Mouse Guard para Crônicas RPG (Parte 1)

Não importa contra o que se luta, mas pelo que se luta.

 

Olá Galerinha! Sejam bem vindos à Estação das Brumas. Peguem seus tickets e procurem um lugar aconchegante para se sentar, pois nossa viagem está apenas começando. Fiquem de olhos bem abertos para não perder nada desta bela paisagem: veremos de tudo em nosso trajeto e nossa próxima parada é apenas a sua imaginação. Eu sou Hélio Alcântara, ou, como os amigos me chamam, hhtotal, e nesta coluna falarei um pouco de tudo: sistemas, cenários, adaptações, técnicas narrativas, boardgames (jogos de tabuleiro), etc. Hoje, como postagem de abertura, trarei uma adaptação de Mouse Guard para Crônicas RPG. Venham conhecer este mundo de heróis pequenos, porém com corações grandes.

 

 

Mouse Guard

Mouse Guard é uma obra escrita e ilustrada por David Petersen e publicada pela Archaia Studios Press. A obra teve início a partir de 2006, como um quadrinho mostrando um mundo medieval em que os seres humanos inexistem e os ratos “camundongos” desenvolveram uma sociedade não muito diferente da nossa, durante a Idade Média. As histórias giram em torno de uma irmandade de ratos conhecida como A Guarda, que enfrenta desafios que vão desde animais perigosos, como cobras e corujas, e até mesmo o clima, já que no mundo dos pequeninos, uma chuva intensa é capaz de arrasar cidades inteiras. Os quadrinhos ganharam o prêmio Eisner como melhor quadrinho para crianças, retratando valores e virtudes morais. Os quadrinhos foram publicados no Brasil pela editora Devir com o nome de Os Pequenos Guardiões – os termos utilizados neste artigo são baseados na tradução inicial dos quadrinhos. Mouse Guard pode ser encontrado também em outras mídias geek, como RPGs e Boardgames.

É isso mesmo: Ele possui um RPG oficial, lançado em 2008 por Luke Crane e que também ganhou um prêmio — o Origin Awards, em 2009 — além uma coleção de miniaturas e um boardgame, este último comercializado aqui no Brasil pela Galápagos Jogos.

Como o RPG oficial do Mouse Guard (e até mesmo as continuações do quadrinho, já que a Devir não manifestou interesse em continuar a série) dificilmente será traduzido para o nosso idioma, resolvi fazer esta adaptação para um sistema que me surpreendeu bastante, o Crônicas RPG.

 

 

Crônicas RPG

Crônicas RPG é um sistema escrito pelo autor dos livros de Cenários de Campanha – Crônicas de Avalon, Pedro Borges, com ilustrações principais de Caio Monteiro. Aqui na minha cidade, quando eu e meus amigos estamos falando sobre Fantasia Medieval, eu sempre grito a bravata “Crônicas é pau, boe!” e vou apresentar os motivos a vocês: Possui um sistema de regras simples e extremamente funcional; utiliza dados que podem ser encontrados em qualquer bodega (d6); tem conteúdo sobre Idade Média e Fantasia Medieval; conta com orientações para diversos tipos de narrativas; as ilustrações são lindas. Eu não diria que ele é apenas um livro de RPG, mas um guia para tudo o que possa ser encontrado em um cenário medieval, principalmente Low Fantasy (Baixa Fantasia), sendo, na minha opinião, um dos melhores livros para mestres e jogadores iniciantes.

Nesta adaptação eu irei apenas abordar o que deve ser acrescentado ou modificado para se usar o sistema de crônicas — entretanto, a adaptação não substitui o livro do Crônicas RPG, que ainda é necessário para condução do jogo. Quem tiver interesse, pode adquirir o livro com a New Order Editora.

