Heróis Blindados: Armaduras de Combate para Fate Acelerado

Ainda garoto — quando minha paixão por ficção científica estava se estabelecendo — eu li, pela primeira vez Starship Troopers, o clássico da FC de Robert Heinlein sobre uma sociedade futura extremamente militarizada, tentando sobreviver ao confronto com os Bugs (ou insetos), um conglomerado de raças (uma delas humanóide) com tecnologia similar à humana, exceto por uma coisa: Mecha. Esta foi a primeira menção (conhecida, pelo menos) deste tipo de tecnologia na ficção científica. O autor, que criou o conceito em 1959, provavelmente não tinha ideia que estaria trazendo à vida um gênero próprio que seria muito comum aos animes e mangás e que espalhou-se por RPGs, boardgames, quadrinhos, desenhos animados, filmes e claro, brinquedos.

Halo Legends Prototype
o mech protótipo do anime Halo Legends
Powersuit - Starship Troopers Anime
Os Powersuits do anime Uchū no Senshi, de 1988, baseados em Starship Troopers
Starship Troopers - First Cover
Primeira publicação de Starship Troopers, de Heinlein, ainda na forma de noveleta e com o título Starship Soldier

Mecha ou Mech?

Para este post, vamos deixar claros alguns termos: mech (singular) ou mecha (plural) se refere a qualquer vestimenta motorizada, geralmente (mas nem sempre) com armamento incorporado, usada para fins militares ou paramilitares, seja para ataque ou defesa. Em muitos casos, soldados usando este tipo de traje são chamados de Infantaria Móvel, como no caso do livro seminal de Heinlein, destacando o aumento na capacidade de deslocamento individual.

Nos dias de hoje, várias forças armadas do mundo (em especial as do EUA) estudam o uso de exoesqueletos para ampliar a capacidade de carregar equipamento da infantaria, permitindo que cada soldado possa levar mais munição, suprimentos ou proteção individual extra, já que o exoesqueleto se encarregaria de lidar com o peso adicional, além de permitir que o soldado se desloque mais rapidamente, com saltos propelidos pelos seus motores. Alguns videogames, como Call of Duty Advanced Warfare e filmes recentes, como No Limite do Amanhã, têm exoesqueletos como ferramenta principal de seus protagonistas.

Exoesqueleto - Call of Duty Advanced Warfare

Exoesqueleto - Limite do Amanhã

Mecha em FAE

Para esta adaptação em Fate Acelerado, não quero reinventar a roda; o Fate Worlds Volume 2 – Worlds in Shadow, um livro com vários cenários prontos para Fate Básico (ainda a ser traduzido), traz Camelot Trigger, uma interpretação futurista da corte do Rei Artur, onde ele e seus cavaleiros usam mecha contra a Inteligência Artificial MerGN-A, que tenta destruir a humanidade, sendo confrontada por Artur, seus cavaleiros mecha e pela I.A. MerLN. Mais importante que isso, ele apresenta uma forma de usar mecha em Fate Básico. Daí pra Fate Acelerado é um pulo.

Cavaleiros Mecha

Primeiro passo: o personagem com um mech deve ter um aspecto que representa o mech através de seu nome, tipo ou modelo. Pode ser algo simples, como Armadura de Combate, Mech Militar ou ainda Traje Blindado. Mas o ideal seria algo mais descritivo e que se encaixasse no clima do cenário, como Armadura Móvel Vanguard XE-36 ou Exo-Panzer de Assalto Mk II. Depois disso, é necessário definir os componentes do mech, que são Cabeça, Tronco (frente), Tronco (costas), Braços e Pernas.

Cada componente possui um sistema, que funciona exatamente como uma façanha, adequada apenas para aquele ponto do mech. Com isso, podemos sair do território das façanhas exclusivas de Fate Acelerado e passar para as vistas no Fate Básico e Fate – Ferramentas de Sistema (recém lançado em português), permitindo uma maior variedade e personalização dos mecha.

Vamos a um exemplo:

Nosso piloto deseja criar um mech militar em um cenário de futuro próximo, mas com uma vibe space opera (ou seja, um futuro nem tão próximo assim). Ele teria o aspecto Armadura Mecanizada de Infantaria Aquiles MAS-12 e seus componentes e sistemas seriam:

  • Cabeça: Visor Multiespectral
  • Tronco (frente): Blindagem Polimetálica Reativa
  • Tronco (costas): Contramedidas Eletrônicas
  • Braços: Rifle de Assalto Pesado
  • Pernas: Motores de Salto

Cada sistema representa uma façanha específica:

  • Visor Multiespectral: receba +2 para defesa de forma cuidadosa;
  • Blindagem Polimetálica Reativa: subtraia 2 tensões de estresse de qualquer ataque bem-sucedido;
  • Contramedidas Eletrônicas: receba +2 para defesa contra ataques que necessitem rastrear o alvo, como mísseis ou disparos indiretos de artilharia;
  • Rifle de Assalto Pesado: receba +2 para atacar de forma poderosa com sua arma de fogo incorporada e cause 1 tensão de estresse extra;
  • Motores de Salto: receba +2 para superar de forma ágil. Ou desloque-se livremente para até duas zonas de distância e realize um ação.

