Heróis Blindados: ficha de personagem

E sem mais delongas, aqui está a ficha de personagem para mecha, seguindo o conteúdo do meu último post. Aproveitem.

Heróis Blindados: Armaduras de Combate para Fate Acelerado

Ainda garoto — quando minha paixão por ficção científica estava se estabelecendo — eu li, pela primeira vez Starship Troopers, o clássico da FC de Robert Heinlein sobre uma sociedade futura extremamente militarizada, tentando sobreviver ao confronto com os Bugs (ou insetos), um conglomerado de raças (uma delas humanóide) com tecnologia similar à humana, exceto por uma coisa: Mecha. Esta foi a primeira menção (conhecida, pelo menos) deste tipo de tecnologia na ficção científica. O autor, que criou o conceito em 1959, provavelmente não tinha ideia que estaria trazendo à vida um gênero próprio que seria muito comum aos animes e mangás e que espalhou-se por RPGs, boardgames, quadrinhos, desenhos animados, filmes e claro, brinquedos.

Aventura e Personagens para Ryuutama

Olá pessoas!
Duas semanas atrás, no dia 11 de abril de 2017, eu tive a oportunidade de narrar uma aventura one-shot que criei para Ryuutama no Terças de RPG, evento organizado aqui em Natal/RN pela equipe do Mundos Colidem, onde trazemos semanalmente duas mesas com sistemas diversos para a galera experimentar. Eu já havia comentando sobre isso na postagem passada, onde resenhei o sistema OVA, mas, devido ela ter saído no dia posterior ao evento, não houve tempo hábil para comentar sobre o que rolou. Falando do evento em si, ele foi ótimo — tivemos duas mesas (e uma terceira extra oficial) para que o pessoal pudesse experimentar diferentes jogos. Sobre a minha mesa de Ryuutama, três dos quatro jogadores que tive são membros aqui do site, que puderam sentir bem a experiência de jogar com este sistema fabuloso (e bem que poderiam comentar abaixo sobre opinando sobre como foi o jogo e o que acharam do Ryuutama, né? XD).

Guiamaniose dos Cenários de D&D da TSR e da WotC

Olá,

 

Saudações, 2d8 leitores! Como apontado no capítulo anterior do Lugar Nenhum, as últimas semanas não têm sido fáceis – alguém ativou o mode nightmare da Adultescência. Porém, desta vez eu consegui me organizar o suficiente pra trazer um capítulo com conteúdo novo, ao invés de reciclar algum material antigo do Toca. Mas antes de dar continuidade, gostaria de notificar que o Índice do D&D 5.0 foi atualizado com os novos materiais do Unearthed Arcana, mais precisamente: Arquétipos de Magos, Monges, Paladinos e Rangers; Classe Mystic; Feats de Perícia e Feats Raciais; Novas Cantrips; Regras aprofundada para Armadilhas, Downtown e Combate de Exércitos. Então, se você perdeu algum dos materiais, corre lá que o Índice está completamente atualizado.

Duelando em Amber (e mais RPGs sem dados, cartas, Jenga ou dança)

Na série de posts sobre jogar RPG sem dados, iniciamos com a proposta de Erick Wujcik, que culmina com a elaboração de Amber Diceless RPG (ADRPG) em 1991, depois passamos para o destaque de alguns elementos narrativos do cenário de Amber e aspectos da criação de personagem.

Hoje vamos comentar sobre a resolução de conflitos em Amber, considerando como o cenário e a sua mitologia, ou metafísica (as causas primeiras e categorias fundamentais, descritas em Todos os Caminhos levam à Amber), podem tornar interessantes os impasses em jogo. Dependendo da importância para o andar da estória, os combates podem ser modulados de simples e minimalistas a complexos e detalhados em termos de táticas e de narrativa.

Senhor dos Anéis FAE – Regras para Jornadas

Olá Camaradas!

Nesta semana vamos novamente dialogar sobre a adaptação de O Senhor dos Anéis para Fate Acelerado. E enquanto escrevo esses apontamentos para vocês, estou ouvindo a faixa dois – Concerning Hobbits – do álbum da Sociedade do Anel, de Howard Shore. Sempre que vou começar a planejar uma aventura no universo de O Senhor dos Anéis, costumo ouvir essa faixa e pensar: O que pode dar de errado? Essas e outras deambulações sobre planejamento no cenário, pretendo deixar para o arquivo final da adaptação — sim, já estou trabalhando nele. O último feriadão foi quase todo dedicado à escrita, testes e revisões para esta Jornada. E inclusive, no último domingo, realizei um playtest com alguns amigos do Mundos Colidem e antes do final desta postagem falarei sobre a aventura de páscoa na Terra Média.

Nova criatura para Savage Worlds – Predador Fantasma

Estávamos em pesquisa de campo desbravando novas terras — eu, Aiel, minha parceira, e como sempre, nosso fiel companheiro animal Mach, um excelente cão de guarda. Estávamos embarcados em uma carroça puxada por apenas um cavalo, que era o que a academia nos disponibilizava. No último mês adentramos as planícies a partir da cidade mais próxima e — nossa profissão? Desculpe não falar antes. Somos pesquisadores, catalogando novas especies de plantas e fungos, na busca incessante por novos ingredientes para novas poções e substitutos para as fórmulas já existentes.

A propósito, me chamo Limah.

Criando aventuras pelo Fate Fractal

Algumas vezes, narradores tem muita dificuldade em fazer um planejamento de suas aventuras antes da sessão de jogo. Em certos momentos criam material em excesso que nunca verá a “luz dos jogadores” ou simplesmente não sobreviverá aos planos deles e será colocado todo abaixo. Já em outros dias, o planejamento sai mais fraco, com anotações que ajudam muito pouco ou que atrapalham mais do que contribuem. As vezes, você ainda não sabe fazer uma preparação eficiente, seja por falta de experiência, seja por estar começando agora. Isso acaba por levantar a questão sobre o que podemos fazer para amenizar e até, talvez, evitar estes problemas?

Hora da Aventura RPG

A aventura vai começar
Todos juntos vamos visitar

O mundo de Jake e seu amigo Finn
Diversão é aqui
Hora da aventura!

Olá galerinha!

É isso aí, após um primeiro de abril bem engraçado, cheio de anúncios destemidos, recebemos a notícia que abalou alguns coleguinhas! Então vamos nessa, amigos! O nosso expresso está saindo e a nossa próxima parada é a terra de Ooo.

Abordagens alternativas para as tendências

Saudações, aventureiros.

No texto de hoje vamos abordar algumas alternativas para as tendências de D&D 5E baseadas em dois RPGs que, embora não possuam versões em português, conseguem inspirar e contribuir para trazer elementos facilmente adaptáveis.