 

 

Criação de Personagem

 Nome: os camundongos que habitam o território tendem a ter nomes retirados do inglês antigo, como Saxon, Lieam, Sadie, Gwendolyn, Rand e Robin. É interessante que o mestre não permita que os jogadores escolham os nomes dos personagens de qualquer forma, pois até mesmo os nomes compõem um elemento que romantiza as partidas e aumenta a imersão, além de criar histórias e lendas, como Ichabod, o “não morreu em vão”.

Raça/Povo: em Mouse Guard, os camundongos são distintos pela cor dos pelos. As cores mais comuns são marrom, loiro, cinza, preto, branco e vermelho. Apesar de ser um elemento estético, em campanha pode ser utilizada para representar traços de uma família importante. Por exemplo: os Hutford podem ter uma pelagem de tonalidade branca tão clara quanto a neve.

Idade: geralmente aos 14 anos, os camundongos entram para treinar na guarda e aos 18 se tornam oficiais, aposentando-se por volta dos 60.

Posição Social: Como guardiões, os personagens viajam mundo afora, ajudando aos necessitados e levando justiça aonde é preciso. Dentro da Guarda, as patentes são as seguintes:

  • Recruta: Reputação 1.
  • Guarda: Reputação 2.
  • Patrulheiro: Reputação 2.
  • Líder de Patrulha: Reputação 3.
  • Capitão: Reputação 3.

É interessante que a campanha comece com um jogador com um personagem Líder de Patrulha e os demais como Patrulheiros e/ou Guardas. Cabe ao narrador seguir o que achar mais interessante.

Morada: os membros da guarda viajam pelo mundo afora, conhecendo diversas cidades, mas sua morada é a cidade de Lockhaven. Entretanto, os jogadores podem vir de qualquer cidade do território.

Patrono: a Guarda deve sua lealdade à Matriarca. Ela eventualmente determina as tarefas que devem ser desempenhadas pelos membros da guarda. As várias outras cidades contribuem com alguma coisa, desde alimentos e remédios a matéria prima, em agradecimento aos serviços prestados pelos patrulheiros.

Lealdade: a lealdade dos membros é para com a Guarda e durante toda a sua história, existiram poucos membros que traíram essa lealdade.

Devoção: a devoção e a lealdade dos personagens muitas vezes caminham lado a lado, mas dependendo do contexto da campanha, ambas podem ser diferentes.

Aparência: o jogador deve determinar uma palavra ou frase que represente o primeiro aspecto que vem na mente das pessoas ao conhecerem o personagem pela primeira vez.

Atributos e Especialidades: Crônicas RPG utiliza dezoito atributos e suas especialidades para compreender todas as situações possíveis: Agilidade, Blefe, Conhecimento, Cura, Força, Furtividade, Inteligência, Lábia, Ladinagem, Liderança, Manejo, Percepção, Performance, Pontaria, Resistência, Sobrevivência, Trato com Animais e Vontade.

Quando analisamos o mundo da Guarda e seus jogos oficiais, enxergamos personagens com profissões comuns, como: Administrador, Apicultor, Armeiro, Arquivista, Batedor, Caçador, Cartógrafo, Ceifeiro, Cervejeiro, Cientista, Construtor de Barcos, Cozinheiro, Curandeiro, Diplomata, Entomologista, Etologista, Instrutor, Marceneiro, Mascate, Meteorologista, Moleiro, Oleiro, Orador, Padeiro, Pedreiro, Vidraceiro, entre outros.

Aconselho aos narradores que não é necessário criar novos atributos, mas encorajar os personagens dos jogadores para que possuam ao menos uma ou duas especialidades que representem essas profissões. E quando se mostrar preciso, criar apenas uma especialização que pode representar a profissão desejada.

Por fim, os animais neste mundo são consideradas criaturas e monstros. Já insetos, como os besouros e abelhas desempenham a função dos animais no nosso mundo. Então, o atributo “Trato com Animais” deve funcionar normalmente, mas sua aplicação deve ser direcionada.