Vocês querem viver para sempre?

Além de permitirem façanhas extras, o sistemas do mech também podem ser desligados temporariamente para absorver estresse que de outra forma, iriam para o personagem (como se fossem consequências), representando o efeitos dos ataques de seus adversários sobrecarregando a capacidade do mech de suportar dano.

  • 2 tensões de estresse: o usuário do mech decide qual sistema desligar;
  • 4 tensões de estresse: o oponente do mech decide qual sistema desligar;
  • 6 tensões de estresse: oponente o usuário do mech, cada um, escolhem um sistema para desligar.

Quando todos os sistemas forem desligados, o mech estará inoperante — ou apenas não irá mais permitir que seu usuário aproveite mais que a invocação do aspecto do mech, ao custo de um ponto de destino. Isso dura até o final da cena, e apenas se o mech for recuperado e levado para manutenção.

Nada é de graça

Normalmente, em FAE, o jogador tem direito a três façanhas gratuitas e pode gastar seus pontos de recarga (ficando com no mínimo um) para adquirir novas. Isto não muda nesta adaptação, mas existem algumas diferenças. Primeiro, além das três façanhas, o jogador pode escolher gratuitamente uma façanha (que chamamos de sistema) para cada componente do mech (cabeça, tronco frente, tronco costas, braços e pernas). E também pode gastar seus pontos de recarga para adicionar opções extras às façanhas:

  • Poder de Fogo: cada ponto de recarga usado permite aumentar em 1 a quantidade de estresse causada por um dos sistema do mech;
  • Blindagem Extra: cada ponto de recarga usado permite reduzir em 1 a quantidade de estresse recebido;
  • Versatilidade: cada ponto de recarga permite combinar duas façanhas em uma só, ou ampliar o alcance da façanha.

O caso especial da Versatilidade talvez necessite de um esclarecimento: normalmente, em FAE, as façanhas limitam-se a dar um bônus de +2 para realizar uma das quatro ações (atacar, defender, criar vantagem e superar) com uma das seis abordagens (Poderoso, Ágil, Cuidadoso, Estiloso, Esperto e Sorrateiro). Mas qualquer sistema pode receber uma opção extra, ao custo de um ponto de recarga. Isso pode ser visto nos exemplos do Rifle de Assalto Pesado e Motores de Salto. O primeiro dá um bônus para atacar de forma poderosa e também causar uma tensão extra, caso obtenha sucesso. O segundo permite receber um bônus para superar de forma ágil, ou deslocar-se para uma certa distância e realizar uma ação.

Escala

Em princípio, a menos que você queira algo MUITO dedicado, mais simulacionista do que FAE se dá ao trabalho, não é necessário levar em conta diferenças de tamanho entre os mecha e outros participantes do cenário. A capacidade de usar sistemas do mech para absorver estresse — que apenas mecha possuem — já são mais do que o suficiente, além da possibilidade de criar vantagens como A Passos de Gigante ou Suas Armas Minúsculas Não Podem me Afetar para mecha bem maiores que os oponentes. Por outro lado, os oponentes de menor tamanho podem criar vantagens como Escondido aos Seus Pés ou Quanto Maior o Coqueiro, Maior a Queda.

Finalmente

Sem maiores delongas, isso é tudo. É possível fazer algo mais detalhado e cheio de minúcias para representa um mech, mas a ideia de Fate Acelerado é não atrapalhar o jogo com um monte de modificadores, detalhes e — de uma forma geral — tralha desnecessária. Minha impressão é de que muitas vezes o desenrolar da história é atrapalhado pela contabilidade da tralha que os jogadores carregam. Não que seja errado, mas não é bem o que sistemas narrativos se prestam a fazer. Em breve eu disponibilizarei uma ficha customizada e alguns mecha de exemplo.

Sugestões?

Ah, o conceito principal desta adaptação veio deste post, que traz inclusive uma adaptação de ficha FAE para usar os mecha de Camelot Trigger. Em inglês.

Comentários

4 Comentários

  1. Olá!
    Ótima postagem meu caro. Deu até vontade de jogar, e olha que nem sou fã do gênero. XD

    Até and Bye…

    • Petras Furtadosays:

      Agradecido, Tio Lipe. Mecha são uma velha paixão. Falar sobre eles não é difícil.

  2. Jokasays:

    Um verdadeiro resumo histórico do termo Mech acompanhado de uma explicação fácil e rápido de entender na sua utilização em FAE. Sou seu fã Petras.

    • Petras Furtadosays:

      Que é isso, Joka! EU é que sou seu fã! Mas obrigado pelas palavras gentis. Quando tiver mais tempo irei compilar algo mais detalhado para Mecha em Fate/FAE, para aqueles que gostam de tudo bem mastigadinho (e quem não gosta?).

Deixe um comentário

Por favor, seja educado, nós do Mundos Colidem apreciamos isso. Seu endereço de e-mail não será publicado e os campos necessários serão marcados.