Chronicles of Darkness Day – Lobisomem: os destituídos 2e

A Espaço Mítico desta semana vai mudar um pouco o foco das últimas postagens (nas quais estou devendo continuidade, mas isto está para ser resolvido) e traz para vocês uma aventura one shot e fichas de personagens para o RPG da linha Chronicles of Darkness, o Lobisomem: os destituídos 2e. A intenção aqui é estimular aqueles que ainda não conhecem ou não experimentaram o novo sistema e cenário da editora Onix Path a darem uma conferida no material.

Neste último sábado, dia 28 de outubro de 2017, ocorreu o evento nacional chamado de Chronicles of Darkness Day organizado pelo site Cronistas das Trevas BR em parceria com grupos nas mais diversas cidades do país. Na cidade de Natal/RN, nós do Mundos Colidem ficamos responsáveis pela promoção e organização do evento. E aqui acabou ocorrendo mesas de Mago: o despertar pelas mãos de nosso querido Joris Filho; Chronicles of Darkness, com Leish da coluna Lugar Nenhum; e eu, Joka, com Lobisomem: os destituídos. Para mais informações sobre o que rolou, veja o último artigo de Leish sobre sua one shot e podem conferir o evento aqui, a página dos Cronistas das Trevas BR com mais informações sobre o evento aqui e a fanpage do Mundos Colidem aqui.

Tema e Tom de Lobisomem

Lobisomem: os destituídos 2e, é um jogo sobre violência e sangue. Sobre dominação e violência. Um mundo dividido entre o “nós” e o “eles”. É sobre caçar e ser caçado de volta. É sobre até onde você irá pelos seus. Mas principalmente, lobisomem é sobre a caça, o Sisku-Dah (na língua primordial sumeriana dos lobos) que significa algo como “A caçada Sagrada”. Pois aqui os jogadores são bestas ferozes que precisam aplacar sua fúria caçando.

Porém, a vida de um destituído é dura, pois ele é odiado como a fera que é pelos espíritos e temido pelos humanos, mesmo que instintivamente. Os lobisomens precisam encontrar uma harmonia entre seu lado espiritual e humano ou pode simplesmente perder a capacidade de transitar entre os mundos. E sua natureza dual é intensificada pelo seu Sangue e Osso, algo como o antigo natureza e comportamento do Mundo das Trevas, mas aqui, o Sangue é o seu lado fera e o Osso seu lado humano. Estes dois lados são extremamente contraditórios entre si e amplificam a estranheza de estar preso entre os dois mundos e não pertencer a nenhum dos dois ao mesmo tempo.

O “horror” em Lobisomem: os destituídos é ser você mesmo o monstro sanguinário que precisa encontrar um equilíbrio entre seus dois estados. É saber que a cada entrega a sua fúria selvagem, chamada aqui de Kuruth, correr o risco de perder um ente querido ou ser responsável pela morte de inocentes. É ter medo de se entregar ao seu pior lado e não saber como voltar. E nestes aspectos, os designers encontraram uma forma elegante de retratar tudo isso mecanicamente.

One Shot: A arena das dunas

A aventura em questão ocorre na cidade de Natal/RN (mas que pode ser transportada para qualquer outra cidade com as devidas modificações) durante a maior crise de segurança da história da cidade no mês de janeiro de 2017. As facções criminosas da cidade, conhecidas como o PCC e o Sindicato do Crime, revoltam-se contra a instalação de bloqueadores de sinais nas cadeias estaduais e soltam um “salve geral” por todo o estado, queimando ônibus, atacando terminais, metralhando delegacias e pondo fogo em prédios públicos. Tudo isso serve de estopim para uma guerra territorial entre as duas organizações criminosas, que simplesmente iniciam chacinas sistematizadas nos dias que viriam a seguir, levando o estado a alcançar a marca de mais de 1.500 homicídios antes mesmo da metade de 2017, colocando a cidade como uma das mais violentas do país. Podia facilmente virar enredo de filme de ação ou drama, se não fosse a mais pura das realidades.

E é aqui que nossa aventura começa, com a escalada de violência aumentando pela capital, a Hisil (o mundo espiritual na língua dos lobisomens) torna-se mais sombria, alienígena e perigosa devido a ressonância poderosa gerada pelas emoções humanas. Em meio a tudo isso, há quase uma invasão de espíritos do medo, da entropia, da violência e das sombras no mundo da Carne, cavalgando os mortais e ajudando a elevar ainda mais o estado de sítio da cidade. A matilha de vocês vem acompanhando essas mudanças com preocupação até que duas outras matilhas que dividem o território da Capital se estranham, são elas Os Cão (comandada pelo Rahu chamado Carlos) e Senhores das Dunas (chefiada pelo Cahalith conhecido como Brisa do Mar). Ninguém sabe explicar exatamente porque as duas querem se matar, mas ambos os lados alegam coisas diferentes. Eis que em meio a isso, as facções do RN declaram “salve geral” e o caos se instala. Logo no primeiro dia, uma van utilizada pelo sangue de lobo Valdir é encontrada em chamas, com seu corpo carbonizado dentro. As matilhas declaram guerra, acreditando que a outra usou a confusão na cidade para dar o primeiro passo para tomar o controle. Um Ithaeur conhecido como “Sangue de Poty”, um solitário lobo, alega que tudo o que está acontecendo é uma distração e diz que trará respostas no dia seguinte. Entretanto, Sangue de Poty nunca mais retornou e os tambores da guerra ressoam alto. Os jogadores precisam descobrir a verdade ou as matilhas entrarão em guerra e o verdadeiro inimigo poderá aproveitar dessa fraqueza.

Como conduzir a aventura

A one shot foi elaborada para ser o mais flexível possível. Deixando vários espaços em branco para tanto o narrador quanto os jogadores inventarem nomes de Personagens Não Jogadores, como soluções para os problemas que ocorrem. Por ter sido feita para um evento, ela é curta, mas pode se tornar mais ou menos longa, dependendo da ênfase no combate. Junto com a aventura, temos 4 personagens prontos, um pouco simplificados para não sobrecarregar novatos, mas contendo todas as informações mais importantes sobre eles. Agora é só sentar e jogar!

Para baixar o pdf da aventura e os personagens basta acessar o link abaixo:

https://mega.nz/#F!ho0QjLxS!RW14Vmlf0ilewf5bOXEbEQ

Quem testar, posteriormente, adoraria ouvir aqui nos comentários um feedback da aventura. A minha experiência foi bastante satisfatória e a aventura passou por momentos de combate, interação e descoberta desse estranho mundo espiritual. Espero que gostem tanto quanto eu e até a próxima!

Comentários

Deixe um comentário

Por favor, seja educado, nós do Mundos Colidem apreciamos isso. Seu endereço de e-mail não será publicado e os campos necessários serão marcados.