Um elemento narrativo – A Capa: todos os camundongos que entram para a Guarda recebem um mentor que lhe dá o devido treinamento — quando esse treinamento inicial chega ao fim, o mentor entrega uma capa na cerimônia de graduação. A capa tem uma representatividade muitas vezes ligada ao comportamento e traços da personalidade do novo membro. sua cor dos pelos e da sua capa são registrados no livro da Guarda como uma assinatura. Claro, existem membros da Guarda que usam a mesma cor de capa, mas ainda assim, ela ajuda na identificação.

 

 

Virtudes Regionais

No Crônicas RPG, os personagens podem adquirir virtudes que proporcionam vantagens em determinadas circunstâncias. Em Mouse Guard, percebemos uma ligação forte entre os personagens e suas cidades de origem, portanto, as virtudes a seguir são únicas e só podem ser adquiridas na criação do personagem. Dependendo do narrador, essa virtude pode ser gratuita ou pode ser exigida a compra da mesma.

Barkstone (Patas Firmes): o personagem pode re-rolar uma vez por sessão qualquer teste de ferreiro ou trabalho com metais.

Copperwood (Independente): uma vez por sessão, quando o personagem estiver realizando um teste em conjunto e sofrer uma falha crítica, o jogador poderá re-rolar esse mesmo teste.

Elmoss (Alerta): o personagem é sempre atento ao seu redor. Uma vez por sessão, ele pode re-rolar qualquer teste relacionado à percepção e atenção.

Ivydale (Trabalhador): acostumado ao esforço constante, os camundongos de Ivydale se orgulham de sua resistência. O personagem pode re-rolar, uma vez por sessão, qualquer teste relacionado à fadiga física.

Lockhaven (Generoso): parece que você sempre tem algo a mais quando está ajudando alguém. O personagem pode re-rolar, uma vez por sessão, qualquer teste relacionado a Recursos, quando estiver usando seu dinheiro ou algum bem para ajudar outra pessoa.

Lockhaven (Honrado pela guarda): um homem honrado sempre é lembrado. O personagem pode re-rolar, uma vez por sessão, um teste de status ou relacionado a diplomacia em situações de dúvida sobre a sua palavra.

Port Sumac (Durão): o personagem é bem mais resistente que os outros. A sua pele conta como uma armadura natural de 1.

Port Sumac (Sentidos Climáticos): uma vez por sessão, o personagem pode declarar sucesso automático quando estiver tentando perceber mudanças no clima.

Shaleburrow (Tolerante): devido à criação em uma sociedade com um governo democrático e uma cultura mais liberal, uma vez por sessão o personagem pode re-rolar qualquer teste relacionado a política – até mesmo testes de disputa, no envolvimento de relações políticas.

 Sprucetuck (Inquisitivo e Racional): tendo crescido em uma cidade conhecida pelos cientistas, medicamentos e misturas aromáticas, seus habitantes são incentivados aos estudos e a gostarem de encontrar as respostas para todas as perguntas. Uma vez por sessão, o personagem pode re-rolar um teste relacionado a Conhecimento.

Para um jogo de Mouse Guard em Crônicas RPG, é criada também uma nova Virtude:

Estilo de combate: anzol e linha: o personagem é treinado no uso desta arma, melhorando o alcance de arremesso para ataques à distancia. Quando a arma estiver nas mãos do personagem, ele recebe um bônus de +1d para realizar manobras de desarme e bloqueio.

Nova Arma: Anzol e Linha
Dano: Agilidade ou Força +0
Particularidades: leve, perfurador, gancho/haste, distancia de cinco metros.

Idiossincrasias

 A Idiossincrasia em Crônicas RPG é o uso de características, elementos de outros jogos (técnicas, métodos narrativos, miniaturas) que o narrador acha que se encaixa em seu jogo. Portanto, quando apresentado, discutido e aprovado pelos jogadores, a explicação da aplicação nas partidas é registrada na ficha de campanha.

