água da chuva é coletada em uma cisterna nas raízes da árvore.
  • Tamanho: povoado.
  • Governo: Sprucetuck é administrada por um governador vitalicio. O governador nomeia seu sucessor no momento em que renuncia ao cargo. Sprucetuck usa uma moeda compartilhada por Elmoss e Copperwood (e Walnutpeck antes da queda). Geralmente desconfiam das moedas proveniente de cidades distantes, já que os ratos de Sprucetuck não são acostumados a fazerem grandes viagens, possuindo pouco uso para moedas “estrangeiras”.
  • Especialidades principais: Trabalho científico, principalmente medicina, ciência e matemática.
  • Importação/Exportação: Sprucetuck importa quase todos os grãos e alimentos. Exporta medicamentos, elixires e venenos.

Aonde estão as regras?

Bem, como vocês perceberam, nesta parte de nossa aventura não foi apresentada nenhuma mudança nas regras ou os seus usos. Mas essa era a intenção, já que estamos apresentando grande parte do cenário visto no livro. É interessante que os narradores sempre usem o máximo possível do mundo ao redor para envolver os ratos em sua campanha. Claro que ele não é obrigado a seguir à risca o que está aqui ou mesmo nos quadrinhos e livros oficiais — a nossa intenção é sempre a diversão, mas os elementos únicos de cada cidade, como seu governo e comércio podem proporcionar ótimos ganchos de aventura, que alinhados ao clima certo, passarão as sensações desejadas.


Antes de me despedir, lembro que o Crônicas RPG possui regras simples, que compreendem as dificuldades impostas pelo clima e obstáculos da natureza; então seria bom olhar as páginas 98 e 99 do livro. E quem perdeu a primeira parte da viagem, pode encontrá-la AQUI. Um abraço, amigos! Em breve nos encontraremos.

Quem sabe em nosso próximo encontro vejamos algo no céu?

Comentários

1 Comentários

  1. Olá!
    Mais uma ótima postagem sobre este cenário magnífico. Fico aguardando uma postagem falando sobre a guarda em si e ganchos para possíveis aventuras.

    Até and Bye…

Deixe um comentário

Por favor, seja educado, nós do Mundos Colidem apreciamos isso. Seu endereço de e-mail não será publicado e os campos necessários serão marcados.