Natureza: a Natureza representa o instinto presente em cada ser vivo – suas habilidades, tendências, aquilo com o qual nasceu e o ajuda a sobreviver. Todos os personagens no jogo de Mouse Guard devem começar com uma Virtude gratuita chamada de Natureza. No caso dos camundongos, sempre deve acompanhar as palavras-chaves “fugir”, “escalar”, “esconder-se” e “forragem”, com o valor inicial em 2.

Os pontos em Natureza funcionam como os pontos de elã, mas só fornecem seu benefício quando estiver em uma situação que se encaixe nas palavras chaves representadas. No início de cada sessão os jogadores recuperam os pontos de Natureza gastos e o valor de Natureza pode ser melhorado da mesma maneira que se adquire uma Virtude.

 

 

A Guarda

A Guarda existe no centro do Território e tem como obrigação sagrada proteger e defender até o último rato, mas seus deveres não se resumem a apenas isso.

 

Juramento da Guarda

Como Guardiões, nos oferecemos para proteger a santidade de nossa espécie, a liberdade do nosso povo e a honra dos nossos antepassados.

Da espada e do escudo fomos forjados. Nunca coloque um único rato acima da necessidade do povo, pois nosso maior desejo é para com o bem maior.

 

Patrulhar: nunca se sabe quando e onde a guarda será necessária. A Guarda patrulha e viaja para várias cidades oferecendo seus serviços, sempre com uma rota determinada e um itinerário registrado.

Buscar e Preparar as Estradas: o clima e o crescimento das plantas podem acabar com qualquer rota segura, por isso os Guardiões sempre buscam melhorar ou encontrar novas estradas para os ratos e que sejam pouco atrativas para os predadores.

Entregar Correspondência: as mensagens de líderes e chefes importantes geralmente são levadas pelos membros da Guarda.

Escolta: em determinadas regiões, a Guarda faz a escolta dos ratos e mercadorias importantes, proporcionando segurança.

Observar o Clima: ficar de olho nas mudanças climáticas, informando e preparando os outros para os perigos que podem chegar junto com a chuva.

Caçar Predadores: eliminando ameaças ou muitas vezes as afastando das cidades e estradas para longe do território.

Resgate: resgatar e ajudar os ratos metidos em problemas e/ou desaparecidos no Território.

Mediar Disputas: líderes políticos às vezes solicitam a ajuda dos Guardiões para atuar como mediadores e árbitros em disputas dentro de sua cidade ou do Território, quando várias cidades e/ou assentamentos estão envolvidos.

Manter a Fronteira Olfativa: existe uma linha invisível nos limites do território, feita pelos membros da Guarda com uma mistura que simula o cheiro dos lobos e outros animais, afastando alguns predadores – mesmo que não seja 100% efetiva.

 

 

Por enquanto vamos encerrar a adaptação aqui. Eu farei a continuação no próximo post e gostaria de lembrá-los que muito do apresentado no post foi retirado do livro Mouse Guard RPG. Nos veremos em breve, na continuação da adaptação, mas antes deixo para vocês o exemplo de uma ficha de Crônicas RPG que usei em minha campanha de Mouse Guard. Até mais e abraços, Galerinha!

Ficha de Mouse Guard para Crônicas RPG

Comentários

4 Comentários

  1. Guilhermesays:

    Caraca meu, muito legal
    Estou ansioso pras próximas partes… Ficou bem legal e com certeza eu vou usar.
    Parabéns, abraço

    • Hélio Alcântarasays:

      Olá! Obrigado Guilherme por estar acompanhando. E vamos que vamos, nossa viagem ainda está começando. Qualquer dúvida, sugestão e etc, pode mandar, será um prazer.

  2. Olá!
    Mesmo entendendo nada de Crônicas eu curti o material. Aguardando a segunda parte.

    Até and Bye…

    • Hélio Alcântarasays:

      Querido Tio Lipe, muito obrigado por tudo, você vai ver muita coisa do crônicas por aqui, qualquer dúvida pode mandar, até mais

Deixe um comentário

Por favor, seja educado, nós do Mundos Colidem apreciamos isso. Seu endereço de e-mail não será publicado e os campos necessários serão marcados.